Menu
2019-04-20T15:16:25-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Com orçamento apertado

Doria negocia leilão da Rio-Santos e do Ferroanel

Segundo governador de São Paulo, João Doria, foi montado um cronograma “acelerado” para tirar os projetos do papel, com a criação de grupos de trabalhos específicos e previsão de novas reuniões ainda em janeiro

11 de janeiro de 2019
7:13 - atualizado às 15:16
Estrada
Estrada - Imagem: shutterstock

Em busca de um respiro com o orçamento apertado para fazer novos investimentos, os governos federal e de São Paulo vêm discutindo algumas privatizações.

Nessa quinta-feira, 10, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, discutiram, em reunião em Brasília.

Entraram nas discussões as formas de viabilizar a construção do Ferroanel, a concessão da Rodovia Rio-Santos (BR-101) e o projeto do trem de passageiros Intercidades.

“Os projetos serão feitos a quatro mãos, com recursos da iniciativa privada”, disse o ministro, após o encontro.

Segundo Doria, ontem mesmo foi montado um cronograma “acelerado” para tirar os projetos do papel, com a criação de grupos de trabalhos específicos e previsão de novas reuniões ainda em janeiro.

Os dois lados têm pressa e querem colocar licitações na rua o mais rápido possível. A ideia é aproveitar estudos e soluções que já vinham sendo feitos nos governos anteriores, como a construção do Ferroanel pela MRS em contrapartida à renovação antecipada de contratos da concessionária.

Depois de se reunir com o ministro, Doria, encontrou o presidente Jair Bolsonaro, acompanhado de três de seus secretários, ex-ministros do governo de Michel Temer: Antônio Imbassahy, Alexandre Baldy e Henrique Meirelles, que disputou a eleição à Presidência.

Na reunião com Bolsonaro, o governador discutiu o projeto de privatização da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e a mudança de endereço do maior entreposto de frutas e verduras da América Latina, atualmente na Vila Leopoldina, na zona oeste de São Paulo. A nova área que será ocupada não foi divulgada por Doria, mas ele disse que Bolsonaro foi “muito positivo e o assunto deve avançar”.

O endereço atual concentra uma grande quantidade de caminhões e dificulta o acesso da população à região. Com o crescimento do local, os congestionamentos frequentemente se estendem até as marginais.

O Ceasa foi construído pelo governo do Estado de São Paulo na década de 60 em um terreno do governo federal. Na década de 90, o espaço passou a ser administrado pela União.

No entanto, uma parceria entre União, Estado e município de São Paulo será responsável pela mudança do Ceagesp da Vila Leopoldina já que a competência pela gestão da logística de abastecimento e distribuição de alimentos é das três esferas do poder público.

Eles também falaram sobre o projeto de um parque, administrado pela iniciativa privada, na área hoje ocupada pelo Aeroporto do Campo de Marte e do museu aeroespacial. Doria destacou que a pista de pouso e decolagem será mantida mesmo sem utilização.

Recursos

Discutida há anos, a construção de trecho do Ferroanel é orçada em R$ 5 bilhões, de acordo com os últimos estudos, e será feita como contrapartida à renovação antecipada, por mais 30 anos, de diversos contratos da operadora MRS.

Ainda no governo Temer foi anunciado que a MRS construiria 53 quilômetros da ferrovia, entre as estações de Perus, em São Paulo (SP), e de Manoel Feio, em Itaquaquecetuba (SP).

Já a Rio-Santos (BR-101) será concedida dentro do pacote de concessão das rodovias hoje com a CCR Nova Dutra, cujo contrato vence em 2021. A ideia é usar o pacote para conseguir investimentos para a Rio-Santos como contrapartida à concessão da movimentada Dutra.

“É uma rodovia muito importante para o turismo, não faz sentido que uma rodovia dessa importância não esteja concedida e operada pelo setor privado”, completou Doria.

No caso do trem Intercidades, o ministro informou que será uma licitação privada para que o transporte de passageiros possa ser feito com o compartilhamento de linhas que já existem no transporte de cargas.

Segundo Freitas, o transporte de cargas é pequeno e existe capacidade para que haja o compartilhamento com o transporte de passageiros na região, que ligará a capital a Campinas e Vale do Paraíba.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

fechamento

Após sangria, Ibovespa acompanha Nova York e sobe 1,3%; juros recuam com Copom

Índice teve sessão de altos e baixos a princípio, mas acabou seguindo bolsas americanas e teve maior alta em uma semana; Petrobras e Vale são destaques após balanços. Dólar marca tem leve ganho

plataforma de pagamentos

Em expansão, Locaweb propõe R$ 180 milhões pela empresa de tecnologia Vindi

Companhia tem até 5 de dezembro para aceitar a proposta – que, segundo a Locaweb, já foi aceita por acionistas que representam 79,33% da empresa

Para além dos shoppings

Multiplan vai retomar investimentos imobiliários em empresa separada, diz presidente da companhia

CEO José Isaac Peres disse, em teleconferência, que não pensa em abrir capital dessa eventual empresa segregada, e está otimista com o mercado imobiliário atual.

mundo em alerta

Brasil não deve ter segunda onda, mas governo tem instrumentos para enfrentá-la, diz Guedes

Ministro considerou que a única solução para a covid-19 é a vacina e alertou para a necessidade de avançar em reformas para que o governo tenha mais fôlego

segunda onda

‘Não consigo entender medida como essa’, diz Bolsonaro sobre lockdown na França

Governo francês anunciou novo confinamento nacional para conter o aumento de casos de covid-19 a partir desta sexta-feira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies