Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-04T07:52:30-03:00
Estadão Conteúdo
Preços mais altos

Índice de preços de alimentos da FAO tem maior ganho desde outubro de 2010

O resultado de maio além de representar o maior ganho mês a mês desde outubro de 2010, também marcou o décimo segundo aumento mensal consecutivo

4 de junho de 2021
7:35 - atualizado às 7:52
Unidade de processamento de carne JBS BRF Marfrig Minerva JBSS3 Dividendos
Imagem: Shutterstock

O Índice de Preços de Alimentos da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) teve média de 127,1 pontos em maio, 4,8% (5,8 pontos) acima do mês anterior e 39,7% (36,1 pontos) maior ante igual mês de 2020.

O índice está apenas 7,6% abaixo do pico de 137,6 pontos registrados em fevereiro de 2011. Segundo a FAO, a forte alta em maio refletiu o aumento nos preços de óleos, açúcar e cereais, juntamente com os preços mais firmes de carnes e laticínios.

O Índice de Preços de Cereais da FAO teve média de 133,1 pontos em maio, 6% (7,6 pontos) em comparação com abril e 36,6% (35,7 pontos) acima de seu valor de maio de 2020.

Entre os principais cereais, os preços internacionais do milho foram os que mais subiram, ganhando 8,8% (12,9 pontos) em maio, atingindo 89,3% (75,6 pontos) acima do valor do ano passado e seu nível mais alto desde janeiro de 2013.

"Perspectivas de produção rebaixadas para o Brasil aumentaram a pressão em relação à oferta global já apertada em meio a forte demanda sustentada. No entanto, no fim do mês os preços do milho começaram a recuar, principalmente na expectativa de perspectivas de maior produção nos Estados Unidos", explica a FAO.

Já o Índice de Preços do Óleo Vegetal da FAO teve média de 174,7 pontos em maio, ganhando 7,8% (12,7 pontos) no mês a mês e marcando o décimo segundo aumento mensal consecutivo. A FAO diz que "a força contínua do índice reflete principalmente os valores crescentes dos óleos de palma, soja e colza".

Com relação aos preços de Laticínios, o Índice da FAO teve média de 120,8 pontos em maio, 1,5% (1,7 pontos) acima de abril, marcando um ano de aumentos ininterruptos e elevando o valor 28% (26,4 pontos) acima de seu nível de um ano atrás. No entanto, o índice ainda está 22,8% abaixo de seu valor de pico alcançado em dezembro de 2013.

O Índice de Preços de Carne da FAO teve média de 105,0 pontos em maio, 2,2% (2,3 pontos) acima de abril, registrando o oitavo aumento mensal e elevando o índice 10% acima de seu nível de um ano atrás, mas ainda quase 12% abaixo de seu pico atingido em agosto de 2014.

Conforme a FAO, "as cotações de todos os tipos de carnes representadas no índice aumentaram, principalmente por causa de um ritmo mais acelerado de importação pelos países do Leste Asiático, principalmente a China".

De acordo com acompanhamento de preços do açúcar pela FAO, o Índice teve média de 106,7 pontos em maio, 6,8% (6,8 pontos) acima de abril, marcando o segundo aumento mensal consecutivo e o maior nível desde março de 2017.

O aumento nas cotações internacionais do açúcar foi principalmente relacionado ao atraso na colheita e preocupações sobre a redução da produção no Brasil, considerando que as condições de tempo seco prolongado provocaram impacto no desenvolvimento da safra, conclui a FAO.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

RIQUEZA DIGITAL

Dancinha milionária: estrelas do TikTok já ganham mais do que grandes executivos nos Estados Unidos; veja quanto elas faturam

Os milhões de seguidores de alguns tiktokers são irresistíveis para as marcas, que acabam gastando muito dinheiro não só em anúncios como em suas linhas de produtos

DA REALIDADE PARA O NOVO DIGITAL

Walmart no metaverso: gigante do varejo dos EUA vai fabricar e vender no mundo virtual; entenda

Para ter um pé nesse universo, Nike e marcas de vestuário como Urban Outfitters, Ralph Lauren e Abercrombie & Fitch também entram com pedidos de marca registrada

PEGA LADRÃO!

Fechada na economia e aberta ao cibercrime: Coreia do Norte desvia milhões de dólares com ataques a plataformas de criptomoedas em 2021

Norte-coreano Lazarus ganhou notoriedade com invasões cibernéticas à Sony Pictures e à WannaCry. Grupo já foi sancionado pelos Estados Unidos e pela ONU

EFEITOS DO CLIMA

Usiminas (USIM5) retoma gradualmente atividades de mineração afetadas por chuvas em Minas Gerais

Segundo o grupo, os problemas ainda afetam empresas responsáveis pela cadeia de escoamento de minério

Conteúdo Empiricus

Dos R$2 mil aos R$100 mil em 12 meses com esta criptomoeda? Criptoativo criado por sócio de Steve Jobs faz parte do segmento que pode decolar e deixar o Bitcoin no chinelo após evento do dia 24 de janeiro

Ele fundou a Apple junto de Steve Jobs e agora criou uma nova criptomoeda que custa centavos e pertence ao ecossistema que pode saltar 5.000% em 2022 e enriquecer os seus investidores

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies