Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2019-08-06T19:20:33-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Atenção, volatilidade à frente

6 de agosto de 2019
19:20
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

O drama da guerra comercial entre Estados Unidos e China não chegou ao fim, longe disso. Nesta terça-feira, o assunto continuou no radar dos mercados que, por aqui, ainda estão muito à mercê do cenário internacional.

Apesar de as discussões acerca da reforma da Previdência estarem retornando nesta semana, o tema ainda não engrenou o suficiente para voltar a centralizar as atenções dos investidores domésticos.

Hoje, por exemplo, a bolsa brasileira novamente seguiu o clima do exterior que, desta vez, foi diametralmente oposto ao de ontem. As ações viram forte alta, num movimento de recuperação depois do tombo de segunda-feira.

Comportamento típico dos mercados. Uma forte reação a algum acontecimento, seguida de uma correção depois que os ânimos se assentam e os investidores são capazes de avaliar melhor o que está se passando. Atira primeiro e pergunta depois.

Ainda não dá para saber se foi apenas uma depressão no caminho do Ibovespa, ou se a estrada adiante está muito esburacada. Mas o mais provável é que a guerra comercial ainda renda umas boas trepidações. Pelo menos é isso que esperam os tubarões do mercado, que veem muita volatilidade adiante com essa história.

O Victor Aguiar, que segura na sua mão nessa viagem pela bolsa, traz os detalhes sobre o pregão de hoje, as novidades no front da guerra comercial e tudo que mexeu com os mercados nesta terça.

Arco-íris por trás da nuvem

O acirramento da guerra comercial entre Estados Unidos e China, porém, não é sinal apenas de tempestade. Pelo menos é nisso que acredita o CEO da Franklin Templeton no Brasil, uma gigante mundial em gestão de investimentos. Para Marcus Gonçalves, toda essa volatilidade gerada pelas disputas tarifárias e os discursos inflamados também está carregada de oportunidades para quem pensa em diversificar a carteira. A Bruna Furlani esteve hoje no segundo dia de um evento fechado para investidores e traz as visões do gestor nesta matéria.

Me dá um prazo aí

Ao ser questionado sobre a inclusão de Estados e municípios na reforma da Previdência, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, resolveu soltar datas. Afirmou que a “PEC paralela” - a saída encontrada para conseguir englobar os entes no projeto - deve ser aprovada no plenário da Casa em até 15 dias . O prazo é bastante otimista, tendo em vista a polêmica que o assunto causou durante as discussões da reforma na Câmara. Enquanto isso, governadores correm para fechar seus pontos dentro de outra importante reforma: a tributária. Saiba todos os detalhes em jogo neste texto.

Tudo na paz

Enquanto a guerra comercial corre solta lá fora, aqui no Brasil o Banco Central parece tranquilo. Quem diz é o presidente da entidade, Roberto Campos Neto. Para ele, o cenário externo está mais conturbado, mas nada que atrapalhe os planos de longo prazo do BC quando o assunto é juros.

Campos Neto também aproveitou sua fala em evento na manhã de hoje para explicar a importância da agenda de reformas microeconômicas da entidade, que não rende muita manchete nem holofote, mas é um “trabalho de formiguinha” de suma importância para botar nossa economia de volta nos trilhos. Quem acompanhou os pormenores da apresentação do presidente do BC foi o Eduardo Campos, e ele conta tudo para você aqui no Seu Dinheiro.

E o parabéns

Quem está de aniversário hoje é a fabricante de ônibus Marcopolo. E o que poderia ser melhor para comemorar seus 70 anos do que um belo balanço trimestral? A empresa mandou bem no segundo período do ano e trouxe resultados acima do esperado, a começar pelo lucro líquido, que deu um salto e atingiu R$ 90,9 milhões na comparação anual. Quem também entrou na festa foi o investidor, que foi às compras e jogou o preço da ação lá em cima. O resultado desse movimento todo o Victor Aguiar te conta nesta matéria.

Eike e o mistério da caixa-preta

Podia ser o título de mais um sucesso cinematográfico, exibido em mais de 200 países em várias línguas. Mas é apenas Eike Batista prestando esclarecimentos sobre empréstimos contraídos pelo seu grupo empresarial, o EBX, junto ao BNDES. Eike soltou o verbo na CPI do banco no Congresso e falou que, por ter muita exposição na mídia, está sendo usado para desviar a atenção das verdadeiras caixas-pretas do BNDES . E ainda deu uma pancada na Odebrecht. O Edu Campos passou a tarde na comissão e traz todos os detalhes do depoimento do empresário.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

em meio à crise

GPA tem alta de 150% no lucro, com melhora operacional no Brasil

Cifra atingiu R$ 386 milhões; Assaí apresentou faturamento de R$ 10,1 bilhões, incremento de R$ 2,5 bilhões contra o ano anterior

Números fortes

Vale tem lucro líquido de US$ 2,9 bilhões no 3º tri, alta de 76% na comparação anual

Lucro líquido cresceu quase 76% em relação ao terceiro trimestre do ano passado; Ebitda ajustado chegou a mais de US$ 6 bilhões

Análise

O mercado trucou, e o Banco Central mandou descer ao bancar juro baixo

Emparedado pelo repique da inflação e pelo aumento do risco fiscal, o BC foi inflexível e sustentou o “forward guidance”, a sinalização de que a Selic permanecerá baixa por um longo período

Acelerou

Bolsonaro assina sanção da lei que prorroga incentivos para setor automotivo

A sanção do projeto, assinada por Bolsonaro, deve ser publicada até esta quinta-feira, 29, no Diário Oficial da União (DOU).

o pior já passou?

Petrobras tem prejuízo de R$ 1,5 bilhão no terceiro trimestre, com adesão a anistias tributárias

Analistas esperavam prejuízo de R$ 4,15 bilhões; após baixa com a pandemia, estatal aumentou a participação de mercado e manteve um patamar alto de exportações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies