Menu
2019-09-10T07:30:44-03:00
Ficou para depois

Presidente do Senado desiste de votar Previdência esta semana

Após a aprovação do relatório na CCJ do Senado, o presidente da Casa manifestou a vontade de firmar um acordo para votar o texto em primeiro turno sem o cumprimento do prazo mínimo de cinco sessões de discussão

10 de setembro de 2019
7:27 - atualizado às 7:30
À mesa, o presidente da CDR, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)
Davi Alcolumbre (DEM-AP) - Imagem: Geraldo Magela/Agência Senado

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, desistiu de tentar votar esta semana a proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata da reforma da Previdência. Ao sair do Palácio do Planalto, onde visitou o presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, Alcolumbre afirmou que a votação em primeiro turno da reforma deverá ficar para a próxima semana.

“Como não há consenso em relação a gente tentar antecipar esse calendário, eu vou seguir o que está comprometido que é o acordo com os senadores, [de votar] na outra semana, para cumprir as cinco sessões”, disse após o que chamou de “visita de cortesia” a Mourão.

Na semana passada, após a aprovação do relatório da PEC na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o presidente da Casa manifestou a vontade de firmar um acordo entre os líderes para votar o texto em primeiro turno sem o cumprimento do prazo mínimo de cinco sessões de discussão. Mas a oposição não se mostrou disposta a fechar acordo para acelerar a votação da reforma da Previdência.

“A sinalização que há é que alguns líderes estão insistindo que a gente cumpra um calendário. Eu fiz acordo com os líderes para um calendário de debates. Amanhã é a sessão temática no plenário do Senado. Há esse sentimento de a gente cumprir esse calendário”, acrescentou Alcolumbre. Ainda assim, a votação na próxima semana não está confirmada. Ele tentará um acordo na reunião de líderes amanhã (10) para confirmar o dia da votação. Inicialmente, o calendário previa a votação em primeiro turno apenas no dia 24 de setembro.

Para amanhã, está marcada uma sessão temática para discutir a Previdência, no plenário do Senado. Está prevista a participação secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, do ex-ministro da Previdência Social Ricardo Berzoini e do economista Paulo Tafner. Mesmo sem ter certeza da data de votação em primeiro turno, Alcolumbre está confiante em votar a matéria em segundo turno no dia 10 de outubro.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

OTIMISMO DO EX-SECRETÁRIO

Cintra: reforma tributária do Executivo é mais viável do que projetos da Câmara

Segundo ele, é possível que a reforma tributária seja aprovada em dois meses desde que seja o projeto de lei 3887, do governo.

DEBANDADA NO MINISTÉRIO

‘Agenda de Guedes está enfraquecida’, diz Alexandre Schwartsman

Para o economista, há um descompasso claro entre a visão do presidente e a do ministro e Bolsonaro que desmoraliza a bandeira liberal com a qual se elegeu.

SUBSTITUTO DE SALIM MATTAR

Novo secretário de privatizações pode indicar cargos de até R$ 120 mil mensais

Cerca de 300 cargos em conselhos de administração e direção de estatais.

CONTENÇÃO DE GASTOS

Diante da ‘debandada’, governo quer antecipar medidas de ajuste para 2021

Essas medidas corretivas seriam adotadas pelo governo automaticamente, já no ano que vem, e evitariam o estouro do teto de gastos.

reação do mercado

Ação da Via Varejo tem forte alta após balanço; veja o que dizem analistas

Com avanço do online, recomendação da XP para a ação da empresa é de compra, com preço-alvo de R$ 28 ao final de 2020; Credit Suisse estima R$ 21 em 12 meses

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements