Menu
2019-06-07T18:44:22-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
troca de favores

Governadores admitem importância da reforma, mas pedem redistribuição de recursos

Líderes locais pedem uma revisão do pacto federativo para garantir que haja descentralização dos recursos em relação à União

8 de maio de 2019
11:14 - atualizado às 18:44
Jair Bolsonaro
Bolsonaro tenta convencer deputados a entrarem no jogo da reforma a Previdência - Imagem: Shutterstock

Governadores e vice-governadores de 25 Estados se reuniram na manhã desta quarta-feira, 8, com o presidente Jair Bolsonaro e com os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em Brasília, para cobrar o compromisso do Executivo federal e do Congresso com as pautas estaduais.

Eles pedem uma revisão do pacto federativo para garantir que haja descentralização dos recursos em relação à União.

Os governadores apresentaram uma carta em que reivindicam seis pontos: a apresentação do chamado Plano Mansueto, para restabelecer o equilíbrio fiscal dos Estados, aprovação da lei Kandir, a manutenção do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica), regularização da securitização da dívida dos Estados, a distribuição da cessão onerosa do pré-sal,e o avanço da Proposta de Emenda à Constituição que trata da redistribuição do fundo de participação dos Estados.

De acordo com Alcolumbre, os governadores disseram a Bolsonaro que têm desejo de apoiar a reforma da Previdência, mas pediram que os Estados sejam contemplados com um maior repasse de recursos para conseguirem estancar a grave crise fiscal que a maioria deles enfrenta.

"A reforma da Previdência é fundamental para que a União possa redistribuir recursos porque antes disso ela precisa melhorar a sua arrecadação", afirmou. "Queremos também inverter a pirâmide para que os Estados e municípios arrecadem mais que a União", disse.

Para o senador, a presença do presidente no café da manhã demonstrou seu empenho em ajudar na recuperação dos entes federativos.

De acordo com ele, Bolsonaro aproveitou a presença maciça de governadores para pedir apoio para a reforma da Previdência.

O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), afirmou que os governadores, até mesmo os de oposição enfatizaram a necessidade da reforma da Previdência porque precisam de um melhor ambiente econômico para recuperar suas contas.

De acordo com ele, Bolsonaro também afirmou estar disposto a desburocratizar o que for considerado necessário pelos governadores via decreto presidencial.

Na terça, o presidente disse a mesma coisa a parlamentares em cerimônia no Palácio do Planalto, quando assinou um decreto que facilitou o porte de armas para colecionadores, caçadores e atiradores esportivos, caminhoneiros, políticos e outras categorias.

Ibaneis: "sem controle na bancada"

Logo após o encontro com os líderes do Executivo e Legislativo, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, afirmou que, apesar da maioria dos 27 governadores apoiar a aprovação da reforma, eles não têm o controle de suas bancadas na Câmara e no Senado.

"O apoio dos governadores é praticamente integral, mas as eleições do ano passado manteve o país dividido, então a maioria dos governadores não têm controle de suas bancadas. O próprio governo federal também não tem", disse Rocha.

Para o governador, a retirada do BPC e da aposentadoria rural do texto da reforma da Previdência fará com que ela avance mais rápido no Congresso. A mudança em relação aos dois pontos já é dada como certa na Comissão Especial que analisa a matéria e o próprio governo já admitiu a retirada deles da proposta original. "A reforma da Previdência tem que atender à população e não só à economia", disse.

Greves

Ibaneis criticou ainda as categorias de servidores que têm realizado greves no Distrito Federal. Para ele, as paralisações neste momento são uma "incompreensão" com a situação econômica do país e do DF e, por falta de recursos, tendem a "não dar em nada".

"Não há como dar aumento de salários agora. Temos que segurar isso para não quebrar as empresas públicas porque isso agravaria situação dos servidores", disse.

Desde o início da semana, os metroviários estão parados em Brasília. O serviço de metrô foi reduzido e a população enfrenta restrições no uso do transporte.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Recuperação da estatal

Lucro da Petrobras salta 55,7% em 2019 e chega a R$ 40,1 bilhões, impulsionado pela venda de ativos

A Petrobras fechou 2019 com o maior lucro líquido anual de sua história, sustentada pelos fortes desinvestimentos e ganhos de eficiência na extração de petróleo — fatores que compensaram os menores preços da commodity no exterior

De olho no balanço

Marfrig reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 27 milhões no 4º trimestre de 2019

No acumulado do ano, o lucro líquido caiu para R$ 218 milhões, ante R$ 1,4 bilhão no ano anterior

Confira os números

Petrobras, Ultrapar, Marfrig, RaiaDrogasil e GPA: os balanços que vão mexer com a bolsa nesta quinta-feira

O dia começa recheado de balanços anuais das companhias listadas no Ibovespa

Recurso da estatal

TRF-4 nega recurso da Petrobras e mantém Odebrecht fora de ação da Lava Jato

No recurso, a estatal buscava o prosseguimento dos réus na ação cível e a manutenção do bloqueio de bens dos executivos

Seu Dinheiro na sua noite

Guedes fora, alta do dólar

Você se lembra de quando o dólar a R$ 4,20 era o grande “patamar psicológico” da moeda americana? Não faz tanto tempo assim, mas esse nível de cotação ficou para trás, e agora parece até um pouco distante. Hoje, o dólar à vista bateu um novo recorde de fechamento. Eu sei que você já leu […]

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

O impasse continua

Após TRT suspender demissões, Petrobras quer negociar desligamentos em fábrica

Encerramento da operação da Ansa é o principal motivo da greve dos petroleiros

Ponto polêmico

Relator mantém trabalho aos domingos na MP do contrato verde e amarelo

Deputado Áureo manteve a permissão para que todos os trabalhadores sejam convocados para trabalhar aos domingos e feriados

Novidade no IR

Programa do IR virá sem dedução da contribuição patronal sobre domésticos

Fim da dedução é a principal novidade para as declarações de IR em 2020

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements