Menu
2020-04-02T18:03:43-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Alívio na bolsa

Ibovespa fecha em alta; disparada do petróleo se sobrepõe à cautela com o coronavírus

O Ibovespa subiu mais de 1%, sustentado pelo bom desempenho das ações da Petrobras em meio à forte valorização das cotações do petróleo. O dólar à vista fechou em leve alta e cravou mais um recorde nominal

2 de abril de 2020
18:03
Petróleo mercados Ibovespa dólar
Imagem: Shutterstock

Quem olha apenas para o fechamento do Ibovespa — alta de 1,81%, aos 72.253,46 pontos — pode imaginar que a sessão desta quinta-feira (2) foi relativamente tranquila. Afinal, é cada vez mais raro ver uma oscilação inferior a 2%, para cima ou para baixo, considerando a forte volatilidade vista nas bolsas desde o início do surto de coronavírus.

Mas essa variação 'comportada' não reflete o que foi o pregão de hoje. Desde o início do dia, tivemos um noticiário intenso, com novos elementos nos fronts da pandemia, da agenda econômica e da geopolítica — o que desencadeou reações fortes nos mercados acionários.

O aumento expressivo no número de casos de Covid-19 no mundo, a disparada nos preços do petróleo e o novo aumento expressivo no desemprego nos Estados Unidos: tudo se misturou e culminou numa sessão agitada, em que os fatores positivos se sobrepuseram aos negativos.

  • Eu gravei um vídeo para explicar a dinâmica por trás dos mercados acionários nesta quinta-feira. Veja abaixo:

O ponto-chave foi o comportamento do petróleo: a commodity abriu o dia em alta de cerca de 10% e, ainda durante a manhã, ganhou mais força, chegando a disparar mais de 30%. Ao fim do dia, o WTI para maio teve valorização de 24,67%, a US$ 25,32 o barril, enquanto o Brent para junho subiu 21,02%, a US$ 29,94.

E é claro que, num cenário desses, as ações da Petrobras assumiram o protagonismo da bolsa brasileira: os papéis ON (PETR3) fecharam em forte alta de 8,59% e os PNs (PETR4) avançaram 8,46%.

No exterior, o dia também foi de ganhos nas bolsas: em Wall Street, o Dow Jones subiu 2,24%, o S&P 500 teve alta de 2,28% e o Nasdaq avançou 1,72%; na Europa, as principais praças também terminaram a sessão no campo positivo.

O mercado de câmbio teve um dia relativamente tranquilo: o dólar à vista fechou em leve alta de 0,06%, a R$ 5,2662 — um desempenho pouco expressivo, mas que, ainda assim, representa uma nova máxima nominal de encerramento para a moeda americana.

Trégua no petróleo?

Os investidores já mostravam animação no mercado de commodities desde a noite de ontem, quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse acreditar que Arábia Saudita e Rússia estavam perto de chegar a um acordo sobre a guerra de preços do petróleo "em um futuro não muito distante".

As cotações da commodity começaram a colapsar em março, quando sauditas e russos se desentenderam dentro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Enquanto o governo de Riad queria cortar a produção, adequando-se à menor demanda por causa do surto de coronavírus, Moscou queria manter o ritmo inalterado.

Nesse âmbito, a Arábia Saudita optou por uma estratégia pouco usual: decidiu vender seu próprio petróleo com enormes descontos, de modo a derrubar artificialmente a cotação da commodity e pressionar as finanças da Rússia, obrigando-a a negociar.

Essa estratégia fez o preço do barril de petróleo despencar para níveis inferiores a US$ 20, criando mais um enorme foco de estresse aos mercados em meio à crise do coronavírus.

Assim, as declarações de Trump serviram para injetar ânimo nos investidores — e essa animação aumentou ainda mais por volta de 11h30, quando o presidente americano foi ao Twitter para dar mais detalhes a respeito dessa possível trégua entre sauditas e russos:

"Acabei de falar com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, que conversou com o presidente Putin, da Rússia, e eu espero e acredito que eles vão cortar [a produção de petróleo] em cerca de 10 milhões de barris, talvez muito mais", escreveu Trump. "Se isso acontecer, será ótimo para a indústria de petróleo e gás".

Essa nova declaração fez o petróleo disparar ainda mais, chegando a superar os 30% de valorização — ao longo do dia, perdeu parte da força, mas ainda fechou a sessão com altas expressivas, de mais de 20%.

Apesar de o salto da commodity ter sido expressivo, vale ressaltar que os níveis de preço ainda estão relativamente baixos, na faixa entre US$ 25 e US$ 30 o barril — em abril do ano passado, o petróleo era negociado na faixa entre US$ 60 e US$ 70 o barril.

De qualquer maneira, trata-se de um estímulo importante e um alívio bem vindo num dos focos de tensão dos investidores nos últimos dias — e que ajudou a Petrobras a recuperar parte do terreno perdido recentemente.

Cautela com o coronavírus

Apesar da injeção de ânimo no mercado de commodities, fato é que os investidores continuam bastante receosos quanto aos desdobramentos do surto de coronavírus para a economia global.

Segundo levantamento da universidade americana Johns Hopkins, o número total de infectados pela doença no mundo superou hoje a marca de 1 milhão de pessoas — as mortes já ultrapassam a barreira de 50 mil. No Brasil, já são 7.910 contaminados, com 299 óbitos.

Somou-se a esse quadro preocupante os novos dados desanimadores do mercado de trabalho nos EUA, evidenciando o impacto da pandemia sobre o nível de atividade do país e redobrando a cautela dos agentes financeiros.

Os novos pedidos de auxílio-desemprego na semana encerrada em 28 de março dispararam para 6,648 milhões, quase o dobro dos 3,341 milhões registrados na semana anterior. É um novo recorde histórico e um número muito acima das projeções do Wall Street Journal, de 3,1 milhões.

Juros em baixa

No mercado de juros futuros, o dia foi ajustes negativos na ponta mais curta. Com mais um sinal de que a economia global será fortemente afetada pelo surto de coronavírus, os investidores aumentaram as apostas em um novo corte na Selic e na manutenção das taxas em patamares mais baixos por um período prolongado:

  • Janeiro/2021: de 3,24% para 3,17%;
  • Janeiro/2022: de 4,21% para 4,00%;
  • Janeiro/2023: de 5,39% para 5,37%;
  • Janeiro/2025: de 6,97% para 6,93%.

Top 5

Além da Petrobras, outros papéis de empresas exportadoras, como Suzano ON (SUZB3) e as units da Klabin (KLBN11), também apareceram na ponta positiva do Ibovespa, beneficiados pelo patamar mais elevado do dólar à vista.

As ações de companhias aéreas, como Gol PN (GOLL4) e Azul PN (AZUL4), recuperaram parte das perdas expressivas de ontem. Veja abaixo as maiores altas do índice nesta quinta-feira:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
RENT3Localiza ON26,14+10,30%
CVCB3CVC ON10,25+9,04%
CRFB3Carrefour Brasil ON21,47+8,87%
PETR3Petrobras ON15,43+8,59%
HYPE3Hypera ON29,52+8,49%

Confira também as maiores quedas do Ibovespa:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
VVAR3Via Varejo ON4,38-5,81%
COGN3Cogna ON3,66-5,43%
YDUQ3Yduqs ON20,62-4,98%
MGLU3Magazine Luiza ON35,89-4,24%
JBSS3JBSON20,90-4,00%
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Agenda BC#

BC estende regras para débito automático a contas de pagamento pré-pagas

A diretoria do Banco Central decidiu estender para as contas de pagamento pré-pagas (aquelas cujos recursos devem ser depositados previamente) as regras sobre autorização e cancelamento de débitos em conta que já estavam previstas para contas de depósitos e para contas-salário

Aprovação concedida

Tim e Vivo recebem aprovação da Anatel e do Cade para compartilhamento de rede

Serão compartilhadas infraestrutura de redes móveis para as tecnologias 2G, 3G e 4G

Empresa diz que não comenta

MPT-RS pede interdição de planta da JBS no Estado por surto de coronavírus

A JBS respondeu, sobre a ação civil pública movida nesta quarta, que não comenta processos judiciais em andamento

seu dinheiro na sua noite

Despiorou

Acabou a crise? Nesta quarta-feira, os mercados mantiveram o otimismo dos últimos dias. As bolsas subiram aqui e lá fora, ao mesmo tempo em que o dólar assistiu a mais um dia de alívio, chegando perto dos R$ 5 novamente. Está até difícil entender de onde sai tanto apetite por risco, dado que a pandemia […]

ANÁLISE

Quarentena de pijama? Não, no mundo cripto tem muita coisa rolando

Nas próximas linhas, Helena Margarido vai mostrar a você um mercado que caminha na contramão de todo establishment e permanece com alta demanda em meio à crise atual: a revolução está somente começando.

Ninguém segura

A corrida dos touros: Ibovespa sobe pelo quarto dia e volta aos 93 mil pontos; dólar cai a R$ 5,09

O Ibovespa teve mais um dia de ganhos e chegou ao maior nível desde 6 de março, sustentado pelo otimismo global. O dólar à vista caiu forte, chegando a R$ 5,01 na mínima da sessão

tombo histórico

Abinee reporta queda de 30,3% na produção do setor eletroeletrônico em abril

Essa foi a maior queda verificada na série histórica iniciada no início de 2002, segundo o presidente da entidade, Humberto Barbato

Empresários de comércio e serviços

76% de 400 micro e pequenos empresários esperam queda de faturamento

A pesquisa ouviu empresários dos setores de comércio e serviços. Parcela de 26% dos entrevistados espera recuo de 31% a 50%, enquanto 22% têm expectativa de queda até 30%

Compartilhamento de serviços

Cade nega recurso da Claro e mantém aprovação de operação entre Tim e Telefônica

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) negou recurso apresentado pela Claro contra o aval do órgão a operação de compartilhamento de redes entre a TIM e a Telefônica Brasil

Ajuda financeira

Maia diz ter informação que socorro a Estados e municípios será pago até dia 9

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia afirmou que a primeira parcela do socorro a Estados e municípios deve ser entregue aos entes até a próxima terça-feira, 9

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements