Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-14T14:16:03-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
O futuro das transações online?

Facebook anuncia a criação da Libra – que promete popularizar as transações com criptomoedas

Além da Libra, o Facebook também anunciou o lançamento de uma subsidiária independente chamada Calibra, que será responsável por criar serviços que possam facilitar as transações com a criptomoeda

18 de junho de 2019
9:12 - atualizado às 14:16
Facebook Criptomoeda Libra Bitcoin
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Agora é oficial! O Facebook anunciou nesta terça-feira (18) a criação da Libra, sua criptomoeda própria que deverá entrar em funcionamento em 2020.

E o Facebook não está sozinho nessa, conforme comentamos por aqui na semana passada. Outras gigantes da tecnologia como Visa, Mastercard, Uber e PayPal também se uniram para criar a Libra Association, organização sem fins lucrativos que será responsável pela administração e implementação da moeda.

Segundo o comunicado publicado pelo criador do Facebook Mark Zuckerberg em sua página oficial, a missão da Libra é "criar uma infraestrutura financeira global que empoderará bilhões de pessoas ao redor do mundo", já que tem como princípios a facilidade de acesso aos serviços e seu baixo custo, bastante acesso a um smartphone e conexão com a internet. O objetivo é utilizar a plataforma de 2,4 bilhões de usuários da rede social para popularizar as transações com criptomoedas.

Na semana passada, após o The Wall Street Journal anunciar que o Facebook já tinha data para lançar oficialmente a sua moeda, o bitcoin surfou na onda e ultrapassou a barreira dos US$ 9 mil, o seu maior valor em um ano.

Calibra

Além da Libra, o Facebook também anunciou o lançamento de uma subsidiária independente chamada Calibra, que será responsável por criar serviços que possam facilitar as transações com a criptomoeda. O primeiro passo será a criação de uma "carteira digital", onde será possível armazenar o dinheiro e estará disponível no Messenger, WhatsApp e como um aplicativo independente já no ano que vem.

O aplicativo também permitirá transações com um baixo custo para qualquer pessoa com um smartphone. No futuro, a empresa também planeja embarcar em outros setores do mundo do pagamento, permitindo que pessoas e empresas paguem contas de formas simplificadas e até mesmo substituam a utilização de bilhetes de transporte público.

Libra Association

A Libra Association, criada com o uso de tecnologia blockchain funcionará de forma independente do Facebook e será administrada pelas 27 empresas que atualmente fazem parte do projeto. Em nota, a empresa justifica a iniciativa como uma forma de deixar o sistema mais justo para os seus usuários.

Para garantir a proteção do dinheiro, o sistema fará uso de criptografia. Já para solucionar um problema presente em outras criptomoedas, a instabilidade, a Libra deve estar vinculada a a uma série de outras moedas já emitidas pelo governo, se tornando assim uma moeda estável.

O Calibra não deve ser o único serviço disponível para as transações com a Libra. Outras empresas de pagamento como Mastercard, Paypal, PayU, Stripe e Visa também trabalham na criação de ferramentas para facilitar as transações com a criptomoeda.  Empresas populares como Booking.com, eBay, Farfetch, Lyft, Spotify e Uber também fazem parte da iniciativa e oferecerão serviços para a Libra.

 

Focando na popularização do acesso aos serviços bancários e na importância da independência financeira na vida das pessoas, o Facebook também tem como parceiros ONGs como Kiva, Mercy Corps e Women's World Banking.

A associação já conta com a participação de companhias do setor de criptomoedas, espera ter mais de 100 sócios até a sua data oficial de lançamento. Cada empresa associada contribuiu com US$ 10 milhões. O objetivo é arrecadar US$ 1 bilhão em investimentos até 2020.

Privacidade

Segundo a empresa, a privacidade dos dados dos usuários está assegurada. Todos os dados compartilhados com o Calibra serão armazenados de forma independente e mantidos separadamente daqueles compartilhados com o Facebook. A rede social de Mark Zuckerberg é pivô de diversos escândalos envolvendo a quebra de sigilo de dados de seus usuários.

A co-governança da associação também visa garantir que os interesses de seus usuários esteja garantido. O Calibra contará com um time de experts em gerenciamento de risco que deverá prevenir que a plataforma seja utilizada para fins fraudulentos, um problema enfrentada por diversas criptomoedas hoje no mercado.

As principais informações sobre a Libra e a Libra Associaton estão reunidas no link.

 

 

 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Ventos contrários

Renova Energia não consegue “proteção” contra minoritários da própria empresa

Empresa perdeu ação no TJ-SP que tentata impedir os acionistas de produzirem provas contra a empresa, relativas à investigação sobre desvio de recursos

Preocupação

Vidas secas? Bolsonaro admite que Brasil vive “enorme crise hidrológica”

Presidente citou a falta de chuvas como um dos grandes problemas econômicos do país, juntamente com os efeitos causados pela pandemia

MESA QUADRADA

“Não me arrependo de nada. Só não posso dar conselhos financeiros para ninguém”, diz Bob Wolfenson, o fotógrafo das celebridades entrevistado no 7º episódio do Mesa Quadrada

Em em conversa para o podcast Mesa Quadrada, Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, conversam sobre dinheiro e carreira com Bob Wolfenson, ícone da fotografia brasileira

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

O melhor do Seu Dinheiro

Os melhores investimentos do mês e as notícias que foram destaque na semana

lém do ranking, tivemos o Ibovespa em queda de 2,60, e uma entrevista exclusiva com o CEO da Ânima Educação, que busca um “modelo Magalu”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies