O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2020-05-11T13:23:34-03:00
Estadão Conteúdo
Alívio no bolso

Preço médio do etanol cai na semana em 22 estados e no DF, revela ANP

Na comparação mensal, os preços do etanol cederam em 25 Estados no Distrito Federal. No Amapá não houve comparação. O Estado que registrou a maior queda na comparação mensal foi Mato Grosso

11 de maio de 2020
13:23
Posto de combustível em Brasília
Posto de combustível em Brasília - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os preços médios do etanol hidratado caíram em 22 Estados e no Distrito Federal (DF) na semana encerrada no sábado (9) ante o período anterior, de acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. O biocombustível subiu em quatro Estados.

Nos postos pesquisados pela ANP em todo o País, o preço médio do etanol caiu 3,30% na semana ante a anterior, de R$ 2,667 para R$ 2,579 o litro. Em relação aos últimos 30 dias, a queda alcança 15,14%. Em São Paulo, principal Estado produtor, consumidor e com mais postos avaliados, a cotação média do hidratado ficou em R$ 2,373, baixa de 3,34% ante a semana anterior (R$ 2,455) e de 15,55% na comparação com os últimos 30 dias. Em Goiás, o biocombustível registrou a maior alta porcentual na semana, de 3,24%. A maior queda semanal, de 8,97%, foi em Tocantins.

Na comparação mensal, os preços do etanol cederam em 25 Estados no Distrito Federal. No Amapá não houve comparação. O Estado que registrou a maior queda na comparação mensal foi Mato Grosso, com recuo de 25,35% no preço do etanol hidratado.

O preço mínimo registrado na semana passada para o etanol em um posto foi de R$ 1,799 o litro, em São Paulo, e o menor preço médio estadual, de R$ 2,373, foi registrado também em São Paulo. O preço máximo individual, de R$ 4,999 o litro, foi registrado em um posto do Rio Grande do Sul. O Acre registrou o maior preço médio, de R$ 3,982.

Competitividade

Os preços médios do etanol continuaram vantajosos ante os da gasolina em apenas quatro Estados brasileiros - Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo - todos grandes produtores do biocombustível. O levantamento da ANP considera que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Em Mato Grosso, o hidratado é vendido, em média, por 63,20% do preço da gasolina, em Goiás a 69,34%, em Minas Gerais a 65,64% e, em São Paulo, a paridade ficou em 64,12%.

Na média dos postos pesquisados no País, a paridade é de 67,46% entre os preços médios de etanol e gasolina, também favorável ao biocombustível. A gasolina foi mais vantajosa no Amapá, com a paridade de 123,08% para o preço do etanol.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies