Menu
Rodolfo Amstalden
Exile on Wall Street
Rodolfo Amstalden
Sócio-fundador da Empiricus e autor do Programa de Riqueza Permanente
2020-02-12T15:10:49-03:00
Exile on Wall Street

Duas volatilidades pelo preço de uma

It’s all about volatility, ofertada no mercado sob diferentes gêneros, números e graus

12 de fevereiro de 2020
11:35 - atualizado às 15:10
Volatilidade
Imagem: Shutterstock

Alguns se empolgam com Microcaps, outros têm fetiche por Renda Imobiliária.

Há uma curiosa correlação entre motoristas de Honda Fit e indivíduos que organizam happy hour sem álcool para comemorar a nova emissão de Tesouro IPCA+ 2055.

E conheci também quem perdesse tudo (e mais um pouco) vendendo opções de Telemar a descoberto.

Cada um tem sua preferência neste mundo, cada um faz o seu caminho.

No fim das contas, porém, qualquer que seja o ativo a se comprar, estamos comprando uma só coisa: volatilidade.

It's all about volatility, ofertada no mercado sob diferentes gêneros, números e graus.

Se tiramos um dinheiro estático do bolso, é para trocá-lo por ativos de payoff dinâmico. De outra forma, sequer nos daríamos ao trabalho.

Mas quão dinâmico deve ser esse payoff?

Em tese, investidores avessos ao risco escolhem movimentos cuja amplitude seja limitada. 

Já os investidores amantes do risco ignoram as médias e abraçam a variância, a assimetria e a curtose.

Todas essas escolhas e todos esses abraços pressupõem que a volatilidade dos ativos financeiros seja conhecida a priori — o que está longe de ser trivial.

Pela taxonomia, a volatilidade pode ser homocedástica ou heterocedástica. Ou seja, ela pode se comportar como sempre ou pode se transformar como nunca.

Quando escolhemos uma volatilidade histórica e mensurável, estamos apostando em um futuro homocedástico.

No entanto, ao quase meio do caminho, aquele futuro bem comportado de outrora de repente se revolta, assumindo formas heterocedásticas.

Frequentemente, a volatilidade que escolhemos na gôndola não é a volatilidade que levamos para casa.

Tais metamorfoses impossibilitam qualquer transitividade sistemática entre ativos financeiros; a rigor, não há como comparar e ranquear A versus B em termos de volatilidade. O mean-preserving spread é uma grande ilusão.

Ainda que A possa se mostrar demasiado tranquilo em termos de média e variância, B possui qualidades de assimetria e curtose que garantem segurança diante de eventos extremos.

O investidor avesso ao risco escolherá A ou B?

Então vem uma crise, A desaba e B segura a onda.

Dali em diante, as figuras se invertem, de modo que os primeiros momentos estatísticos de A enlouquecem pela marcação a mercado, enquanto seus momentos de terceira e quarta ordem passam a ficar muito mais atrativos.

O único hedge que eu já vi funcionar é ficar comprado em volatilidade heterocedástica, rezando pela sorte ou pelo azar.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Confira os números

Petrobras, Ultrapar, Marfrig, RaiaDrogasil e GPA: os balanços que vão mexer com a bolsa nesta quinta-feira

O dia começa recheado de balanços anuais das companhias listadas no Ibovespa

Recurso da estatal

TRF-4 nega recurso da Petrobras e mantém Odebrecht fora de ação da Lava Jato

No recurso, a estatal buscava o prosseguimento dos réus na ação cível e a manutenção do bloqueio de bens dos executivos

Seu Dinheiro na sua noite

Guedes fora, alta do dólar

Você se lembra de quando o dólar a R$ 4,20 era o grande “patamar psicológico” da moeda americana? Não faz tanto tempo assim, mas esse nível de cotação ficou para trás, e agora parece até um pouco distante. Hoje, o dólar à vista bateu um novo recorde de fechamento. Eu sei que você já leu […]

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

O impasse continua

Após TRT suspender demissões, Petrobras quer negociar desligamentos em fábrica

Encerramento da operação da Ansa é o principal motivo da greve dos petroleiros

Ponto polêmico

Relator mantém trabalho aos domingos na MP do contrato verde e amarelo

Deputado Áureo manteve a permissão para que todos os trabalhadores sejam convocados para trabalhar aos domingos e feriados

Novidade no IR

Programa do IR virá sem dedução da contribuição patronal sobre domésticos

Fim da dedução é a principal novidade para as declarações de IR em 2020

4 a 4

Com placar empatado, julgamento sobre decreto da Petrobras é suspenso no STF

Interrupção se deu diante da ausência dos ministros Celso de Mello e Cármen Lúcia na sessão

Fuga de estrangeiros

Investidor estrangeiro retira R$ 258,518 milhões da B3 no dia 17

Em fevereiro, o saldo acumulado de recursos estrangeiros na Bolsa está negativo em R$ 7,920 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu