Menu
2019-10-02T07:51:49-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
revés

Senado aprova reforma da Previdência, mas tira R$ 76 bi da economia esperada

Em meio às pressões contra o governo por mais recursos aos Estados, a Casa retirou todas as mudanças que seriam feitas nas regras do abono salarial

2 de outubro de 2019
6:27 - atualizado às 7:51
senado
Senado ainda pode promover alterações no texto da reforma da Previdência que drenariam mais de R$ 200 bilhões adicionais da economia esperada com a proposta em uma década. Imagem: Marcos Oliveira/Agência Senado Fonte: Agência Senado

O Senado aprovou, na noite desta terça-feira, 1, por 56 votos favoráveis e 19 contrários, a proposta de reforma da Previdência em primeiro turno.

Mas, em meio às pressões contra o governo por mais recursos aos Estados, a Casa retirou todas as mudanças que seriam feitas nas regras do abono salarial. A alteração eliminou R$ 76,4 bilhões da economia esperada em dez anos com a reforma.

  • CONVITE ESPECIAL: Hoje é nosso aniversário de 1 ano do Seu Dinheiro. E estamos com uma super novidade para você, leitor. Aqui neste vídeo nosso colunista Fausto Botelho conta os detalhes. Aproveite!

Com isso, os investidores devem acompanhar o andamento da votação com maior apreensão, uma vez que a aprovação de uma reforma da Previdência robusta, com uma economia próxima a R$ 900 bilhões em dez anos aos cofres públicos, já está embutida no preço dos ativos.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Entenda

A proposta aprovada na Câmara dos Deputados restringia o pagamento do benefício, no valor de um salário mínimo (R$ 998), a quem recebe até R$ 1.364,43 por mês. Com a derrota no Senado, ficam valendo as regras atuais, que garantem o repasse a quem ganha até dois salários mínimos.

A votação em separado desse dispositivo foi solicitada pela bancada do Cidadania. O governo precisava garantir 49 votos favoráveis ao trecho, mas só teve 42 apoiadores. Pela derrubada da alteração, foram 30 senadores.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), negou que a derrota imposta aos senadores seja um recado ao governo sobre a necessidade de negociar os recursos do megaleilão e o chamado Pacto Federativo, que reúne outras pautas de descentralização de verbas para governadores e prefeitos.

Mais cedo, senadores avisaram que podem atrasar a votação da Previdência em segundo turno se a equipe econômica não garantir o repasse de parte do bônus de assinatura aos Estados.

Segundo o presidente do Senado, contribuiu o fato de que alguns senadores estão fora do Brasil, em viagem oficial. De acordo com Alcolumbre, foi "fundamental" a votação do texto-base, com placar de 56 a 19 - um quórum de 76 votos. Mas a presença em plenário foi caindo minuto a minuto.

Para ele, era preciso ter um controle mais próximo do governo sobre os senadores da base.

O Senado ainda pode promover alterações no texto da reforma da Previdência que drenariam mais de R$ 200 bilhões adicionais da economia esperada com a proposta em uma década.

Com a derrota, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), encerrou a sessão e prometeu retomá-la nesta quarta, às 11h.

Tentativas de mudanças

Ainda restam seis destaques em separado para serem apreciados.

O PT tenta retirar da reforma as mudanças nas regras para pensão por morte, que passa a conceder 50% do salário de benefício mais dez pontos porcentuais por dependente. As mudanças na regra da pensão devem ter impacto próximo de R$ 100 bilhões em dez anos.

O Podemos propôs um destaque da reforma sobre as regras de transição e o pagamento de pedágio para aposentadoria de quem já está no mercado de trabalho. O impacto da mudança seria uma desidratação superior a R$ 109 bilhões.

Outras mudanças ainda podem ter impacto, como a proposta da Rede de retirar a regra de cálculo proposta pelo governo, pelo qual o valor de aposentadoria começa em 60% da média de salários de contribuição aos 15 anos de serviço, no caso de mulheres, e 20 anos, no caso de homens.

O acréscimo é de dois pontos porcentuais por ano adicional, até o limite de 100%. A reforma mantém a garantia de pagamento de ao menos um salário mínimo (hoje em R$ 998).

O PDT, por sua vez, quer que as mulheres que se aposentam por idade (geralmente as de menor renda e que ficam menos tempo no mercado formal) possam continuar pedindo o benefício aos 60 anos, como é hoje. A proposta eleva gradualmente essa idade para 62 anos.

O plenário já retirou da proposta o item que daria autonomia a Estados e municípios para criarem alíquotas extraordinárias na contribuição de servidores públicos. A emenda havia sido incluída pelo relator, Tasso Jereissati (PSDB-CE), mas enfrentou resistência do próprio governo porque poderia ser considerada mudança de conteúdo, levando o texto novamente à Câmara dos Deputados. Na dúvida, o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), apresentou o destaque que restituiu o texto já aprovado pelos deputados.

O PT tentou manter as regras atuais para aposentadoria de trabalhadores que atuam em atividades expostas a agentes nocivos químicos, físicos e biológicos, como é o caso de mineradores. Mas o texto do relator, que fixa idades mínimas para essas categorias, foi mantido pelo Senado. Há outro destaque do PROS que pretende suprimir a fixação de uma idade mínima para esses trabalhadores.

Já o MDB pretende reincluir a possibilidade de cobrar alíquota previdenciária sobre os benefícios de anistiados políticos, item aprovado na Câmara e retirado do texto pelo relator. A reinclusão devolveria uma economia de R$ 1 bilhão à reforma.

O Podemos chegou a apresentar um destaque para reverter a proibição a municípios para criar regimes próprios de Previdência, mas a proposta acabou deflagrando uma polêmica no plenário e acabou sendo retirada. Os prefeitos querem derrubar a proibição aprovada na Câmara e devem se mobilizar por isso na tramitação da chamada PEC paralela da Previdência.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

OLHOS ATENTOS

Bank of America rebaixa e corta preço-alvo das ações de Itaú e Bradesco; papéis caem

O banco cortou o preço-alvo em 12 meses para as ações de ambos. No caso do Itaú, o preço-alvo ficou em R$ 34, com potencial de queda de 3% em relação ao fechamento de sexta-feira (17). Já o Bradesco teve o preço-alvo reduzido para R$39, o que representa uma potencial expansão de 10%

Altas e baixas

Raia Drogasil, bancos e varejistas: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

As ações da Raia Drogasil aparecem entre as maiores altas do Ibovespa após o Credit Suisse elevar a recomendação e o preço-alvo dos papéis

mais otimismo

FMI aumenta projeção para o PIB do Brasil para 2,2% em 2020

De acordo com o Fundo, a elevação da estimativa do PIB do Brasil para este ano ocorreu sobretudo devido à melhora do sentimento após a aprovação da reforma da Previdência

disputa entre gigantes

Bancos travam guerra silenciosa por clientes na área de crédito imobiliário

No ano passado, até o mês de novembro, o total de crédito imobiliário que migrou para outra instituição somou R$ 1,46 bilhão

Com juro menor, transferência de dívida de imóvel dispara

Ao fazer a portabilidade do financiamento, o consumidor pode conseguir reduzir o valor das parcelas e melhorar as condições do empréstimo

Um futuro melhor

Pesquisa global mostra brasileiros otimistas

Em 15 dos 28 países houve maioria de pessimistas. Esse grupo inclui todos os mercados mais desenvolvidos

CONTAGEM REGRESSIVA

Foi dada a largada para sua aposentadoria aos 40 anos (ou o quanto antes)…

Hoje pode começar a contagem regressiva para a sua aposentadoria precoce. Estou falando em ir do zero à liberdade financeira o mais rápido possível. Sim, você pode se aposentar aos 40 ou o quanto antes. Como? Eu gravei um vídeo para explicar todos os detalhes do projeto. Estou falando em ter dinheiro suficiente para fazer […]

exile on wall street

Ganhos exponenciais num futuro não tão distante

Estamos vivenciando hoje o grande salto tecnológico, capaz de criar negócios inimagináveis, ou de transformar brutalmente as companhias da velha economia em verdadeiras fortalezas

dinheiro no caixa

Governo recupera R$ 5,2 bilhões em dívidas quitadas de empresas com o Simples

Simples Nacional é um regime tributário especial que reúne o pagamento de seis tributos federais, além do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), cobrado por estados e pelo Distrito Federal, e do Imposto Sobre Serviços (ISS), arrecadado pelos municípios

Renda variável

UBS vê céu azul para bolsa brasileira, com alta de até 15% sobre emergentes

Desempenho da bolsa deve ser impulsionado pela recuperação da economia e dos lucros das empresas, além do ciclo de reformas e da migração de recursos para o mercado de ações, segundo os analistas do banco suíço

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements