Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-03-12T19:07:15-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

A multiplicação dos pães (de hambúrguer)

Ações do Burger King caíram forte na B3 com a venda de papéis por fundos. Na política, o Parlamento britânico rejeitou (de novo) um acordo para o Brexit

12 de março de 2019
19:26 - atualizado às 19:07
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Durante vários anos como repórter eu acompanhei de perto o mercado de fundos de “private equity”, que compram participações em empresas com o objetivo de vendê-las com (muito) lucro no futuro.

Como as companhias em geral são de capital fechado, o risco desse tipo de investimento é bem maior do que a simples compra de ações na bolsa, por exemplo. Mas quando os fundos acertam uma tacada, costumam dar um retorno equivalente a várias vezes o valor inicial investido.

O investimento no Burger King Brasil está entre as boas tacadas da safra recente de investimentos dos fundos de private equity. Desde 2011, quando recebeu o primeiro aporte, a empresa que opera os restaurantes da rede de fast food americana multiplicou por oito o número de restaurantes da marca no país.

Com o crescimento, a companhia não só conseguiu driblar a crise que abateu a economia brasileira como ainda abriu o capital na B3 em dezembro de 2017.

Depois da multiplicação dos pães de hambúrguer, os três fundos que investiram na rede se preparam para vender mais um pedaço de suas participações na rede em uma nova oferta de ações. A operação será realizada bem ao estilo “fast food”, em uma emissão que dispensa o registro na CVM.

Embora a saída dos fundos seja parte do ciclo natural desse tipo de investidor, a notícia pegou mal para as ações do Burger King hoje na bolsa. Nesta matéria que eu escrevi você fica sabendo mais sobre a oferta e se a queda dos papéis pode representar uma oportunidade de compra.

Dinheiro no bolso

Hoje a bolsa teve aquele típico dia em que os analistas costumam chamar de “realização de lucros”. Em português claro, trata-se de vender as ações para colocar no bolso parte dos lucros recentes. Trata-se de um movimento mais do que esperado depois do salto de quase 3% do Ibovespa ontem. O pessoal do mercado continua de olho na movimentação do Congresso na tramitação da reforma da Previdência, mas o noticiário corporativo também rendeu hoje. Na nossa cobertura de mercados você fica sabendo todos os detalhes do pregão.

Dia 70 - Não tem como fugir

O presidente Jair Bolsonaro é político de carreira e sabe que não tem como fugir das emendas impositivas e nomeações para cargos políticos. Como disse o ex-senador e ex-líder de quatro governos, Romero Jucá, em entrevista à “Folha de S.Paulo”, o... (leia mais)

Para gringo ver (e comprar)

A Petrobras voltou hoje ao mercado de capitais internacional com uma captação de títulos de dívida (bônus). Os recursos levantados no programa serão usados para recomprar papéis com vencimento entre 2021 e 2025. Ou seja, a estatal vai usar a nova emissão para melhorar o perfil de sua dívida em moeda estrangeira. Você confere os detalhes sobre a nova operação da Petrobras nesta matéria.

Um Band-Aid pequeno demais

Que a mudança no discurso de Bolsonaro sobre a Previdência e a instalação da CCJ na Câmara trouxeram maior otimismo aos investidores, disso ninguém duvida. O problema é que a bolha no calcanhar do governo é muito maior do que o Band-Aid colocado para protegê-la. Traduzindo para você: parte do mercado ainda está reticente em relação à força que o governo terá com relação às pautas econômicas, como você pode ler na análise da nossa colunista Angela Bittencourt.

Por uma relação sem conflitos

O crescimento das plataformas de investimento independentes dos bancões sem dúvida é benéfico para todo o mercado. Mas talvez um dos grandes equívocos dos investidores hoje seja acreditar que essa nova relação está livre de conflitos de interesse. Para descobrir se o seu assessor de investimentos não passa apenas de uma “versão repaginada” do velho gerente de banco, o Felipe Miranda escreveu este pequeno (e imperdível) guia em sua coluna de hoje.

E agora, May?

A premiê do Reino Unido, Theresa May, teve mais um dia daqueles no parlamento nacional. A Casa voltou a rejeitar uma proposta de acordo para o Brexit, e dessa vez por uma margem maior do que na votação anterior. Agora, o país corre o risco de se divorciar da União Europeia de uma forma trágica. Os próximos capítulos dessa novela você confere nesta reportagem.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies