Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-05-20T20:18:26-03:00
seu dinheiro na sua noite

Piada no exterior

20 de maio de 2020
20:18
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Ser brasileiro nunca foi fácil, mas a cada nova crise os roteiristas do Brasil se superam e parece que as dificuldades mudam um pouco de patamar.

Ao sobrevivermos, somos novamente tomados de um sentimento de “agora vai”, apenas para nos decepcionarmos mais adiante, quando constatamos que o Brasil continua sendo o Brasil, o eterno país do futuro, aquele que não perde uma oportunidade de perder uma oportunidade, como bem disse Roberto Campos.

No que diz respeito à economia, não dá para negar que o potencial do atual governo em controlar os gastos públicos e aprovar reformas já se esvaziou um bocado. Mas a maior parte do mercado ainda deposita alguma confiança no ministro Paulo Guedes.

A maior parte, mas pelo jeito não todo mundo. Rogério Xavier, o estrelado gestor da SPX, fez hoje duras críticas à forma como as autoridades brasileiras vêm lidando com a pandemia do coronavírus, e sobrou até para o Guedes.

Durante uma live em que conversou com o estrategista-chefe da Empiricus e colunista do Seu Dinheiro, Felipe Miranda, Xavier disse que o ministro é, hoje, mais bolsonarista do que liberal - “se converteu como se aquilo fosse quase uma religião”.

Sempre caracterizado como pessimista, o gestor, que hoje vive em Londres, descartou a possibilidade de o Brasil se recuperar rapidamente da crise e também disse que a imagem do país lá fora está feia: nosso Banco Central vem sendo ridicularizado por BCs de outros países emergentes, e estamos cada vez mais irrelevantes para o investidor estrangeiro.

O Vinícius Pinheiro fez um resumo da fala do gestor na transmissão ao vivo, mas se você quiser conferir a conversa na íntegra, o vídeo com a gravação da live continua disponível aqui.

Dia de serenidade

Apesar da tempestade em todas as frentes e um futuro muito incerto, os mercados locais tiveram um dia de calmaria. O Ibovespa fechou em alta de 0,7%, acima dos 80 mil pontos, enquanto o dólar teve um dia de queda firme, de 1,17% — primeira vez em 15 dias que a moeda terminou a sessão abaixo dos R$ 5,70. O Victor Aguiar te conta o que deixou os mares financeiros tão tranquilos hoje.

Negócio milionário

A Multiplan anunciou a venda de uma das torres do complexo de escritórios do MorumbiShopping, em São Paulo, ao fundo imobiliário BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11), mais conhecido como BC Fund. O negócio totaliza R$ 810 milhões, a serem pagos em dinheiro pelo fundo. As ações da operadora de shopping centers reagiram bem ao anúncio.

Sistema financeiro na mira

O sistema financeiro está na mira do Congresso em meio à crise. Desde o início da pandemia de covid-19, foram apresentados 336 projetos de lei que pesam no setor, apurou o Estadão. As propostas vão desde tabelamento de juros para cheque especial e cartão de crédito até o aumento de impostos. Mas embora as ideias possam parecer bem-intencionadas para obrigar as instituições financeiras a colaborarem no combate à crise, o tiro pode acabar saindo pela culatra. Entenda por quê.

Liquidez ao setor elétrico

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) anunciou o repasse de R$ 207,4 milhões a distribuidoras e consumidores do mercado livre, com o objetivo de dar mais liquidez ao sistema. Com a paralisação econômica decorrente da pandemia, a demanda por energia elétrica despencou, fora a inadimplência que já afeta as empresas do setor.

Mais um trilhão que não vai rolar

O governo quer acelerar a venda de imóveis da União com uma medida provisória já aprovada no Congresso. A iniciativa visa a colocar mais dinheiro em caixa em meio à crise, mas parece que vai render muito menos do que o governo esperava. O valor dos imóveis que de fato podem ser vendidos está bem distante daquela cifra de R$ 1 trilhão anteriormente propagandeada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Seguro anti-impeachment

O aceno do presidente Jair Bolsonaro ao Centrão não visa apenas a obter votos para as pautas do Executivo, mas também evitar um eventual processo de impeachment. Em meio a uma crise de popularidade, Bolsonaro se aproxima do MDB para garantir os 172 aliados necessários para impedir o processo na Câmara. Uma pesquisa XP/Ipespe divulgada hoje mostrou que a reprovação do governo pela população continua em alta.

Cloroquina para todos

O Brasil não deve ter um novo ministro da Saúde tão cedo. O presidente Jair Bolsonaro disse que o ministro interino, general Eduardo Pazuello, “vai ficar por muito tempo”. Ao contrário dos titulares anteriores da pasta, Pazuello liberou hoje a prescrição da cloroquina para todos os pacientes de covid-19 , mesmo nos estágios iniciais e mais brandos da doença.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

reta final de negociações

Senado americano aprova “pacote Biden” de US$ 1,9 trilhão

Agora, o pacote voltará para a Câmara dos Representantes, que analisará as alterações feitas no texto pelos senadores. Se for aprovado, o projeto será enviado à Casa Branca para a sanção do presidente

entrevista

‘Episódio Petrobras deu um susto grande nos investidores’, diz economista do Itaú

O economista-chefe do Itaú Unibanco, Mario Mesquita, diz também estar preocupado com as incertezas políticas, que ameaçam o crescimento do PIB

Dificuldades À vista?

Deputados falam em reduzir medidas de ajuste fiscal do texto da PEC do auxílio

Embora defenda celeridade na análise da proposta, Albuquerque admite que o texto pode ser enxugado

escolha da CEO

Investir no Brasil: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come

Confira uma seleção de matérias feita pela CEO do Seu Dinheiro, Marina Gazzoni

Efeitos da pandemia

PEC do auxílio aprovada no Senado prevê abater R$ 100 bi da dívida pública

Pelos cálculos do governo, a necessidade de financiamento da dívida pública federal (DPF) neste ano é de R$ 1,469 trilhão, valor que aumentou por causa do maior volume de títulos de curto prazo que o governo precisou emitir para conseguir captar recursos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies