Menu
2019-05-28T09:34:27-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Mundo das montadoras

Três casamentos e um quase funeral: as fusões e parcerias das fabricantes de carros ao longo dos anos

Proposta de fusão da Fiat Chrysler com a Renault mostra que o mundo das montadoras está passando por intensas transformações. Mas a criação de alianças não é nova e já ocorreu com outras gigantes do setor. Veja mais detalhes

27 de maio de 2019
15:01 - atualizado às 9:34
Montadora de carros e veículos
Imagem: Shutterstock

Ao que tudo indica o mundo das montadoras pode passar por mais uma grande transformação. Isso porque a Fiat Chrysler (FCA) anunciou hoje (27) a proposta de fusão com a francesa Renault para criar o que será a terceira maior montadora em produção, atrás apenas da alemã Volkswagen e da japonesa Toyota.

À frente da General Motors (GM), a expectativa da FCA é que a fusão de ambas daria origem a uma companhia com valor de mercado próximo de US$ 37 bilhões, ou seja, R$ 149 bilhões. O objetivo da fusão é enfrentar os desafios estruturais da indústria global de carros, segundo o que foi informado no comunicado da empresa.

Apesar da novidade, a proposta de unir ou de promover parcerias entre gigantes do setor não é de agora. A própria Fiat andou "namorando" a GM pouco tempo atrás, mas o romance não foi adiante e a aliança entre as empresas não se concretizou.

Confira outros casamentos que ocorreram no setor após longos anos de "paqueras". Além de um quase funeral que por pouco não atrapalhou as negociações entre Nissan, Renault e Mitsubishi.

Ford e Volkswagen

No início deste ano, as montadoras Ford e Volkswagen anunciaram uma parceria entre as empresas com o objetivo de promover a criação de novos produtos e tecnologias. Com isso, foi estabelecida uma aliança estratégica entre as duas, mas sem a compra ou troca de ações.

Ano de conclusão: 2019;

Tipo de parceria: Aliança estratégica (ambas as empresas preservam as suas identidades, marcas e redes de concessionárias);

Objetivo: Fazer com que ambas somassem forças, integrassem operações e reduzissem custos para ajudar no desenvolvimento de carros autônomos e veículos elétricos;

 

Fiat e Chrysler

Ano de conclusão: 2014;

Tipo de parceria: Fusão internacional criada a partir da aquisição de 51% das ações da Chrysler pela Fiat. Na ocasião, foi criada a Fiat Chrysler (FCA);

Objetivo: A incorporação buscava abrir caminho para listar as ações da FCA em Nova Iorque, o que ajudaria a financiar um ambicioso plano de investimentos. A ideia era entrar na briga com as rivais General Motors e Ford;

Resultados: O primeiro carro que foi 100% desenvolvido pelas duas após a parceria foi o Jeep Renegade;

 

Renault, Nissan e Mitsubishi

Ano: A parceria entre Renault e Nissan foi estalecida em 1999. Já a aliança estratégia entre a Renault e Mitsubishi ocorreu em 2016;

Tipo de parceria: Aliança estratégica de longo prazo;

Como funciona: No caso da Nissan e da Renault, a fusão nunca foi concretizada, mas cada uma é dona de ações da outra. Ou seja, a Renault é dona de uma fatia da Nissan, que por sua vez é dona de parte da Renault. Na prática, elas dividem linhas de produção, têm investimentos em comum, além de parcerias com fornecedores e compartilhamento de armazéns de peças, o que resulta em menos gastos para ambas.

A parceria teve início quando a Nissan vendeu 36,8% de suas ações para a Renault, em 1999. Naquele momento, a companhia estava à beira da falência. Hoje, a situação virou e a marca francesa é a maior acionista da Nissan, com 43% das ações da companhia.

Já a Mitsubishi entrou na jogada quando o grupo liderado pelo brasileiro Carlos Ghosn adquiriu 34% das ações e virou sócio majoritário da companhia japonesa. Na ocasião, a empresa passava por momentos de dificuldade depois de admitir fraude em dados de consumo de combustível de carros. Tudo ia bem até o brasileiro Ghosn ser acusado de má conduta financeira.

Diante da repercussão sobre o caso, as três companhias optaram por fazer uma revisão das parcerias. Em março deste ano, os presidentes das três empresas anunciaram a criação de uma nova diretoria operacional para a aliança. O objetivo é fazer com que ela fiscalize todas as operações financeiras entre as empresas e evite que o caso se repita.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Banco Central monta centro para acelerar a criação de fintechs

Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT) apoia startups financeiras a desenvolverem projetos ao lado de técnicos que elaboram as normas regulatórias do mercado brasileiro.

Funcionários da Petrobras

FNP diz que todas as plataformas do litoral paulista aderiram à greve dos petroleiros

Petrobras diz que não está havendo redução da produção por conta do movimento, mas coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros diz que estatal “mente”.

Sucessão

Herdeiros do agronegócio aliam tradição a avanço tecnológico

Nova geração de empresários do campo estão assumindo os negócios da família e ganhando influência no meio do agronegócio; conheça algumas histórias

Entrevista

Para Deutsche Bank, política ambiental de Bolsonaro prejudica investimento estrangeiro no país

Para Deepak Puri, diretor da área de Wealth Management nas Américas do Deutsche Bank, mesmo assim Brasil deve registrar uma recuperação mais forte neste ano.

Ganhando terreno

Carrefour anuncia aquisição de 30 lojas do Makro por R$ 1,95 bilhão

O plano da varejista é converter as bandeiras das unidades para Atacadão dentro de até um ano após fechar a transação

AS LIÇÕES 'FIRE' DO BILIONÁRIO

O que você perguntaria a Warren Buffett?

Aos 89, o mago de Omaha tem muito a ensinar a quem procura dar um gás nos seus investimentos em busca da sua aposentadoria precoce

Risco de lascas de vidro

Heineken anuncia recall voluntário de lotes de long neck com problemas na garrafa

A empresa identificou alteração na embalagem que pode levar lasca de vidro a ser aberta

Após imbróglio com os russos

Fertilizantes Heringer homologa plano de recuperação judicial

Segundo Fato Relevante divulgado ontem pela companhia, o plano foi homologado pelo juízo da 2ª Vara Cível da Comarca de Paulínia

Impostos

Decreto para zerar tributo em querosene de aviação sai neste ano, diz Secretário

O governo vai editar um decreto para zerar, a partir de 2021, a incidência de PIS/Cofins sobre o combustível utilizado em aeronaves.

Entrevista

‘A grande vacina é a continuidade das reformas’, diz Ana Paula Vescovi, economista do Santander

Banco revisou para baixo previsão de crescimento para 2020, após indicadores fracos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements