Menu
2020-09-07T19:58:49-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Produtos de investimento

Fundos da Carteira Itaú de investimentos atingem R$ 10 bilhões em patrimônio

Lançada no começo do ano para empacotar em um único produto as recomendações de investimento do banco, a família de fundos já conta com 92 mil cotistas

7 de setembro de 2020
7:01 - atualizado às 19:58
Claudio Sanches, diretor de produtos de investimento e previdência do Itaú Unibanco
Claudio Sanches, diretor de produtos de investimento e previdência do Itaú Unibanco. - Imagem: Leo Martins/Seu Dinheiro

Lançada no começo do ano para empacotar em um único produto as recomendações de investimento do banco, a família de fundos Carteira Itaú atingiu no fim de agosto a marca de R$ 10 bilhões em patrimônio líquido e pouco mais de 92 mil cotistas.

Além de permitir ao investidor a compra de toda a carteira recomendada "com um clique" sem precisar se preocupar em mudar as posições mês a mês, o fundo ainda traz agilidade para a equipe do banco fazer mudanças rápidas na alocação quando encontrar alguma oportunidade de mercado.

O rápido crescimento confirma a tendência de busca dos investidores por opções de investimento com rentabilidade diferenciada em meio ao cenário de juros na mínimas históricas. “O investidor amadureceu e está aceitando assumir mais riscos”, me disse Claudio Sanches, diretor de produtos de investimentos e previdência do Itaú.

Voltado ao público com perfil arrojado — a classificação do banco se divide em conservador, moderado, arrojado e agressivo —, o produto está acessível em toda a rede do banco, com aplicação a partir de R$ 1,00 e taxa de administração de 0,90% (máxima de 1,50%).

Além da versão tradicional, que já conta com 68 mil cotistas, a carteira tem opções de previdência (PGBL e VGBL), que contavam com 12.500 cotistas em julho.

Teste na estreia

A Carteira Itaú passou por um duro teste logo depois na estreia com o choque nos mercados provocado pela pandemia do coronavírus. No fatídico mês de março, o fundo amargou uma perda de 7,4%.

Mas o investidor que apostou no produto desde o início não tem do que reclamar. Mesmo com o tombo na crise, o fundo acumula retorno de 4,39% no ano, mais que o dobro do 1,96% do CDI até agosto.

Dentro da estratégia de plataforma aberta adotada desde 2017, a Carteira Itaú investe tanto em produtos do banco como de terceiros.

O que ajudou no desempenho, tanto para evitar perdas ainda maiores no pior momento do mercado como na rápida recuperação, foram as posições em ativos internacionais, segundo o diretor do Itaú.

Pelas restrições da regulação da CVM, o fundo pode manter até 20% dos recursos aplicados no exterior. Para atender à demanda do público que desejava uma exposição maior em ativos lá fora, o banco criou uma versão internacional da carteira, voltado ao chamado investidor qualificado — que possui pelo menos R$ 1 milhão para investir. Mesmo com as restrições, o produto atraiu até o momento 11.500 investidores.

No atual ritmo de crescimento, os fundos podem dobrar de tamanho e alcançar até R$ 20 bilhões no fim deste ano, segundo Sanches. “Não temos meta de captação por produtos, mas esse é um número factível.”

O Itaú ainda avalia criar carteiras para investidores com outros perfis de risco. “Mas precisamos encontrar uma equação de custo que não prejudique o cliente”, afirmou Sanches.

A recomendação para o cliente mais conservador hoje é combinar o investimento no fundo com uma parcela de títulos públicos pós-fixados (Tesouro Selic) para reduzir o risco.

Com a proliferação das opções de investimento nas prateleiras das corretoras e agora também dos bancos, Sanches enxerga soluções como a Carteira Itaú como uma tendência para esse mercado. “Mas não é simples de fazer, nós acertamos agora depois de bastante tempo testando.”

As plataformas de investimento também oferecem o investimento em carteiras recomendadas por especialistas. A Pi, ligada ao Santander, foi uma das primeiras a lançar produtos do tipo, e a Vitreo registrou um forte crescimento com base em produtos baseados em indicações feitas pela casa de análise independente Empiricus.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

É dia de feira?

Maia diz que meta flexível em 2021 é ‘jabuticaba brasileira”

O governo resolveu abandonar uma meta fixa de resultado primário no ano que vem.

A queridinha de Wall Street

Ações da Tesla, de Elon Musk, sobem forte após recomendação do Goldman Sachs

A forte alta anual dos papéis ganhou ainda mais força depois da inclusão da Tesla no S&P 500, a partir de 21 de dezembro.

em busca de recursos

Empresas do agronegócio se preparam para ir à Bolsa; veja candidatas

Seis empresas do segmento já entraram com o pedido na CVM; setor, que há tempos sustenta o PIB brasileiro, vinha distante das ofertas de ações

OTIMISMO

Guedes admite PIB um pouco abaixo do esperado, mas vê economia voltando

Resultado leva Ministério da Economia a defender fim dos auxílios emergenciais adotados durante a pandemia

efeito pandemia

Crise longe do fim? 6 pontos para entender o PIB do terceiro trimestre

Economia cresceu 7,7% no período, segundo o IBGE, abaixo do esperado pelo mercado financeiro – que ignora o resultado no pregão desta quinta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies