Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
2019-10-14T14:37:45-03:00
tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Qual seu conselho para Renner, Itaú, Ultrapar e Localiza?

26 de agosto de 2019
10:00 - atualizado às 14:37
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Quando conversei pela primeira vez com José Galló, executivo que presidiu a Lojas Renner por cerca de 20 anos, a ação da empresa perdia mais de 60% no ano. Era novembro de 2008, a crise americana do subprime pesava na bolsa e já abalava os negócios no Brasil. Eu era repórter da Folha de S. Paulo e Galló me explicou o plano para preservar o caixa da empresa e enfrentar a crise.

Anos depois, desta vez pelo Estadão, estive em Porto Alegre para uma nova entrevista com Galló. O cenário era totalmente diferente: a Renner se preparava para fazer o seu maior investimento até então para modernizar e ampliar suas lojas.

Na primeira entrevista com Galló, em 2008, a ação da Lojas Renner valia R$ 1,57, na segunda, em 2012, valia R$ 8,90. Na última sexta-feira, o papel da companhia valia R$ 48,05.

Foi sob o comando dele que a Renner virou uma queridinha da bolsa. Tanto que sua sucessão foi um evento acompanhado com lupa por analistas de mercado. A troca de comando ocorreu em abril deste ano e desde então Galló é presidente do conselho de administração da varejista.

Na nova função, Galló se dedica a pensar o futuro da empresa e orientar a diretoria para conduzir a companhia no rumo certo. Além da Renner, ele também está no conselho de administração de outras três empresas: Itaú Unibanco, Ultrapar e Localiza.

Galló recebeu a repórter Daniele Madureira para uma conversa em Porto Alegre para a série “Os Conselheiros”, que mostra o trabalho invisível dos chefes dos CEOs. Confira a entrevista completa.

José Gallo, presidente do conselho de administração da Lojas Renner

A Bula da Semana: guerra comercial domina os mercados

A última semana do mês começa com os mercados financeiros globais ainda sob impacto da escalada da guerra comercial. Os investidores não sabem o que esperar da disputa entre China e Estados Unidos e há ainda o temor de recessão da economia americana. Por isso, merece atenção a divulgação do PIB dos EUA na quinta-feira. No mesmo dia, os investidores também conhecerão os dados sobre o desempenho da economia brasileira no segundo trimestre.

Na sexta-feira passada, Wall Street já estava fechada quando Donald Trump anunciou o aumento de 10% para 15% da tarifa de importação sobre US$ 300 bilhões em produtos chineses. A reação a todo esse noticiário começou hoje nas bolsas asiáticas: Tóquio e Hong Kong recuaram mais de 2%, enquanto Xangai cedeu pouco mais de 1%. Mas os índices futuros das bolsas de Nova York tentam construir um cenário otimista para o dia e exibem ganhos. Hoje, aliás, o presidente dos EUA, disse que vai retomar o diálogo com a China em breve.

Para ter um panorama dos principais eventos que vão mexer com a bolsa nos próximos dias, acesse a edição semanal da Bula do Mercado. É um conteúdo gratuito, exclusivo para os leitores Premium. Para acessá-lo é preciso apenas fazer um cadastro aqui e indicar esta newsletter para cinco amigos. Os conteúdos serão liberados assim que eles aceitarem o convite.

Na sexta-feira, o Ibovespa caiu 2,34%, para 97.667,49 pontos. O dólar à vista subiu 1,14%, a R$ 4,1246. Consulte a Bula do Mercado para saber o que esperar de bolsa e dólar hoje.

À espera do PIB

Por aqui, enquanto o PIB não é divulgado, o mercado fica com as projeções atualizadas do boletim Focus. A expectativa é que a economia brasileira cresça 0,80% neste ano, segundo a publicação do Banco Central que reúne estimativas de economistas divulgada há pouco. O número é um pouco abaixo do esperado na semana anterior (0,83%). A projeção para a Selic no fim de 2019 permanece em 5% ao ano. Saiba mais.

 

O clubinho dos ricos de olho no Brasil

O Brasil não está no G7, mas é um dos assuntos do evento que reúne desde sábado as sete maiores economias do mundo. Quem colocou o Brasil na pauta foi o presidente da França, Emmanuel Macron, que chamou atenção para as queimadas na Amazônia. Os chefes de estado concordaram que é preciso ajudar as nações afetadas pelos incêndios florestais. Mas não houve qualquer sanção anunciada ao Brasil e ainda não foram divulgados todos os detalhes sobre como será a ajuda. Por aqui, aliás, já são sete os Estados que pediram o apoio das Forças Armadas para o combate ao fogo.

A nova de Zuck


O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, vendeu 1,6 milhão de papéis da empresa, que somam US$ 296 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão), em agosto. Zuck está abandonando o barco? Nada disso… A operação segue um movimento iniciado pelo empresário no ano passado, mas não afeta o seu poder de decisão dentro da companhia. Saiba o que está por trás da venda de ações do Facebook por Zuckerberg.

Um grande abraço e ótima segunda-feira!

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Novos dados

Brasil tem 374.898 casos confirmados e 23.473 óbitos de covid-19

Até o momento, 153.833 pacientes estão recuperados da covid-19

seu dinheiro na sua noite

Descompressão geral

Caro leitor, Hoje foi dia de alívio geral nos mercados brasileiros, em continuidade ao movimento iniciado no mercado futuro na última sexta-feira, após a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril. O entendimento do mercado é de que não havia fatos novos no vídeo que pudessem trazer mais preocupações à governabilidade, e […]

Olho no balanço

Magazine Luiza tem lucro líquido de R$ 30,8 milhões no 1T, em queda de 77%

Empresa estima que as lojas físicas deixaram de vender cerca de R$ 500 milhões nos últimos dias de março com o fechamento pelas medidas de isolamento social

Concessões rodoviárias

Ministro volta a afastar prorrogação de rodovias perto de fim da concessão

Aumentar o prazo de concessão é uma das formas de o governo reequilibrar contratos que foram afetados pela pandemia do novo coronavírus

Mudança de foco

Após 3 anos, CPFL deixa mercado de geração distribuída solar residencial

Grupo, controlado pela estatal chinesa State Grid, optou por focar os seus esforços no mercado de GD solar para grandes consumidores por meio da CPFL Soluções

Ex-ministro da Fazenda

Reabertura da economia não está para ser anunciada na Grande SP, diz Meirelles

O secretário da Fazenda e do Planejamento do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles, disse nesta segunda-feira, 25, que o governo estadual “não está para anunciar” uma reabertura da economia na Região Metropolitana de São Paulo

Mercados tranquilos

Alívio generalizado: Ibovespa dispara e dólar cai a R$ 5,45 na sessão pós-vídeo

O Ibovespa foi às máximas desde 10 de março e o dólar à vista chegou à menor cotação em maio. Os investidores aproveitaram o feriado nos EUA para focar nas questões domésticas — com destaque para o vídeo da reunião ministerial, divulgado no fim da tarde de sexta

Presidente falou hoje

Bolsonaro atribui imagem ruim à ‘imprensa mundial de esquerda’

A declaração foi dada na manhã desta segunda-feira, 25, a uma apoiadora que o recomendou usar a Secretaria Especial de Comunicação para fazer propaganda positiva

otimismo apesar de covid-19

Vamos arrebentar na venda de aeroportos, vamos conseguir vender todos, diz ministro

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, demonstrou nesta segunda-feira, 25, otimismo com os próximos leilões de aeroportos, mesmo diante da pandemia, que afeta bruscamente a aviação civil

Dados de hoje

Déficit da balança brasileira na 3ª semana de maio foi de US$ 701 milhões

A balança comercial brasileira registrou déficit comercial de US$ 701 milhões na terceira semana de maio (de 18 a 24), de acordo com dados divulgados hoje

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu