Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-07-20T09:46:43-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
perspectivas positivas

Crédito de descarbonização deve ser mais atraente para o investidor em breve, diz ministra

Há controvérsia a respeito dos créditos após o presidente Jair Bolsonaro vetar trecho da MP do Agro que propunha tributação de 15%

20 de julho de 2020
9:46
tereza-cristina
Tereza Cristina - Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou à CNN que os créditos de descarbonização (Cbios), do programa RenovaBio, devem se tornar atraentes para investidores em breve.

No momento, há controvérsia a respeito da tributação dos créditos após o presidente Jair Bolsonaro vetar trecho da MP do Agro que propunha tributação de 15%.

A ministra disse ter conversado sobre o assunto com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. "O Cbio está acontecendo, mas precisa ser mais barato", afirmou a ministra. "Tenho convicção de que esse título em breve será muito atraente para investidores que querem comprar títulos verdes", disse.

Quanto ao desmatamento da Amazônia, que preocupa especialistas e investidores dentro e fora do Brasil, Tereza Cristina admitiu que há pontos que podem ser corrigidos, mas também disse que a atenção dada ao Brasil é maior do que a países que vivem situações parecidas em outras partes do mundo.

"Tem coisas que a gente pode corrigir? Tem, e vamos corrigir e estamos trabalhando. A regularização fundiária é uma forma", afirmou. Ela disse que boa parte da cobrança do exterior vem da propaganda negativa feita sobre o Brasil, "vinda até de brasileiros".

Em relação a planos futuros, Tereza Cristina disse querer retomar as viagens programadas para tentar abrir mercados para os produtos brasileiros. "Fiz compromisso de ir à Tailândia, preciso voltar ao Vietnã - ficamos de abrir mercado para carnes brasileiras, já temos a abertura para frango mas também queremos para bovinos", afirmou.

A maior esperança para este ano, disse ela, era a Índia, onde a oportunidade de fazer um trabalho mais efetivo teria sido atrapalhada pela pandemia. "Já gostaria de ter voltado para lá, vejo grandes oportunidades aos produtos brasileiros", afirmou, citando gergelim, grão-de-bico e castanhas.

A ministra foi perguntada também sobre a situação de frigoríficos que exportam para a China, e lembrou que, embora não haja comprovação de transmissão da covid-19 através de alimentos, o gigante asiático tem pedido informações após notícias de casos da doença em plantas brasileiras.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Sob nova direção

Mudanças no alto escalão da Ultrapar agradam e ações disparam 9%. Hora de comprar UGPA3?

Analistas enxergam movimentação da Ultrapar como ‘ponto de virada’ e uma surpresa positiva, mas ainda é cedo para um diagnóstico mais preciso do futuro.

OCCUPY B3

B3 (B3SA3) recua quase 3% com ocupação do MTST; movimentos sociais protestam contra o governo e a desigualdade social na sede da Bolsa

Militantes do movimento por moradia entraram no saguão da bolsa de valores em ato contra as altas no desemprego e na inflação

Balança, mas (ainda) não cai

Qual o destino da Evergrande? Veja quatro possíveis cenários para a crise da gigante chinesa

As ações da Evergrande subiram mais de 17% na bolsa de valores de Hong Kong após um acordo com credores. A situação, porém, está longe de ser resolvida. Saiba o que esperar

mercado cripto

Bitcoin e criptomoedas: XP e Rico lançam dois fundos, com investimento a partir de R$ 100

Com gestão passiva, produtos são voltados ao público geral, com taxa de administração de 0,5% ao ano, sem proteção cambial ou taxa de performance

Destaques da bolsa

Cyrela (CYRE3): ‘Sem razões para ânimo’ com o setor, Credit Suisse rebaixa recomendação para construtora e ações têm queda firme

Banco suíço, que rebaixou recomendação de “compra” para “neutra”, vê um cenário difícil para as construtoras nos próximos meses por causa da alta da inflação e da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies