Menu
2021-01-12T18:26:49-03:00
Rafael Lara
Rafael Lara
Estudante de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero de São Paulo. Trabalhou em empresas como: TV Gazeta, Suno Research e Portal iG.
Fechou as fábricas

Saída da Ford do Brasil deve impactar locadoras de veículos a curto prazo, diz Credit Suisse

Em relatório, banco suíço fala do impacto da saída da Ford e da Mercedes-Benz do país. Veja quais locadoras serão as mais afetadas.

12 de janeiro de 2021
12:05 - atualizado às 18:26
Ford
Ford - Imagem: shutterstock

O Brasil vai demorar a acelerar após a Ford ter tirado suas fábricas do País, segundo relatório divulgado nesta terça-feira (12) pelo Credit Suisse

Leia também:

Na última segunda-feira (11), a Ford comunicou ao mercado a intenção de fechar suas três fábricas no Brasil, em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE), o que encerrou a produção de automóveis da marca no País. Vale a pena lembrar que a Mercedes-Benz também fechou sua fábrica no Brasil (Iracemápolis, SP), que produzia os modelos Classe C e GLA.

No relatório, o analista do banco de investimentos suíço, Regis Cardoso, dá um panorama do impacto da Ford e da Mercedes no Brasil: dos 1,6 milhões de carros produzidos no País, a Ford foi responsável por 119 mil carros (7,4%). Mercedes-Benz representou cerca de 0,4% (6,8 mil carros).

Ainda dando panoramas de produção no País, o Credit fala que "a produção total de veículos no Brasil em 2019, em um cenário não pandêmico, atingiu 2,95 milhões de carros, o que representa uma taxa de utilização de 58,4% considerando os 5,05 milhões de carros por ano de capacidade atualmente instalada no país".

Por conta disso, a saída da Ford deve ter efeitos limitados de médio a longo prazo sobre a disponibilidade de carros no Brasil, já que outras empresas têm capacidade ociosa para atender à demanda. 

Locadoras de veículos sofrerão

O setor de locadoras de veículos deve ser o mais afetado pela saída da empresa americana do Brasil. A Localiza, por exemplo, deve ser a mais impactada, já que 14% da sua frota atual viria da Ford. 

A Unidas seria a vice, já que 12% de sua frota viria da Ford. A Movida, por outro lado, deve ser a menos afetada, já que apenas 0,5% de sua frota atual vem da empresa americana. 

O banco de investimentos adiciona que "a decisão da montadora de deixar o Brasil pode ter repercussão negativa para as locadoras, já que a redução da produção local e da capacidade ociosa pode reduzir seu poder de barganha na compra de carros novos."

Além disso, as empresas de bens de capital também podem ser afetadas. A redução da demanda doméstica por autopeças pode impactar negativamente empresas de bens de capital da cadeia de valor automotiva, como a Iochpe-Maxion (MYPK3), explica o Credit.

"No entanto, acreditamos que o impacto será limitado, pois poderá ser compensado por um ganho de participação de players locais ou por veículos importados de fabricantes fornecidos pela empresa", completa o banco. 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

novata na bolsa

HBR Realty sobe mais de 1% em primeiro dia na B3

Empresa, que atua no segmento de desenvolvimento e administração de propriedades, optou por formato diferente de IPO

em evento

BNDES diz que seguirá firme na estratégia de vender participação acionária

Segundo Montezano, a estratégia de desinvestimentos passa por se desfazer de participações acionárias em “empresas maduras”, como “Petrobras, Vale, Suzano, Klabin e AES Tietê”

futuro da companhia

Vaga na Eletrobras abre disputa no governo e pode definir futuro da estatal

Enquanto a área econômica do governo quer encontrar um executivo à altura de Ferreira Júnior, que acredite na capitalização da companhia, o mundo político aposta no ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque

economia circular

Enjoei planeja ampliar acordos com grandes marcas, diz CEO

Empresa, que já tem parceira com a C&A, quer tornar a experiência de compra e venda de itens usados “menos pensada”; papéis já subiram 60% desde IPO

executivo dos sonhos

Otimismo toma conta de investidores da BR Distribuidora com chegada de ex-CEO da Eletrobras

Trabalho feito pelo executivo na Eletrobras anima investidor quanto às perspectivas futuras da distribuidora de combustíveis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies