Menu
2019-08-24T11:19:30-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
na tv

Bolsonaro pede que incêndio não seja pretexto para sanções ao Brasil

Em tom mais ameno, presidente disse em rede nacional que número de queimadas está “na média”, mas que governo atuará para conter os focos

24 de agosto de 2019
9:05 - atualizado às 11:19
48608832058_4d9009319a_o
(Brasília - DF, 23/08/2019) Pronunciamento do Presidente da República, Jair Bolsonaro. - Imagem: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão, na noite desta sexta-feira, 23, em resposta a repercussão dos incêndios e desmatamento na Amazônia. O discurso durou pouco mais de quatro minutos.

Em tom mais ameno do que nos últimos dias, Bolsonaro disse que os incêndios não podem ser pretexto para sanções internacionais. "O Brasil continuará sendo, como foi até hoje, um país amigo de todos e responsável pela proteção de sua Floresta Amazônica", afirmou.

Os incêndios na Amazônia ganharam repercussão internacional na quinta-feira, 22, após o presidente da França, Emmanuel Macron, dizer que o assunto precisa estar no topo da agenda da reunião do grupo das sete maiores economias do mundo (G-7) deste fim de semana.

No dia seguinte, a França disse que o presidente brasileiro estava mentindo quando minimizou as preocupações sobre a mudança climática na reunião do G-20 no Japão, em junho.

'Combate à criminalidade'

Em rede nacional, Bolsonaro buscou naturalizar a situação atual na Amazonia e disse que as queimadas das últimas semanas estão na média dos últimos 15 anos. "De todo modo, [...] não estamos satisfeitos com o que estamos assistindo. Vamos atuar fortemente para controlar os incêndios na Amazônia", disse o presidente.

De 1º de janeiro até a última terça-feira, 20, foram contabilizados 74.155 focos, alta de 84% ante o mesmo período de 2018, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Um pouco mais da metade (52,6%) desses focos têm ocorrido na Amazônia.

Bolsonaro disse que seu governo tem compromisso no combate à criminalidade, inclusive na área ambiental, e destacou o apoio oferecido aos estados da Amazônia Legal.

"Somos um governo com tolerância zero contra a criminalidade, e na área ambiental não será diferente. Por essa razão, oferecemos ajuda a todos os estados da Amazônia Legal", disse.

"Com relação àqueles que a aceitarem, autorizarei operação de garantia da lei e da ordem, uma verdadeira GLO [Garantia de Lei e da Ordem] ambiental. O emprego extensivo de pessoal e equipamentos das Forças Armadas, auxiliares e outras agências, permitirá não apenas combater as atividades ilegais, como também conter o avanço de queimadas na região".

O decreto de GLO, que autoriza o uso das Forças Armadas, vale para regiões de fronteira, terras indígenas, unidades federais de conservação ambiental e outras áreas da Amazônia Legal.  Os governadores de Roraima e Rondônia foram os primeiros a solicitar ação dos militares federais em seus territórios.

Preservação

No pronunciamento, Bolsonaro disse ainda que o problema precisa ser tratado com "serenidade" e voltou a criticar manifestações dentro e fora do Brasil que, segundo ele, espalharam informações infundadas. "Espalhar dados e mensagens infundadas, dentro e fora do Brasil, não contribui para resolver o problema e se prestam apenas ao uso político e à desinformação".

Bolsonaro concluiu sua fala dizendo-se aberto ao diálogo, "com base no respeito, na verdade, e cientes da nossa soberania".

*Com Agência Brasil

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

de olho na avaliação

Aprovação de Bolsonaro cai para 47,8% em um ano, diz CNT/MDA

O chefe do Planalto, no entanto, se recuperou quando a comparação ocorre entre a última pesquisa, em agosto, e agora

Bolada no Caixa

BNDES vai repassar R$ 15 bilhões em dividendos para a União

Receita de dividendos do BNDES em 2019 “salvou” o governo num momento em que o Orçamento estava bloqueado e a Esplanada dos Ministérios operando em alguns órgãos numa situação de quase paralisação

Fórum Econômico Mundial

Em Davos, governo encontra investidores para oferecer projetos, incluindo o 5G

Governo vai apresentar todos os 115 projetos já estruturados ou ainda em fase de estudo que compõem a carteira para 2020 e 2021, que equivalem a R$ 320 bilhões

No limite

Petrobras fica à beira da privatização com venda de ações do BNDES em oferta

Petroleira não deixará de ser estatal por muito pouco: participação do governo em ações ordinárias (com direito a voto) pode cair para 50,26% após a oferta de papéis que estão na carteira do BNDES

Ações disparam

Top pick: para o Bradesco BBI, a Usiminas é a melhor opção no setor de siderurgia

A possibilidade de um novo aumento no preço dos aços planos para a rede doméstica eleva o otimismo do Bradesco BBI em relação à Usiminas

tensão

Após ataques relatados por federação de jornalistas, Bolsonaro diz que evitará falar com a imprensa

Pesquisa indicou que o presidente foi responsável por 58% dos ataques à categoria no ano passado, de um total de 208

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Exile on Wall Street

Quero ser grande

E aí, B3, vamos atrair essas milhares de empresas brasileiras? Ou vamos continuar perdendo soldados para a Nasdaq? Temos que fazer algo, com urgência

Mercados hoje

Ibovespa se recupera das perdas de ontem e opera em alta; dólar cai a R$ 4,18

O Ibovespa e as bolsas globais se recuperam das perdas da sessão anterior, operando em alta nesta quarta-feira. O mercado segue monitorando o noticiário referente ao coronavírus

Fórum econômico mundial

Davos: clima pesa mais para investidor do que trapalhada política no Brasil

No início do segundo semestre do ano passado, os incêndios na Amazônia chamaram a atenção de todo o mundo. E três dos entrevistados ressaltaram a demora do governo em agir

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements