Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
É CEO do Seu Dinheiro
2019-11-27T09:50:29-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Dólar nas alturas: você dorme tranquilo?

27 de novembro de 2019
9:50
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Fui a Buenos Aires em 2016 e voltei de viagem com alguns pesos na carteira. As taxas de conversão eram péssimas e fiquei com essas notas para usar algum dia no futuro. Fiquei me questionando se não seria melhor concentrar meus gastos no cartão de crédito, mesmo sabendo que a cotação pode variar até o fechamento da fatura.

Felizmente, eu não fiz isso na minha última viagem para os Estados Unidos, no início deste mês. Levei dinheiro em espécie e só paguei com cartão ingressos para shows comprados online. Assim me livrei de ter que arcar com uma fatura salgada, fechada com o dólar na sua máxima histórica.

Ontem o dólar chegou a R$ 4,27 ao longo do dia, mas perdeu força com a intervenção do Banco Central. Mesmo assim, fechou em R$ 4,24.

Toda essa movimentação mexeu também com a bolsa, favorecendo as empresas exportadoras, como Suzano e Gerdau, que têm receita em dólar, e penalizando empresas que têm custo em moeda estrangeira, como as companhias aéreas Azul e Gol.

O câmbio deve continuar no centro das atenções de hoje. As afirmações do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que a escalada da moeda americana não preocupa, trouxeram dúvidas sobre a estratégia do próprio BC.

Ontem à noite, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, declarou que as atuações acontecerão sempre que entender que o dólar está descolado dos fundamentos ou com problemas de liquidez. O Eduardo Campos traz mais detalhes sobre a estratégia do BC para o câmbio. 

Dólar a R$ 5?

O patamar de R$ 4,20 era uma resistência para o dólar, explica o grafista Fausto Botelho, colunista do Seu Dinheiro. Com o rompimento desta linha, ele estima que a moeda americana deve buscar agora os R$ 4,60. Se superar esse valor, o próximo limite é R$ 5. Veja o vídeo com as explicações do Fausto.  

O que mais está no radar dos mercados?

Hoje é véspera de feriado nos Estados Unidos, o que deve enxugar a liquidez pelo mundo. Mas antes da pausa, o dia deve ser marcado por importantes indicadores econômicos americanos.

A movimentação na América Latina também deve dar o que falar. Ontem, o presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, afirmou que não solicitará mais empréstimos ao FMI.

Nos mercados internacionais, as bolsas asiáticas fecharam em alta e os índices futuros em Nova York seguem a mesma tendência, impulsionados por novidades no campo comercial. Veja o que deve mexer com bolsa e dólar hoje.

Menos dinheiro no bolso

O governo já espera que o dólar fique em R$ 4 no próximo ano, ante a previsão de R$ 3,80. A estimativa está em um documento que altera o orçamento previsto para 2020. Na mensagem modificativa, o governo ainda aumenta a projeção de crescimento da economia, de 2,17% para 2,32%. O salário mínimo, no entanto, deve ficar R$ 8 menor. Confira os novos valores. 

Os gestores estão presos. E agora?

Se você é cotista do fundo imobiliário GGR Covepi Renda FII (GGRC11), deve ter ficado no mínimo preocupado com a prisão de três sócios da gestora Supernova, responsável pelo fundo. Afinal, como fica o patrimônio de quem é cotista do GGRC11? A repórter Julia Wiltgen traz aqui os cenários possíveis.  

Olho nas empresas

Entre as companhias listadas na bolsa, duas empresas trazem novidades hoje:

  • Braskem: a petroquímica controlada pela Odebrecht recebeu um alerta de duas agências de classificação de riscos, S&P e Fitch. Elas mudaram a perspectiva para a nota da companhia de estável para negativa. É um sinal de que um rebaixamento pode vir no futuro.
  • Aliansce Sonae: a administradora de shoppings fará uma nova oferta de ações e deve levantar pelo menos R$ 882 milhões. Com o dinheiro no caixa, a empresa planeja financiar sua estratégia de crescimento e fortalecer a estrutura de capital.

De volta ao tribunal

Ex-presidente Lula

Um dos grandes destaques do dia é um novo julgamento do ex-presidente Lula. O TRF-4 decide se anula a sentença do petista no caso do sítio de Atibaia ou se mantém a condenação de 12 anos e 11 meses de prisão. Fique de olho. 

Black Friday no Congresso

E não é que o Congresso entrou no clima de “Black Friday”? Brasília terá hoje uma sessão conjunta de deputados e senadores para apreciar 11 vetos presidenciais e 24 projetos. No horizonte, o Congresso vê a necessidade de limpar a pauta para votar o Orçamento de 2020. Entenda o que está em jogo. 

Agenda

Indicadores
- Estados Unidos divulgam prévia do PIB do 3º trimestre, dados semanais de emprego e do mercado de petróleo e resultados da atividade industrial em novembro
- Argentina divulga resultados de vendas no varejo em setembro

Bancos centrais
- Fed divulga Livro Bege
- BC faz leilão de venda à vista de até US$ 785 milhões
- BC faz leilão de US$ 785 milhões de swap cambial reverso

Política
- Senado realiza sessão conjunta de deputados e senadores para apreciar 11 vetos presidenciais e 24 projetos que abrem crédito extra no Orçamento
- Senado realiza sessão após a do Congresso, para votação da medida provisória do programa Médicos pelo Brasil

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Proventos

Banco do Brasil anuncia pagamento de R$ 416 milhões em Juros sobre Capital Próprio (JCP)

Terão direito ao provento os investidores com posição acionária na empresa no dia 11 de março

o melhor do seu dinheiro

Brandão balança mais não cai?

Chegamos ao fim de mais uma semana tensa nos mercados, que começou com a derrocada das ações da Petrobras, em razão da interferência do governo na presidência da estatal, e termina com pressões na bolsa e no dólar motivadas pelas preocupações dos investidores com a inflação nos Estados Unidos e alta nas taxas dos títulos […]

URGENTE

Hapvida e NotreDame chegam a um acordo sobre fusão, afirma site

A maior combinação entre duas empresas brasileiras criará uma gigante do setor de saúde, com um valor de R$ 110 bilhões.

fechamento da semana

Tensão em Brasília leva Ibovespa de volta aos 110 mil pontos e afunda estatais; dólar vai a R$ 5,60

Em semana marcada pela tensão entre governo e mercado, o Ibovespa recuou 7,09%, de volta aos 110 mil pontos. O dólar disparou acima dos R$ 5,60

Abandonando o barco?

Ações do Banco do Brasil recuam quase 5% com possibilidade de saída de André Brandão

Brandão tem mostrado insatisfação com o cargo e quer deixar o comando da estatal, segundo jornal; BB nega que presidente tenha renunciado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies