Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
Dados da Bolsa por TradingView
2019-03-11T20:15:29-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

A verdade está lá fora

Afinamento do discurso e gás na reforma da Previdência animaram os investidores neste começo de semana. Mas até quando?

11 de março de 2019
20:15
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O mercado quer acreditar. A frase que marcou a série Arquivo X (adaptada ao nosso contexto) é uma das mais citadas nas reuniões de pauta aqui do Seu Dinheiro para justificar o comportamento dos investidores desde que Bolsonaro despontou como favorito nas eleições presidenciais.

Na série que passava na Record e na Fox nos anos 1990, os agentes Fox Mulder e Dana Scully investigam casos envolvendo fenômenos paranormais, muitas vezes vencendo as resistências dentro do próprio FBI.

Na nossa versão de Arquivo X, Bolsonaro apareceu nas primeiras temporadas do lado das corporações que rejeitavam temas como a reforma da Previdência e privatizações.

Mas o capitão evoluiu e, desde que apresentou Paulo Guedes como o seu “posto Ipiranga” para assuntos econômicos, o mercado passou a acreditar na viabilidade do governo.

Foi esse otimismo que tirou o Ibovespa dos 74 mil pontos em meados de setembro passado para os quase 100 mil de agora.

Só que a confiança deu uma desgastada ao longo do mês passado, quando Bolsonaro escondeu a chamada nova Previdência de seus tuítes, e quase desandou no Carnaval depois do episódio do “golden shower”.

Mas bastou o governo retomar o caminho de articulação no Congresso e Paulo Guedes reaparecer nos holofotes para o mercado voltar a acreditar. E não se trata apenas de discurso já que, na linguagem do mercado, acreditar significa colocar dinheiro.

Foi esse dinheiro na compra de ações que fez o Ibovespa dar um salto de quase 3% hoje. O cenário externo mais favorável também ajudou a reduzir a pressão sobre o dólar. Saiba tudo o que movimentou os mercados nesta segunda-feira na nossa cobertura.

Água debaixo da ponte

Outra frase conhecida de Arquivo X é: “não confie em ninguém”. Apesar do clima de otimismo generalizado hoje, em termos práticos, nada de novo aconteceu desde o fim da semana passada. Os pontos polêmicos da reforma da Previdência são os mesmos, as dificuldades na articulação são as mesmas e os problemas do governo também. Ou seja, ainda tem muita água para passar debaixo dessa ponte. O Eduardo Campos fez uma análise sobre os passos que o governo ainda precisa dar para transformar a confiança dos investidores em realidade. Vale a leitura.

Cortes nobres no ar...

Ao fazer uma proposta de US$ 105 milhões pelos ativos da Avianca, a Azul não mirou apenas os céus. A empresa aérea na verdade está de olho no grande filé do mercado aéreo brasileiro: os espaços nos aeroportos de Congonhas e Santos Dumont, nos centros de São Paulo e do Rio. A Marina Gazzoni, que já havia cantado a bola desse negócio desde que a Avianca entrou em recuperação judicial, traz para você os bastidores da negociação que pode mudar o jogo de forças no setor no país.

...e mistérios também

A queda do avião da Ethiopian AirLines chocou todo mundo e deixou uma gigante incógnita no ar: qual é a do Boeing 737 Max 8? Um dos modelos mais recentes da fabricante de aeronaves teve uma segunda queda em poucos meses e abriu espaço para uma série de dúvidas em relação à sua eficiência e segurança. Foi pensando nesse dilema que a Boeing vai enfrentar agora que o Ivan Sant’Anna, especialista no assunto, escreveu a coluna desta semana.

Trem com açúcar

Os investidores se jogaram como formiga no açúcar sobre a oferta de debêntures da Rumo, encerrada na semana passada. Foram R$ 600 milhões captados com a emissão, acima dos R$ 500 milhões previstos inicialmente. A taxa de juros que a empresa ferroviária vai pagar ficou em IPCA mais 4,50% ao ano, abaixo do teto de até 5,05% ao ano. Embora menor, o rendimento ficou acima do título público com prazo semelhante, e ainda por cima é isento de imposto de renda. Saiba mais sobre a oferta.

Sozinha no leilão

Ninguém apareceu para brigar, então a CCR colocou a linha 15 do monotrilho de São Paulo no bolso e levou para casa. O consórcio ViaMobilidade 15 venceu o leilão de concessão da linha realizado nesta segunda-feira, por um valor de outorga de R$ 160 milhões. Com isso, a CCR passa a controlar uma linha que tem tudo para ser vital dentro da malha de transportes da capital paulista. Os detalhes você confere aqui.

Dia 69 de Bolsonaro - Entre a nova e a velha política

O fim de semana e a segunda-feira foram de repercussão do que parece ter sido uma mudança na estratégia de comunicação e de postura do presidente Jair Bolsonaro com relação à reforma da Previdência. No fim da semana passada, o presidente se manifestou em suas redes sociais e em live no “Facebook” sobre o tema. No sábado, recebeu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), onde fez um importante movimento, liberando a... (leia mais)

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

O futuro está no céu

A acirrada corrida pelo ‘carro voador’

Além de chamar a atenção no mercado de capitais, as startups de “carros voadores” estão atraindo talentos e parceiros de setores mais tradicionais da economia

XP anuncia investimento na edtech Resilia

A Resilia é uma edtech que combina tecnologias que potencializam o aprendizado individualizado e em comunidade com um método de ensino que capacita potenciais talentos de uma forma mais rápida para o mercado digital

Análise

Investir em ações de banco ainda é uma boa? Veja 3 motivos que deixam a XP Investimentos cautelosa

Se no ano passado a postura era otimista, agora os analistas do setor financeiro da XP estão mais cautelosos, já que o cenário é de preços elevados dos ativos e uma concorrência e intervenções regulatórias preocupantes.

REFORMA TRIBUTÁRIA

PIB pode crescer 1,6% com redução de IR para empresas, indica estudo

O cálculo de 20% teve como base comportamento das empresas depois de um dos maiores aumentos na alíquota do imposto sobre dividendos no mundo – na França, em 2013, de 15,5% para 46%

ESG

‘Equidade racial se tornou prioridade dentro da Vivo’, diz presidente

Dentro da extensa agenda ESG, que concentra ações ambientais, sociais e de governança, a Vivo aposta na equidade racial

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies