🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Estadão Conteúdo
Novo governo

Produção agrícola em terras indígenas deve ser liberada

Atualmente, esse tipo de atividade é ilegal, apesar de haver, em várias regiões do país, arrendamento de terras indígenas por produtores rurais para tocar todo tipo de produção

Estadão Conteúdo
3 de janeiro de 2019
8:31 - atualizado às 12:35
Índios em Brasilia - Imagem: André Dusek/Estadão Conteúdo

Depois de retirar a função de demarcação e delimitação de terras indígenas da Fundação Nacional do Índio (Funai), a equipe de governo do presidente Jair Bolsonaro prepara uma nova regulamentação para liberar a exploração de terras indígenas pelo agronegócio. O objetivo é autorizar parcerias entre os índios e os produtores rurais, para cultivo e criação de gado em terras já demarcadas.

Hoje, esse tipo de atividade é ilegal, apesar de haver, em várias regiões do País, arrendamento de terras indígenas por produtores rurais para tocar todo tipo de produção. O entendimento do governo e da atual diretoria da Funai é de que esse tipo de atividade poderá ser liberada por meio de um decreto presidencial, ou seja, diretamente por Bolsonaro, sem ter de tramitar no Congresso.

A informação foi confirmada ao Estado pela diretora de proteção territorial da Funai, Azelene Inácio, que defende a abertura das terras indígenas para exploração comercial e tratou do assunto com a equipe de transição do governo e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

A exploração de jazidas minerais localizadas em terras indígenas é outra meta do governo, mas o entendimento atual é de que esse tipo de atividade, diferentemente do agronegócio, precisaria passar antes pelo crivo do parlamento. "No caso da mineração, a regra é mesmo diferente. A Constituição afirma que a regulamentação dessa tipo de atividade deve sair do Congresso", afirmou Azelene.

Reportagem publicada pelo Estado no mês passado revelou que, atualmente, 22 terras indígenas do País possuem áreas arrendadas ilegalmente para ruralistas. As negociações clandestinas entre produtores e indígenas incluem desde o pagamento de mensalidades para os índios até a divisão da produção colhida ou vendida. Nessas 22 terras vivem mais de 48 mil índios. A área total arrendada chega a 3,1 milhões de hectares, um território equivalente a mais de cinco vezes o tamanho do Distrito Federal.

Ontem, depois de tomar posse, a ministra Tereza Cristina afirmou ser "natural" a transferência para o Ministério da Agricultura da responsabilidade pela demarcação de terras indígenas e quilombolas. "Os assuntos fundiários, todos eles, seja Amazônia Legal, seja o que for, estão vindo para o Incra. O mosaico de todas as terras brasileiras estará sob a orientação do Incra. A Funai toda, uma parte ficará com Direitos Humanos, com a Damares, a parte de políticas públicas para os indígenas. Aqui é simplesmente questão fundiária, que virá para o Incra", explicou a nova ministra.

Compartilhe

MAKE IT RAIN

Xi Jinping preocupado? China inicia novas medidas para tentar salvar a economia e a colheita; entenda

22 de agosto de 2022 - 9:10

O país asiático não só tenta apagar as chamas do dragão da desaceleração econômica, como também salvar a colheita do verão mais quente e seco de Pequim em 61 anos

AGRO EM ALTA

Governo oferecerá mais de R$ 340 bilhões para produtores rurais no novo Plano Safra; valores entram em vigor em julho

29 de junho de 2022 - 19:56

O programa do governo federal prevê o direcionamento de recursos públicos para financiar e apoiar a agropecuária nacional

O AGRO É POP

BB DTVM lança o AGRI11, primeiro ETF que segue o novo índice do agronegócio na B3

24 de maio de 2022 - 15:56

Na estreia, os papéis AGRI11 operam em alta; o ETF é o segundo fundo voltado ao agronegócio que a gestora do Banco do Brasil lança neste ano

MERCADO DE TRABALHO

Quatro setores da economia definem as profissões do futuro; confira quais são elas

27 de abril de 2022 - 11:50

As profissões do futuro estão nas áreas de tecnologia, indústria da transformação, agricultura e saúde. Ao todo, são quase 50 ocupações

DE OLHO NO AGRO

Tereza Cristina destaca importância da Rússia e Belarus em potássio e ureia e anuncia lançamento do Plano Nacional de Fertilizantes; entenda

2 de março de 2022 - 18:20

“Desde que nós soubemos, no ano passado, que a Bielorrússia (Belarus) sofreria sanções dos EUA e da União Europeia, começamos um périplo por alguns países”, disse a ministra

FOCO NO AGRO

Em meio a tensões entre Ucrânia e Rússia, Bolsonaro e Putin destacam parceria na área de fertilizantes

16 de fevereiro de 2022 - 15:45

Bolsonaro ainda citou o lado conservador do colega russo. “Compartilhamos de valores comuns, como crença em Deus e defesa da família”

DÉCIMO ANDAR

Fiagro: fique por dentro da nova forma de ganhar dinheiro investindo no agronegócio

30 de janeiro de 2022 - 7:50

Fundo é uma junção dos recursos de vários investidores para a aplicação em ativos de investimentos do agronegócio, sejam eles de natureza imobiliária rural ou de atividades relacionadas à produção do setor

NO PARABRISA DA ECONOMIA

Agenda de indicadores: Fique por dentro dos números que mexem com o mercado na próxima semana

7 de janeiro de 2022 - 16:57

O grande destaque entre os indicadores da economia previstos para a próxima semana é a inflação medida pelo IPCA. Confira a agenda completa

dinheiro no caixa

BrasilAgro vende área no Mato Grosso por R$ 589 milhões, mais do que o levantado no IPO

7 de outubro de 2021 - 19:58

Na abertura de capital, em fevereiro deste ano, empresa levantou R$ 500,1 milhões; com operação, a companhia diz aproveitar “bom ciclo das commodities”

Colhendo altas

Boa Safra (SOJA3) encontra solo fértil na B3, e Itaú BBA recomenda compra da ação, que já subiu 40% desde IPO

28 de setembro de 2021 - 16:28

As perspectivas para a empresa, que já é líder no mercado nacional de sementes, e os múltiplos da ação agradaram os analistas do banco de investimentos

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar