Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-11-13T19:16:39-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

A quarta-feira 13 da Via Varejo

13 de novembro de 2019
19:16
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Assim como no cinema, as histórias das empresas com ações na bolsa podem ser divididas em vários gêneros, para todos os gostos.

Existem as comédias, estreladas por aquelas companhias que vivem arrancando sorrisos de seus acionistas com crescimento das operações e do lucro.

Temos também os faroestes, de empresas em setores que enfrentam forte competição. E os grandes dramas, de quem luta para evitar a decadência em meio ao avanço da tecnologia.

Eu classificaria a história da Via Varejo como uma daquelas de superação. A empresa dona das Casas Bahia e do Ponto Frio ficou para trás na disputa pelo consumidor, em especial no comércio eletrônico. Mas a situação começou a mudar com a volta do empresário Michael Klein ao comando.

Na expectativa de que a Via Varejo venha a se tornar um blockbuster como é hoje o Magazine Luiza, os investidores correram para as ações da companhia, que acumulam alta de quase 60% só neste ano.

Só que esse enredo ameaçou virar um filme de terror nesta quarta-feira 13, depois que a Via Varejo informou ter recebido denúncias anônimas sobre supostas irregularidades contábeis nos balanços.

A companhia fez a ressalva de que já criou um comitê independente para investigar a denúncia e que até agora não encontrou problemas. De todo modo, a notícia assustou, e muito, os investidores.

Na mínima do dia, as ações da Via Varejo foram negociadas em queda de mais de 9%. Mas foram se recuperando gradualmente e até que encerraram o dia bem, diante das circunstâncias.

É claro que, como em todo filme de terror, o da varejista abre margem para uma continuação. Por isso eu recomendo que você conheça os detalhes dessa história, na matéria escrita pelo Victor Aguiar.

Na máxima no ano

As turbulências no cenário político no Brasil e nos países vizinhos continuam pesando sobre os negócios na B3. A volta da incerteza sobre o avanço das negociações entre Estados Unidos e China também pesou e por pouco não colocou o Ibovespa abaixo dos 106 mil pontos. Nessa toada, o dólar voltou a subir e alcançou a cotação máxima no ano. As aflições dos investidores e o dia-a-dia das negociações você confere na nossa cobertura de mercados.

Ações e dólar no mesmo prato

Em momentos de maior tensão, nada como saber a visão dos tubarões do mercado. A gestora SPX, por exemplo, já esperava pela valorização do dólar e tinha posição comprada na moeda americana no fim de outubro. Mas o fundo pilotado por Rogerio Xavier também possui ações na carteira, ainda que em setores específicos, de acordo com a carta mensal divulgada nesta semana. O Edu Campos analisou o documento de traz todos os detalhes para você.

Tudo junto…

...e misturado. Tentando se posicionar na grande disputa com as plataformas de investimentos, o Bradesco trouxe novidades sobre sua estratégia. O banco vai concentrar todos os seus serviços de corretora no varejo na plataforma Ágora. E esse deve ser só um dos primeiros passos para que o bancão coloque em prática o principal de lançar sua “Casa de Investimentos”. Confira os detalhes nesta matéria.

Com o pé esquerdo

Não sou muito de superstições ou ditos populares, mas o fato é que o primeiro balanço da C&A depois da abertura de capital marcou um começo com o pé esquerdo da varejista na bolsa. O resultado veio recheado de informações que não agradaram ao investidor, seja pela queda de 40,5% no lucro ou pelo recuo na margem líquida. A Bruna Furlani analisou os principais números da C&A e mostra para você os motivos para a forte queda das ações hoje na B3.

Cheia de energia

Para não dizer que não falei de flores, nem todos os balanços que foram divulgados entre ontem e hoje foram mal recebidos pelo mercado. Que o diga a Copel. A estatal paranaense de energia apresentou resultados trimestrais muito acima do esperado por analistas. A possibilidade de venda de ativos da companhia também animou os investidores. Confira nesta matéria do Kaype Abreu o que dá para esperar ainda da empresa e os principais números do balanço.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

comércio eletrônico

Desde o início da pandemia, e-commerce brasileira já ganhou 135 mil lojas

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), desde o início da pandemia mais de 135 mil lojas aderiram às vendas pelo comércio eletrônico para continuar vendendo e mantendo-se no mercado

atualização dos dados

Brasil tem 1,66 milhão de casos confirmados do novo coronavírus

Foram 1.254 novas mortes e 45.305 novas pessoas infectadas registradas nas últimas 24 horas, conforme atualização do Ministério da Saúde divulgada hoje

destravando o crédito

Banco do Brasil atinge R$ 3,3 bilhões em empréstimos no Pronampe em dois dias

Banco do Brasil se aproxima, assim, da meta de esgotar os recursos da iniciativa, aposta do governo Bolsonaro para destravar o crédito, ainda nesta semana

Prévia operacional

MRV bate recorde de vendas no 2º trimestre, totalizando R$ 1,81 bi e 11,5 mil unidades

Segundo prévia operacional, companhia também bateu recorde de volume de repasses, graças à regularização do Minha Casa Minha Vida

seu dinheiro na sua noite

A bolsa cheia e um restaurante vazio

Depois de quase quatro meses em home office, voltei a pisar hoje na redação do Seu Dinheiro. Foi uma passagem de um único dia para tratar de alguns assuntos com a Marina Gazzoni. Ela já retomou a rotina de vir ao nosso escritório duas vezes por semana, enquanto eu sigo na equipe que está em home […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu