Menu
2019-11-06T09:04:13-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

Olho no dólar enquanto governo faz megaleilão do pré-sal

Quanto maior a participação de empresas estrangeiras, maior a expectativa de entrada de dólares por aqui

6 de novembro de 2019
5:06 - atualizado às 9:04
petróleo e dólares
Imagem: Shutterstock

O apetite das empresas estrangeiras no megaleilão da cessão onerosa dos campos do pré-sal pode ter implicações sobre a cotação do dólar, que segue negociado na faixa dos R$ 4.

A razão é fácil de entender, mas veremos que o assunto é um pouco mais complexo. Quanto maior a participação das empresas estrangeiras, maior a expectativa de fluxo de entrada de dólares por aqui. As empresas deverão realizar grande parte do pagamento do chamado bônus de assinatura no dia 27 de dezembro. A depender da participação, parte poderá ser paga em 2020.

A operação é uma das maiores já realizadas no mundo e deve movimentar R$ 106 bilhões, sendo que ao menos R$ 70 bilhões já são praticamente certeza. Vale lembrar que outro leilão, mas muito menor, coisa de R$ 8 bilhões de novas áreas de exploração, acontece na quinta-feira.

Para parte do mercado, o evento é um sinal claro para venda de dólares. Em relatório divulgado na semana passada, o J.P. Morgan recomendou ficar comprado no real (vendido em dólar) e o leilão foi um dos dois fatores elencados pelo banco.

O leilão começa por volta das 10h e logo no primeiro lote o mercado deverá ter uma indicação do apetite estrangeiro.

O campo de Búzios é o maior deles e seria o mais cobiçado. Aqui, será importante ver a participação da Petrobras, que já disse que vai brigar sozinha ou em parceria com outras empresas. Há 14 companhias inscritas, mas duas já disseram que não vão participar (BP e Total).

Em tese, quanto maior a fatia da Petrobras, menor seria a possibilidade de ingresso de recursos estrangeiros. Aqui também podemos ver desdobramentos sobre a cotação das ações da empresa.

Parte do mercado acredita que seria negativo se a empresa tivesse de desembolsar muito mais que os US$ 9 bilhões que receberá do governo pela revisão do contrato de cessão onerosa pela participação no campo. Outra ala avalia isso como positivo, já que a empresa estaria investindo justamente em exploração e produção, enquanto desinveste de outras áreas, como refino e distribuição. O preço ditará quem está "certo" ou "errado".

Outro ponto a ser considerado é que como a Petrobras já fez investimentos no campo de Búzios, quem ganhar terá de compensar a estatal pelos investimentos já realizados. As partes terão prazo para acertar os termos, mas a estatal teria mais de US$ 20 bilhões a receber pela compensação.

Também tivemos notícias de que dois campos menores podem não ter ofertas. Se isso não se confirmar, seria mais uma indicação positiva para o real.

Mas independentemente das oscilações de preço de curto prazo, a realização do leilão já é uma boa notícia e um sinal positivo, marcando um novo momento dos investimentos no país.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Exile on Wall Street

Estamos para ver o surgimento de um grande conglomerado de moda no Brasil?

Varejo é um jogo de escala. Quanto mais você vende, mais compra. Isso vale não só para os insumos, mas para tudo

Tecnologia no varejo

Magazine Luiza e Totvs anunciam parceria para integração de plataforma e marketplace

Para os vendedores, a notícia representa vendas diretas com taxas menores; já para os consumidores a vantagem é a entrega mais rápida

busca por acordo

Investidores cobram até R$ 60 bi da Petrobras em processos de arbitragem

Casos incluem tanto investidores nacionais quanto estrangeiros e vieram na esteira da Operação Lava Jato, que apontou práticas ilícitas na estatal

país em crise

Concorrente do Uber, Cabify encerra operações no Brasil por conta da pandemia

Fundada há 10 anos em Madri, empresa enfrentou um mercado altamente competitivo no Brasil, mas crise recente foi decisiva para startup deixar o país

TIM Brasil poderá emitir até R$ 5,7 bilhões em debêntures incentivadas

O projeto da operadora para melhorias nas redes fixas e móveis de 21 unidades da federação entrou na lista de autorizações do Ministério das Comunicações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies