Menu
2019-10-23T11:13:34-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

23 de outubro de 2019
11:08 - atualizado às 11:13
Selo para série preços e taxas do Tesouro Direto com uma sacola de dinheiro com pernas subindo e uma porcentagem caída no chão
Imagem: Montagem Andrei Morais/Shutterstock

As taxas do Tesouro Direto abriram em alta nesta quarta-feira (23). O Tesouro IPCA+ 2024 (NTN-B Principal) é negociado com taxa de 2,25% ao ano mais IPCA, por um valor mínimo de R$ 58,22. O Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050 (NTN-B) é negociado com taxa de 3,32% ao ano mais IPCA e aplicação mínima de R$ 49,18.

Já o Tesouro Prefixado 2022 (LTN) está pagando 4,96% ao ano para quem o comprar nesta quarta-feira, com aporte mínimo de R$ 35,99; finalmente, o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2029 (NTN-F) está remunerando 6,53% ao ano, por valor mínimo de R$ 37,83.

O único Tesouro Selic (LFT) disponível para compra atualmente no Tesouro Direto, com vencimento em 2025, está remunerando Selic + 0,02% para quem o levar até o fim do prazo. A aplicação mínima é de R$ 103,69.

Lembre-se de que essas taxas do Tesouro Direto só são válidas para quem adquirir o título hoje e o levar até o vencimento. Na venda antecipada, o retorno pode ser bem diferente, uma vez que a venda é sempre feita a preço de mercado.

Confira os preços e taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Preços e taxas do Tesouro Direto em 23 de outubro de 2019

Sobre o Tesouro Direto

O Tesouro Direto é o programa do Tesouro Nacional para compra e venda de títulos públicos federais on-line pela pessoa física. O investimento mínimo é de apenas R$ 30, desde que essa quantia não seja inferior a 1% do valor de um título.

Para investir no Tesouro Direto, o ideal é abrir conta em uma corretora de valores que não cobre taxa de administração. Dessa forma, o único custo do investimento, além dos impostos, é a taxa de custódia paga à bolsa, de 0,25% ao ano.

Os títulos públicos federais são os investimentos de menor risco de crédito da economia brasileira, pois são garantidos pelo governo. Mas há risco de mercado, uma vez que há volatilidade nos preços.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

10 notícias para começar o dia bem informado

Eu sempre brinco quando quero fazer uma análise rápida que vou fazer uma “conta de padaria”. É aquela continha simplificada, com papel e caneta, bem como fazem na padaria mesmo: um café e um pão na chapa, 8 reais. Na hora de avaliar se uma ação está cara ou barata, o mercado também tem uma […]

retomada

Inflação avança 0,36% em julho, puxada por gasolina e energia elétrica

Taxa divulgada hoje é a maior para um mês de julho desde 2016, segundo o IBGE; acumulado do ano é de 0,46%

medo do calote

Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander somam R$ 31,5 bi em provisões

Cifra representa mais que o dobro dos ganhos no período: o lucro líquido recorrente foi de R$ 13,5 bilhões de abril a junho, queda de 37,3%

varejo em transformação

Magazine Luiza encaixa ‘última peça’ de ecossistema com novas aquisições

Varejista comprou empresas que produzem conteúdo e publicidade, passo estratégico para a companhia expandir mercado-alvo potencial

de olho nos balanços

Multiplan e Notre Dame Intermédica: os balanços que movimentam o mercado nesta sexta-feira

Ibovespa deve ser influenciado por, entre outros fatores, os números do segundo trimestre das duas companhias

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements