Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-06-21T19:05:40-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Olha só quem abriu seus dados!

Venezuela divulga inflação de “só” 130.060% em 2018, muito abaixo das projeções do FMI

Sobre o PIB, o BC venezuelano divulgou uma retração acumulada de 52,3% desde 2013, quando Maduro assumiu o poder

29 de maio de 2019
15:22 - atualizado às 19:05
Venezuelanos durante protestos na Venezuela
Inflação na Venezuela em 2018 foi a maior de sua história recente - Imagem: Shutterstock

Toda vez que você quiser ficar mais otimista com a situação da economia brasileira, basta olhar para a Venezuela. Depois de 4 anos de hiatos, o Banco Central de lá voltou a divulgar seus principais dados econômicos, e a notícia não foi nada agradável. Em 2018, o país acumulou uma brutal inflação de 130.060%, a mais alta de sua história recente.

O número assusta qualquer pessoa, inclusive os brasileiros que viveram os tenebrosos períodos de inflação na década de 1990. Para você ter uma ideia, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve o auge de sua crise em junho de 1994, quando acumulou alta de 4.922% em 12 meses. Nem se compara, né?

Mas mesmo sendo muito elevados, o fato é que os preços ao consumidor na terra de Nicolás Maduro ficaram bem abaixo das projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI). Em abril, a instituição divulgou uma série de estimativas econômicas e para a Venezuela a previsão era de inflação de 929.789% em 2018 - sete vezes mais do que o resultado oficial.

A própria Assembleia Nacional venezuelana estimava números bem acima dos que foram divulgados. Por lá, a previsão era de que os preços subissem cerca de 1.700.000%.

PIB: um buraco mais embaixo

Nem só de inflação vive a crise venezuelana. A divulgação de dados pelo Banco Central também mostrou uma situação catastrófica sobre o desempenho econômico por lá.

Entre 2013 e 2018, exatamente o período de governo de Maduro, o Produto Interno Bruto (PIB) do país encolheu 52,3%.

Em alguns setores da economia, a situação é ainda pior. A construção, por exemplo, encolheu cerca de 95% em 5 anos. No mesmo período, o comércio registrou retração de 79% e a produção manufatureira, de 76%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

IVAN SANT'ANNA

Ganância, dinheiro e poder – ou por que hoje só invisto em petróleo na hora de encher o tanque do carro

Deixei de operar petróleo e jamais comprarei novamente papéis da Petrobras ou qualquer outra ação sobre a qual o governo tenha influência

O FISCAL ENLOUQUECEU

Com furo no teto, XP e BTG já esperam que a Selic suba 1,5 ponto percentual na próxima semana

A corretora também reviu suas projeções para o câmbio, inflação e PIB deste e do próximo ano

E-commerce de pneus

Cantu Store não se assusta com a farra fiscal e registra pedido de IPO na CVM

A companhia paranaense conta com 26 filiais em 17 unidades federativas e quatro centros de distribuição, além de duas marcas próprias

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Guedes diz que fica, o puxadinho do teto de gastos e outros destaques do dia

Pelo menos um dos temores do mercado teve um desfecho nesta sexta-feira (22) — Paulo Guedes segue sendo o ministro da Economia, e o país não vai passar o fim de semana na incerteza. Após as baixas recentes na equipe econômica, mas o capitão do navio continua firme. Diante de tantas incertezas e a confirmação […]

SUPEROU AS EXPECTATIVAS

Hypera (HYPE3) inicia temporada de balanços com alta de 50% na receita líquida — veja os destaques da farmacêutica no terceiro trimestre

Apoiadas pelo portfólio cada vez maior de medicamentos e pelas vendas aquecidas, outras linhas do balanço também deixaram para trás as projeções

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies