Menu
2020-07-10T18:37:16-03:00
Caio Nascimento
Caio Nascimento
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP) e com passagens pelo Estadão e Jornal da USP.
Investimento para o cliente

Corretora Warren recebe aporte de R$ 120 milhões para investimento em plataformas digitais

Fintech visa multiplicar por cinco patrimônio sob gestão até o fim de 2021 e aumentar alcance da marca: ‘Nossa meta é seguir investindo em tecnologia’

10 de julho de 2020
18:31 - atualizado às 18:37
Sócios da Warren Brasil
Marcelo Maisonnave, Tito Gusmão, Kelly Gusmão, Rodrigo Grundig e André Gusmão, sócios da Warren Brasil. - Imagem: Warren / Divulgação

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a Warren chamou a atenção do mercado ao anunciar um aporte de R$ 120 milhões liderado pelo fundo de venture capital QED Investors, que já investiu em empresas como Nubank e Loft

Segundo o CEO da corretora, Tito Gusmão, o valor será utilizado para melhorar a experiência dos 130 mil clientes nas plataformas digitais. "Nossa meta é seguir investindo principalmente em tecnologia, num modelo totalmente alinhado aos interesses do investidor", afirma.

Em entrevista ao Seu Dinheiro, o executivo destaca que o foco é na entrega da plataforma de investimentos Warren 3.0, que possui features de banking, carteiras com portfólios de longo prazo e acesso direto à Bolsa sem taxa de corretagem. "Vamos investir em melhorar ainda mais a experiência do 3.0."

Com três anos de operação, a fintech gaúcha dobrou o patrimônio que gerencia nos últimos três meses e contratou 100 profissionais no período, total que corresponde a 30% do quadro de funcionários. Até o fim do ano, o objetivo é recrutar mais 80 funcionários para ampliar o alcance da marca.

Ampliação da oferta de serviços

O ritmo acelerado de crescimento acompanha a meta ousada de seus sócios: hoje com R$ 2 bilhões de ativos sob gestão, o objetivo é multiplicar por cinco esse patrimônio até o fim de 2021, chegando aos R$ 10 bilhões. Além disso, a Warren aposta no desenvolvimento de novas soluções para sua plataforma de parceiros, a Warren for Business.

“Queremos dobrar a nossa base de parceiros. Hoje temos mais de 200 conectados e pretendemos chegar a 400 até o fim do ano”, diz Gusmão. “Para isso vamos investir em ampliar a oferta de produtos e serviços, como seguros, previdência e planejamento financeiro, tudo isso integrado em uma plataforma white label, que prima por ajudar o parceiro a construir seu negócio."

Embora o foco seja no digital, a Warren dispõe de sete espaços físicos em São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Jaraguá do Sul, Itajaí e Blumenau, atualmente fechados devido à pandemia. Até dezembro, mais cinco cidades devem receber o serviço presencial, com foco em clientes de alta renda e B2B (ou seja, de empresa para empresa).

Ao Seu Dinheiro, Gusmão destaca que sua equipe já está trabalhando em melhorias nesse quesito. Para o B2B, será implantado ferramentas para auxiliar ainda mais no planejamento financeiro do usuário e uma nova interface para gerenciar parceiros e clientes. "Estamos construindo a profissão do futuro dos profissionais de investimento”, diz o CEO.

Já para os usuários B2C (empresas cujo público-alvo é o consumidor), a corretora fará seis upgrades:

  • Todos os fluxos transacionais serão instantâneos (receber, enviar e movimentar dentro da Warren) - SPB;
  • Melhorias e maior diversidade de produtos de investimentos disponíveis (tech, health, green etc);
  • Análises de carteira e ativos direto na plataforma;
  • Conteúdo educacional customizado para cada cliente;
  • Consolidação dos investimentos em um só lugar;
  • Corretagem zero para compra e venda de ações a mercado;

Além da QED Investors, a rodada de investimento na Warren conta com a participação dos fundos Kaszek Ventures - criado pelos fundadores do Mercado Livre e investidor da Creditas, Nubank, Loggi e Gympass -, a Ribbit, MELI Fund, WPA, Quartz e os gaúchos da gestora de recurso Chromo Invest.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

óleo quente

Na frigideira, André Brandão deve deixar comando do Banco do Brasil

Notícias na mídia apontam nomes que podem substituir atual presidente do banco, que entrou em rota de colisão com Bolsonaro

BOA NOTÍCIA

Saúde assina intenção de compra de vacinas da Pfizer e da Janssen

Governo quer comprar sem licitação 100 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da Pfizer e de 38 milhões da vacina da Janssen

Esquenta dos Mercados

Ibovespa futuros aponta para abertura positiva com avanço de PEC emergencial no Senado

Descolado do exterior, o Ibovespa deve abrir em alta, mas para quem viveu o pregão de ontem, tudo pode acontecer

ilegal

Suspeita de insider da Petrobras já estava no radar da B3

Transações com papéis da empresa com aparência de uso de informação privilegiada deram a um investidor lucro de R$ 18 milhões

Caixa vai seguir adiante com venda de ações ordinárias do Banco Pan

Banco Pan protocola pedido de registro de oferta pública de distribuição secundária das ações detidas pela CaixaPar

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies