Menu
2020-03-23T10:23:10-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
medidas anticrise

BC reduz compulsório e espera liberar R$ 68 bilhões ao mercado financeiro

Decisão faz parte do conjunto de ações adotadas pela autoridade monetária para minimizar os efeitos do coronavírus sobre a economia brasileira

23 de março de 2020
9:10 - atualizado às 10:23
dinheiro impostos real
Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) anunciou nesta segunda-feira (23) a redução temporária da alíquota do compulsório sobre recursos a prazo de 25% para 17%. A estimativa é que a mudança resulte numa liberação de R$ 68 bilhões ao sistema financeiro a partir do dia 30 de março.

A decisão faz parte do conjunto de ações do BC para minimizar os efeitos do coronavírus sobre a economia brasileira. A instituição diz que a alíquota deve voltar ao patamar anterior até 14 de dezembro, caso a economia tenha atravessado a pandemia.

Segundo o diretor do BC, Roberto Campos Neto, a instituição pode decidir por novas liberações de compulsório. Ele disse que estão em estudo medidas de redirecionamento para o que o crédito chegue às pequenas e médias empresas.

O compulsório é formado por parte do dinheiro depositado por correntistas em bancos. O mecanismo fica em poder do Banco Central, visando a estabilidade financeira e o auxílio no combate à inflação.

Empréstimos com garantias de debêntures

O BC também anunciou que foi autorizado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) conceder empréstimos a instituições financeiras garantidos em debêntures adquiridas entre 23 de março e 30 de abril de 2020. É uma Linha Temporária Especial de Liquidez (LTEL).

"O objetivo da linha é prover liquidez ao mercado secundário de dívida corporativa, fortemente afetado pela recente turbulência verificada nos mercados financeiros internacional e nacional, fruto dos reflexos da propagação do Coronavírus (COVID-19)", diz o BC.

A autoridade monetária manterá, como garantia adicional, os recolhimentos compulsórios do banco no mesmo montante da operação. "Com a medida, o BC espera aumentar a liquidez no mercado secundário de dívida privada, minimizando os efeitos da crise sobre o mercado de capitais".

Autorização de captações

Ainda segundo o BC, o CMN aprovou hoje a Resolução nº 4.785, que autoriza a captação de Depósito a Prazo com Garantia Especial do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). 

Conhecido no mercado como DPGE1, a modalidade de depósito a prazo é garantida pelo FGC até o limite de R$20 milhões por titular. Foi um instrumento também usado para garantir liquidez ao mercado durante a crise mundial de 2008 no Brasil.

Conforme o BC, o DPGE1 deve ter valor mínimo de emissão de R$ 1 milhão e prever prazo mínimo de doze meses - máximo de vinte e quatro meses, sendo vedado o resgate antecipado

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

em Minas Gerais

Notre Dame Intermédica compra Grupo Serpram por R$ 170 milhões

Aquisição marca avanço da empresa em Minas Gerais; mais cedo, companhia anunciou compra de outra empresa, no Sul do País

forte expansão

Unidas reporta lucro líquido de R$ 124 milhões, alta de 44,4% e melhor da história

Empresa registrou uma forte retomada no segmento de Terceirização de Frotas, que apresentou recordes de contratação

desinvestimentos

Compass apresenta proposta para adquirir participação da Petrobras na Gaspetro

Empresa, que chegou a desistir de abrir capital, não revelou valor pela fatia; processo é mais um desinvestimento da Petrobras, que desembarca de vez da companhia

Dinheiro na conta

Santander pagará R$ 1 bilhão em juros sobre capital próprio

O valor líquido por ação será de R$ 0,10859906709 por ON, com retenção de IR na fonte.

PLANOS

Agora parte do BTG, Necton vai em busca de pequenos investidores

Corretora pretende lançar iniciativas e produtos para a base dos investidores, para quem tem entre R$ 10 mil e R$ 15 mil aportados no mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies