Menu
2019-04-04T12:22:42-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Banco público

Caixa terá empresa própria de maquininhas de cartões, diz novo presidente

“O único banco grande que não tem uma adquirente é a Caixa. E isso vai mudar”, disse o novo presidente do banco público, Pedro Guimarães. Dependendo do caminho adotado, a Cielo pode ser afetada. Veja por quê

30 de janeiro de 2019
10:30 - atualizado às 12:22
Caixa Econômica Federal
Agência da Caixa Econômica Federal em São Paulo - Imagem: Itaci Batista/Estadão Conteúdo

A Caixa Econômica Federal terá uma empresa própria de maquininhas de cartão (adquirência), afirmou o novo presidente do banco público, Pedro Guimarães.

"O único banco grande que não tem uma adquirente é a Caixa. E isso vai mudar", ele disse, durante participação em evento promovido pelo Credit Suisse.

Um dos serviços que o banco pretende oferecer com sua própria empresa de maquininhas é a antecipação de recebíveis, segundo Guimarães.

Hoje o banco atua em parceria com a Cielo, controlada por Banco do Brasil e Bradesco. Ou seja, se a Caixa decidir ter uma empresa independente, a empresa pode potencialmente ser afetada.

Por outro lado, se o arranjo planejado pelo novo presidente da Caixa envolver a Cielo, o negócio pode representar um impulso para a companhia.

Guimarães deu um prazo de dois meses para anunciar o que o banco pretende fazer. Mas ele não disse que não poderia falar qual a estratégia que será adotada.

Ainda na área de cartões, a Caixa também pretende atuar no negócio de cartão de crédito consignado, de acordo com Guimarães, que deixou o evento sem falar com os jornalistas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Recuperando lentamente

Volkswagen prevê lucro operacional ajustado mais baixo em 2020

A montadora projeta fluxo de caixa líquido de cerca de 6 bilhões de euros.

“HBRE3”

Segmento imobiliário da B3 vai ganhar mais um nome, a HBR Realty

Do mesmo fundador da Helbor, companhia chega à bolsa após levantar R$ 729,6 milhões em oferta restrita de ações

Mercados hoje

Ibovespa abre em forte queda em meio a risco fiscal e aumento da covid-19 no mundo

Pela manhã, já havia uma expectativa que a bolsa brasileira acompanhasse as quedas das bolsas europeias, índices futuros de Nova York e de commodities no exterior.

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta sexta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

MELHORANDO

Mesmo com avanço do faturamento, prejuízo do IRB cresce em novembro

Perda de R$ 124,5 milhões foi atribuída pelo ressegurador ao aumento das despesas financeiras após mudanças regulatórias

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies