Menu
2019-04-04T12:22:42-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Banco público

Caixa terá empresa própria de maquininhas de cartões, diz novo presidente

“O único banco grande que não tem uma adquirente é a Caixa. E isso vai mudar”, disse o novo presidente do banco público, Pedro Guimarães. Dependendo do caminho adotado, a Cielo pode ser afetada. Veja por quê

30 de janeiro de 2019
10:30 - atualizado às 12:22
Caixa Econômica Federal
Agência da Caixa Econômica Federal em São Paulo - Imagem: Itaci Batista/Estadão Conteúdo

A Caixa Econômica Federal terá uma empresa própria de maquininhas de cartão (adquirência), afirmou o novo presidente do banco público, Pedro Guimarães.

"O único banco grande que não tem uma adquirente é a Caixa. E isso vai mudar", ele disse, durante participação em evento promovido pelo Credit Suisse.

Um dos serviços que o banco pretende oferecer com sua própria empresa de maquininhas é a antecipação de recebíveis, segundo Guimarães.

Hoje o banco atua em parceria com a Cielo, controlada por Banco do Brasil e Bradesco. Ou seja, se a Caixa decidir ter uma empresa independente, a empresa pode potencialmente ser afetada.

Por outro lado, se o arranjo planejado pelo novo presidente da Caixa envolver a Cielo, o negócio pode representar um impulso para a companhia.

Guimarães deu um prazo de dois meses para anunciar o que o banco pretende fazer. Mas ele não disse que não poderia falar qual a estratégia que será adotada.

Ainda na área de cartões, a Caixa também pretende atuar no negócio de cartão de crédito consignado, de acordo com Guimarães, que deixou o evento sem falar com os jornalistas.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Mercado aquecido

O minério de ferro virou pedra preciosa — e Vale e siderúrgicas são joias na bolsa

O minério de ferro sobe forte desde 2020 e já vale mais de US$ 200 a tonelada. Um cenário animador para Vale, Gerdau, CSN e Usiminas

Segue na gaveta

Após defender proposta do governo, Guedes afirma não estar surpreso com falta de avanço da reforma administrativa na pandemia

O ministro também criticou a estabilidade após pouco tempo de serviço público, um dos alvos da proposta de reforma do governo

INVESTIMENTOS

ETF de criptomoedas: conheça o HASH11, a oportunidade de comprar bitcoin e outras 5 criptos na bolsa com um clique

Com esse fundo, é possível ter exposição a criptoativos de maneira simples, segura e regulada. Em entrevista ao podcast RadioCash, executivos da gestora brasileira Hashdex explicam quais os riscos e oportunidades do ETF e desse criptomercado, confira:

Na CCJ da Câmara

Reforma administrativa é bastante moderada e foi fruto de muita conversa, diz Guedes

Depois de muito tempo engavetada, a proposta de reforma administrativa foi enviada ao Congresso no começo de setembro do ano passado e não tem impacto na estabilidade e nos salários dos atuais funcionários públicos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies