Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-15T19:23:56-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Quando a realidade se impõe

15 de outubro de 2019
19:23
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Groucho Marx dizia que jamais faria parte de um clube que o aceitasse como sócio. Durante muito tempo os brasileiros trataram erroneamente a bolsa de valores como o tipo de clube desprezado pelo lendário comediante. Mas essa realidade começa a mudar.

Quem decidiu ingressar no clube da renda variável no início do ano obteve um retorno de quase 19% no período. O número chama ainda mais a atenção se compararmos com os 4,88% do CDI – o indicador de referência das aplicações de renda fixa.

É natural que o bom desempenho da bolsa e a rentabilidade minguada das aplicações tradicionais atraia cada vez mais pessoas para o mercado de ações. Em setembro, o número de CPFs na B3 atingiu pela primeira vez a marca de 1,4 milhão – sem contar os investidores via fundos.

Quem entra agora espera que o futuro pelo menos repita o passado, ainda que os retornos passados não sejam garantia de ganhos lá na frente.

Mas é claro que se você está lendo esta newsletter é porque deseja pelo menos ter uma boa pista do que pode acontecer com a bolsa.

O melhor lugar para conseguir a resposta é ouvir quem está colocando dinheiro – no caso, os gestores de fundos. O Bank of America Merrill Lynch faz todos os meses uma pesquisa para saber o que eles esperam para os investimentos.

Sobre a bolsa, a empolgação dos gestores já foi bem maior. Em julho, 87% deles esperavam que o Ibovespa encerrasse o ano acima dos 110 mil pontos. No levantamento mais recente, apenas 47% mantiveram a projeção.

Mas nem de longe isso significa uma redução do otimismo dos gestores com as perspectivas para o mercado de ações. O Eduardo Campos teve acesso aos principais números da pesquisa e conta para você o que os tubarões do mercado esperam (e planejam) para a bolsa.

Com uma ajuda dos amigos

A bolsa teve hoje mais um pregão para contrariar os céticos. Quem acompanhou o desempenho das ações no começo da semana passada não acreditaria que teríamos uma sequência de cinco altas consecutivas. Com mais uma ajuda do cenário externo, o Ibovespa levantou o caneco do penta nesta terça-feira com uma alta de 0,18%. O dólar, porém, voltou a subir e rompeu o patamar de R$ 4,16. Quem traz todos os detalhes sobre o comportamento dos mercados hoje é o Victor Aguiar.

Vende primeiro, cobra depois

Essa é a ideia do presidente da Câmara dos Deputados quando o assunto é privatização da Eletrobras. Segundo Rodrigo Maia, a melhor alternativa para a estatal de energia é ser vendida e, posteriormente, cobrar investimentos do novo dono. O apoio de Maia é importante porque a maior resistência para a privatização da empresa mora hoje justamente no Congresso. Além da Eletrobras, o deputado fez declarações sobre a reforma administrativa , tema que o governo colocou no radar e começa a ganhar os holofotes em Brasília.

Esqueça os impostos!

Com o impasse formado em torno da reforma tributária, as mudanças na pesada máquina do Estado deveriam se tornar prioridade para o governo. A afirmação é de alguém que já se sentou na cadeira de ministro da Fazenda. Estou falando de Eduardo Guardia, que assumiu o comando da área de gestão de fundos do BTG Pactual depois que saiu do governo. Ele recebeu hoje alguns jornalistas na sede do banco para uma entrevista coletiva. A Bruna Furlani esteve lá e conta para você tudo o que disse o ex-ministro.

Dinheiro no bolso

Não é qualquer companhia que consegue levantar mais de US$ 2 bilhões em um IPO na bolsa de Nova York. E foi justamente essa marca que fez da oferta inicial de ações da PagSeguro um sucesso de 2018. Mas a empresa de maquininhas de cartão agora pegou o mercado no contrapé ao anunciar que os controladores pretendem vender uma parte de suas ações em uma nova oferta. Eu conto para você por que a notícia derrubou as ações da companhia em mais de 10%.

Um gesto para o futuro

Se no mês passado Apple agitou o mercado com as novidades da sua linha de produtos, agora foi a vez do Google mostrar porque disputa com a empresa da maçã o protagonismo da vanguarda tecnológica. A companhia promoveu hoje um evento em Nova York para apresentar o Pixel 4, seu novo smartphone que permite, entre outras coisas, o controle por meio de gestos - sem a necessidade de tocar a tela. Como não poderia deixar deixar de ser, a companhia aproveitou ocasião para mostrar outras novidades.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

*Colaboração Fernando Pivetti.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

no prelo

Biografia: autor de livro sobre Steve Jobs escreverá sobre Elon Musk

Segundo o bilionário, o autor Walter Isaacson o seguiu por vários dias para recolher material para o novo livro

ONDE INVESTIR EM AGOSTO

Onde investir em agosto de 2021: ações de tecnologia, o coração do bitcoin e um combo de ‘retorno absoluto’; veja recomendações

O CIO da Vitreo, Jojo Wachsmann, separou as três melhores pedidas para investidores no mês de agosto; Confira

fique por dentro

Selic hoje está em 5,25% ao ano; entenda em 5 pontos a alta dos juros

Banco Central está subindo a taxa básica de juros a quatro reuniões; a autoridade monetária já contratou mais um ajuste; entenda as razões e como ela afeta sua vida

Privatização dos correios

Câmara dá início à sessão que discute privatização dos Correios; acompanhe

A venda da estatal está prevista no Projeto de Lei 591/21, do Poder Executivo; a proposta permite a transformação dos Correios em empresa de economia mista

Alta (segura) dos papéis

Parceria com o Grupo Caoa faz ações da seguradora Wiz (WIZS3) subirem mais de 5%; confira detalhes do acordo

A empresa celebrou uma parceria comercial contratual com prazo de vigência de 12 meses com a Caoa Corretora de Seguros, por meio de sua controlada Wiz Conseg

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies