Menu
Rodolfo Amstalden
Exile on Wall Street
Rodolfo Amstalden
Sócio-fundador da Empiricus e autor do Programa de Riqueza Permanente
2020-08-27T10:20:31-03:00
Exile on Wall Street

O pior emprego do mundo

Recomendo a leitura do livro do Traumann, no qual o cargo de ministro da Fazenda (ou superministro da Economia, tanto faz) é precisamente classificado como o pior emprego do mundo.

27 de agosto de 2020
10:20
Paulo Guedes
Paulo Guedes - Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado

Qual é a probabilidade de Paulo Guedes debandar do governo Bolsonaro?

Ok, com a fritura recente, ele nunca esteve tão próximo de sair.

Mas a verdade é que PG_1 sempre esteve muito próximo de sair. Agora pode estar mais próximo, mas sempre esteve muito próximo.

E o mesmo poderá ser dito sobre PG_2, PG_3, … PG_N, com N tendendo ao infinito tupiniquim.

Para compreender esse teorema matemático, recomendo a leitura do livro do Traumann, no qual o cargo de ministro da Fazenda (ou superministro da Economia, tanto faz) é precisamente classificado como o pior emprego do mundo.

Que eu me lembre, o menor tempo de permanência no cargo maldito foi de três meses, por Ciro Gomes, de outubro a dezembro de 1994.

Já o maior tempo foi de 117 meses, de 2005 a 2014, exercido por Guido Mantega.

Ou seja, o espectro ideológico, por si só, é incapaz de explicar a fugacidade ou a perenidade da função. Não é por que é de esquerda ou de direita que dura mais.

Pegando o período um pouco mais civilizado de 1994 até hoje, sob a ótica de uma distribuição de Weibull, a cada mês há uma probabilidade de 2,5% de que um dado ministro da Fazenda brasileiro deixe o cargo.

Veja, 2,5% a cada mês. Os efeitos cumulativos disso são sensacionais.

Isso é o que chamamos de estatística de base. Ou seja, pouco importa se o ministro usa sapato ou chinelo, se leu ou não leu Keynes no original por três vezes. Mesmo antes de a bola rolar, suas pernas já estão cansadas.

Indo um pouco além da estatística de base, preciso mencionar que a desvalorização cambial possui forte correlação com as trocas na Fazenda (sem que isso implique causalidade, obviamente).

Em particular, o aumento em 1 ponto percentual na razão entre câmbio e salário eleva em 8,5% a probabilidade de o ministro deixar o cargo, superando outras variáveis como juros e inflação.

Isso tudo para dizer que qualquer queda substancial da Bolsa brasileira mediante a efetiva saída do PG_1 deve ser encarada como oportunidade de compra.

A partir do momento em que enxergamos que todo ministro da Fazenda já nasceu zumbi, sua troca passa a assumir um status de mera formalidade.

"Ah, Rodolfo, mas e se entrar um idiota no lugar do Guedes?"

Bem, não seria a primeira vez.

E esse pretenso idiota é, também, um idiota zumbi.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Airbus A320

Itapemirim começa a receber aeronaves para voos comerciais após Anac autorizar

A Itapemirim diz que a segunda aeronave Airbus A320 de sua frota deve chegar ao aeroporto de Confins (MG) neste domingo

Efeito reverso

Elon Musk fez piada sobre o Dogecoin na TV aberta — e as cotações desabaram

Elon Musk fez a aguardada participação no SNL no último sábado, fazendo piada sobre si mesmo e falando do Dogecoin — mas a cotação caiu forte

Pesquisa da FGV

Presente mais caro: inflação do Dia das Mães é a maior dos últimos quatro anos

Levantamento da FGV mostra que a inflação no Dia das Mães é a maior desde 2017; eletrodomésticos e passagens aéreas tiveram maiores saltos

Expansão

SPX Capital assume operações do Carlyle no país

As operações do Carlyle no Brasil serão absrovidas pela SPX Capital. Com isso, a gestora de Rogério Xavier se expande em private equity

ESTRADA DO FUTURO

Um pé no abismo e outro na casca de banana: como identificar ações de empresas decadentes

Excesso de otimismo, planos mirabolantes e desprezo pela inovação estão entre as receitas para uma empresa falhar, segundo o gestor que se dedicou a descobrir empresas terríveis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies