Menu
2019-08-26T13:58:39-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Débito ou crédito

Além da maquininha, Cielo terá aplicativo para conta digital voltado a empreendedor

Batizado de Cielo Pay, o aplicativo será lançado em outubro e terá conta com rendimento de 100% do CDI, além de permitir a cobrança por vendas sem uso da maquininha

26 de agosto de 2019
13:58
Prédio da Cielo
Imagem: Cielo/Divulgação

Em uma ofensiva para disputar o promissor mercado de pagamentos no segmento de microempreendedores, a Cielo quer ir além da maquininha de cartão de crédito e anunciou hoje o lançamento de um aplicativo de conta digital.

Batizado de Cielo Pay, o app vai incorporar uma conta digital por meio da qual os clientes poderão receber os valores das vendas na hora mesmo sem contar com as maquininhas.

A empresa vai oferecer também alguns serviços bancários pelo aplicativo, como saques e transferências e, futuramente, crédito. Ou seja, pode ser o primeiro passo para a companhia virar um banco completo, ainda que o presidente da Cielo, Paulo Caffarelli, não confirme essa informação.

"Nós já acompanhamos a vida do cliente como vendedor e agora vamos acompanhar a jornada dele como consumidor", afirmou Caffarelli, que reuniu a imprensa hoje para apresentar o novo produto.

O aplicativo começa em fase de testes para funcionários nesta semana. O lançamento para o público em geral está previsto para o dia 14 de outubro.

Com o novo serviço, a empresa controlada por Banco do Brasil e Bradesco espera abocanhar um mercado que cresce a taxas de 40% ao ano.

A PagSeguro, do grupo UOL, foi a pioneira a explorar esse segmento e hoje conta com uma base de 9,4 milhões de contas, entre lojistas e clientes, e em maio deste ano lançou o banco digital PagBank. A Stone também está de olho nesse mercado e anunciou recentemente uma parceria com o Grupo Globo.

A Cielo começou a atuar mais fortemente no mercado de empreendedores apenas no ano passado, com a venda de maquininhas. A expectativa da companhia é atingir 1 milhão de terminais vendidos em setembro.

Líder no mercado de maquininhas, a Cielo vem sendo atacada pelos novos concorrentes, mas vem reagindo com uma estratégia que prioriza o ganho de participação em detrimento das margens. No segundo trimestre deste ano, o lucro da empresa caiu 33,3%, para R$ 431,2 milhões.

O aplicativo

A Cielo lançou sua conta digital no fim do ano passado, que possui hoje 100 mil usuários. Com o aplicativo, a empresa pretende ampliar a divulgação e acelerar essa taxa de crescimento, segundo Caffarelli. A meta, porém, não foi revelada.

Assim como as demais contas digitais, a Cielo Pay não cobrará tarifas, mas alguns serviços, como TED e saques na Rede 24 horas, serão cobrados. Ao receber suas vendas pelo aplicativo, o usuário também está sujeito às taxas da maquininha (MDR).

Para atrair os usuários, a empresa incluiu uma série de funcionalidades, como o rendimento de 100% do CDI para os recursos que ficarem parados na conta. Além da conta digital, o app terá a função de carteira digital, que permite o pagamento de contas com os cartões cadastrados.

O aplicativo também vai oferecer transferência de dinheiro para os contatos do usuário no celular sem a necessidade dos dados bancários de quem vai receber os recursos.

O Cielo Pay vai oferecer ainda assistência grátis em serviços de eletricista, encanador e informática (help desk). Embora seja voltado aos empreendedores e lojistas que fazem vendas, qualquer pessoa pode baixar e ter uma conta.

Banco próprio?

Caffarelli se esquivou de falar sobre os planos de a Cielo ter um banco próprio no futuro. Ao ser questionado se a empresa não está em uma situação de desvantagem sobre os concorrentes que têm banco próprio, o executivo rebateu:

"Nós temos dois bancos", afirmou, em referência ao BB e Bradesco. Para ele, a capilaridade da rede de agências que cobre todo o território brasileiro representa uma vantagem para a Cielo em relação à concorrência.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

TECNOLOGIA

Xiaomi supera Apple em venda de celulares

O levantamento também mostra que a Samsung voltou ser a líder global de vendas de smartphones, após perder a liderança do mercado para a também chinesa Huawei, que ficou no topo por um único trimestre.

BOMBOU NO SEU DINHEIRO

Melhores da Semana: O Halloween dos mercados

A segunda onda de coronavírus é um ‘fantasma’ que ronda os mercados desde o início do ano. Muita gente não acreditou. Nesta semana, ele mostrou as caras.

POLÍTICA

Bolsonaro grava para campanhas e aposta em 2º turno em RJ e SP

Presidente busca apoiar aliados para tentar formar base nos grandes colégios eleitorais para sua campanha de reeleição em 2022

responsabilização

JBS aprova em assembleia ação contra irmãos Batista

Processo diz respeito a prejuízos causados por crimes revelados nos acordos de colaboração e leniência firmados pela JBS com a Procuradoria Geral da República

em live

Se necessário, voltaremos a fazer transferência do BC para o Tesouro, diz secretário

Em agosto, CMN já havia autorizado o Banco Central a repassar R$ 325 bilhões para o Tesouro Nacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies