Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2019-08-02T19:17:20-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Método na loucura

2 de agosto de 2019
19:17
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Que tal um joguinho de pôquer nesta sexta à noite? Eu nunca fui de jogar baralho, mas tive um namorado na adolescência que era o rei da lábia e da linguagem não verbal. Ele me ensinou as manhas do blefe no pôquer, no War e em outros jogos de viagem com a galera em que ser um bom ator e detectar as mentiras dos outros às vezes é mais importante do que a mão que você tem.

Esse ex-namorado me ajudou muito a aprimorar minhas habilidades sociais e ler melhor as pessoas, mas confesso que nunca fui tão boa nos jogos de estratégia e blefe quanto ele, que era praticamente um Frank William Abagnale Jr. (o ex-vigarista interpretado pelo DiCaprio em “Prenda-me se for capaz”). Enquanto ele e nossos amigos apostavam e brigavam em torno da mesa do churrasco, eu e as outras meninas preferíamos passar a tarde comendo bolo e tomando café. Bons tempos.

Quem anda jogando muito pôquer ultimamente é o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Os outros jogadores da mesa são o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, e os chineses. A nova rodada ocorreu nesta semana. Depois de reclamar de Powell no Twitter pelo corte de apenas 0,25 ponto percentual nas taxas de juros, Trump foi lá e taxou mais produtos chineses, convulsionando os mercados globais.

Mas o que pode parecer loucura de um presidente excêntrico e inconsequente é, na realidade, parte da sua estratégia para conseguir o que quer nesse jogo de pôquer - ou truco, dada a veemência das falas de Trump. Há método na loucura, como escreveu meu colega Eduardo Campos, o autor da analogia lúdica. Recomendo muito a leitura da análise dele.

Bendito balanço!

A tempestade estava armada para atingir em cheio a bolsa nesta sexta-feira, com a guerra comercial entre Estados Unidos e China voltando ao protagonismo e deixando os investidores aflitos e na defensiva. Não fosse um pequeno detalhe: o resultado trimestral da Petrobras. Peso-pesado no Ibovespa, a estatal subiu forte e levou com ela o principal índice da B3, que contrariou geral e fechou em alta de 0,54%. Na semana, porém, o Ibovespa teve desempenho negativo, enquanto o dólar se aproximou novamente do patamar de R$ 3,90, como mostra o Victor Aguiar na cobertura de mercados.

Longa lista de compras

Quem está com o carrinho pronto para as compras no Brasil é a gigante japonesa Mitsui. O grupo está à solta no mercado e avalia uma série de potenciais investimentos no país. Nesse cardápio tem de tudo: de energia a hospitais. E quem está tentando aproveitar para fechar negócio é justamente a Petrobras, que negocia com os japoneses a venda da sua participação em uma gigante do setor de gás.

E por falar em venda…

A Petro está à todo vapor na missão de se desfazer de ativos pouco interessantes para o seu negócio. A bola da vez são as refinarias, e a diretoria planeja se desfazer de mais quatro delas nos próximos dois anos. E tudo isso é uma ótima notícia para quem investe em ações da estatal, já que o programa de venda de ativos rendeu, somente no 2º trimestre, um total de R$ 21,2 bilhões.

A maior da história?

No embalo das vendas, quem também resolveu se desfazer de uns ativos por aí foi Jeff Bezos. O CEO da Amazon promoveu o que pode ter sido a maior venda de ações da história da companhia. No total, cerca de US$ 1,8 bilhão foram negociados na bolsa de Nova York. O motivo da venda ainda não está claro, mas quando o dono da empresa se desfaz das suas ações, os investidores não costumam gostar muito. Mas já sabemos que, junto com essa operação, Bezos também transferiu uma parte das suas ações à sua ex-mulher, MacKenzie. Saiba como ficou o patrimônio do homem mais rico do mundo nesta matéria da Bruna Furlani.

O juro caiu e você #sextou

Semana acabando e eu não poderia deixar de fechar esta newsletter sem o já tradicional happy hour do Seu Dinheiro. No podcast Touros e Ursos de hoje, eu, o Victor Aguiar e o Edu Campos comentamos os efeitos do corte de juros pelo Copom na última quarta-feira, desde como isso afeta os seus investimentos até os próximos passos dos bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos. Também falamos sobre os melhores investimentos do mês de julho, a liberação dos saques do FGTS e os balanços corporativos que foram divulgados nesta semana. Aperte o play e bom fim de semana!

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

em busca de energia limpa

Criptomoedas: Elon Musk diz que Tesla vendeu 10% do que detinha em bitcoin

Segundo executivo, operação prova que a criptomoeda poder ser liquidada facilmente “sem mover o mercado”

imunização

Governo de São Paulo adianta em 30 dias vacinação contra a covid-19; veja novas datas

Plano é vacinar toda a população adulta do estado, ao menos com a primeira dose, até o dia 15 de setembro

luto

Ex-presidente do BC Carlos Langoni morre de covid-19 no Rio

Carlos Langoni trabalhou no governo na virada das décadas de 1970 e 1980, quando foi presidente do BC; ele colaborou com a equipe econômica do ministro Paulo Guedes, quase 40 anos depois

nos eua

Nova ‘ação meme’? Orphazyme dispara quase 1400% em um dia e mercado não sabe por quê

Investidores da empresa aguardam uma importante atualização sobre um tratamento experimental para a doença de Niemann-Pick; sem novidades, mercado não sabe a razão da alta

entrevista

Superávit primário pode voltar em 2024, diz secretário do Tesouro

Jeferson Bittencourt diz que a melhora no quadro fiscal do País não é “sorte”; confira a entrevista

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies