Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-05-20T18:12:03-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Mercados tranquilos

Ibovespa fecha em alta e dólar cai a R$ 5,68, embalados pela recuperação do petróleo

A valorização do petróleo deu força às bolsas globais e tirou pressão do câmbio. Como resultado, o Ibovespa voltou a encostar nos 82 mil pontos, enquanto o dólar à vista ficou abaixo de R$ 5,70 pela primeira vez desde 5 de maio

20 de maio de 2020
18:11 - atualizado às 18:12
Selo Mercados FECHAMENTO Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O cenário político doméstico assumiu uma característica peculiar de uns tempos para cá: não há alívio, mas também não há deterioração extra — digamos que o nervosismo virou o novo normal. E, de certa maneira, o Ibovespa e o dólar parecem se acostumar com esse cenário, pouco reagindo ao noticiário local e dando mais atenção ao exterior.

Desde o início da semana, os fatores externos têm dado as cartas para os ativos domésticos, e a sessão desta quarta-feira (20) seguiu a tendência: apesar da escalada do coronavírus no Brasil e do noticiário sempre turbulento em Brasília, o clima lá fora acabou se sobrepondo — e o tom foi positivo nos mercados globais.

O Ibovespa passou quase toda o pregão em alta, fechando o dia com ganho de 0,71%, aos 81.319,45 pontos; no câmbio, o dólar à vista também teve uma sessão tranquila: caiu 1,17%, a R$ 5,6890 — é a primeira vez desde 5 de maio que a divisa americana termina abaixo de R$ 5,70.

  • Eu gravei um vídeo para explicar melhor a dinâmica por trás dos mercados nesta quarta-feira. Veja abaixo:

Mas, ao contrário dos últimos dias, o que sustentou o bom humor dos investidores globais não foi o otimismo em relação à reabertura das economias, a perspectiva de novos pacotes de estímulo nos EUA ou uma possível vacina contra o coronavírus. Desta vez, o protagonista foi o petróleo, que se valorizou nesta quarta-feira.

Tudo porque a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a China firmaram um acordo de cooperação — o gigante asiático é o maior consumidor global da commodity. Uma espécie de união entre a oferta e a demanda, buscando a normalização do mercado.

A novidade trouxe alívio aos investidores e aumentou a esperança de estabilização dos preços do produto num patamar mais alto. E, como resultado, o petróleo WTI para julho fechou em alta de 4,79%, a US$ 33,49 o barril, enquanto o Brent para o mesmo mês avançou 3,17%, a US$ 35,75.

A valorização do petróleo acabou gerando uma onda de otimismo nas bolsas internacionais: as principais praças da Europa fecharam em alta e, nos EUA, o Dow Jones (+1,52%), o S&P 500 (+1,67%) e o Nasdaq (+2,08%) tiveram ganhos firmes.

As ações da Petrobras também estiveram entre as beneficiadas da recuperação da commodity: os papéis PN da estatal (PETR4) avançaram 3,32%, enquanto os ONs (PETR3) subiram 3,01%.

Fora a questão do petróleo, os mercados também repercutiram a ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). O documento, contudo, não trouxe grandes surpresas: a instituição se disse comprometida a usar todas as ferramentas para apoiar a economia — algo que o presidente da autoridade monetária, Jerome Powell, já repetiu em outras ocasiões.

Sem novidades na ata do Fed, as bolsas globais tiveram poucas oscilações durante a tarde — e, com isso, o Ibovespa também teve tranquilidade para se sustentar em alta.

Cautela doméstica

O bom humor global ditou o rumo das negociações, mas as turbulências no cenário doméstico continuaram sendo monitoradas pelos investidores. Mais cedo, o ministério da Saúde divulgou um novo protocolo que prevê o uso da cloroquina ainda nos primeiros sinais do coronavírus.

A medida ocorre após o Brasil registrar um novo recorde de mortes em decorrência da doença em 24 horas: de segunda (18) para terça (19), foram 1.179 óbitos — ao todo, 17.971 já faleceram no país por causa da Covid-19, com mais de 270 mil infectados.

A ausência de nomeação de um novo ministro da Saúde após a saída de Nelson Teich do cargo continua gerando desconforto em Brasília, assim como a falta de articulação entre os poderes para o combate à pandemia — um cenário que, naturalmente, eleva a percepção de risco político nos mercados.

Juros em alta

Apesar do alívio visto no dólar, as curvas de juros futuros fecharam em ligeira alta nesta quarta-feira, numa sessão marcada por um baixo volume de negociações. Ainda assim, os DIs mais curtos continuam precificando novos cortes na Selic na reunião de junho:

  • Janeiro/2021: de 2,52% para 2,54%;
  • Janeiro/2022: de 3,39% para 3,42%;
  • Janeiro/2023: de 4,53% para 4,57%.

Top 5

Além das ações da Petrobras, também se destacam na ponta positiva do Ibovespa as ações da companhias aéreas Gol e Azul, impulsionadas pela queda no dólar e pela perspectiva de reabertura gradual da economia em São Paulo a partir de junho. Veja abaixo as cinco maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
AZUL4Azul PN15,33+12,31%
GOLL4Gol PN12,68+8,84%
IRBR3IRB ON7,61+7,94%
CVCB3CVC ON13,23+6,87%
ECOR3Ecorodovias ON11,19+5,67%

Confira também as cinco maiores baixas do índice:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
BTOW3B2W ON88,53-3,94%
SUZB3Suzano ON40,25-3,62%
LAME4Lojas Americanas PN26,84-3,49%
BEEF3Minerva ON13,16-3,24%
MRFG3Marfrig ON13,06-3,12%
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies