O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2019-09-20T18:05:06-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
O céu é o limite?

Ações da Braskem disparam na bolsa após notícias sobre venda pela Odebrecht

Construtora teria recontratado a empresa Lazard para dar continuidade às negociações de venda da sua participação na Braskem

20 de setembro de 2019
15:01 - atualizado às 18:05
Site da Braskem com lupa apontada para o logotipo da companhia
Imagem: Shutterstock

Parece um jato, mas é apenas a ação da Braskem voando na bolsa de valores no último pregão da semana. Os papéis preferenciais da série A da companhia chegaram a apresentar invejáveis 7% de alta no meio da tarde desta sexta-feira (20). Tudo porque a Odebrecht estaria retomando a venda de sua participação na petroquímica, um processo que foi colocado na gaveta em junho deste ano.

De acordo com o site Brazil Journal, a construtora está contratando a empresa Lazard para seguir com as negociações de venda. As reuniões entre o management da holding e o banco de investimentos já estariam acontecendo.

Os investidores parecem ter gostado da novidade e foram às compras. No fechamento do pregão, os papéis PNA da Braskem (BRKM5) subiram 5,30%, liderando altas do Ibovespa. Já os papéis ON da empresa, que estão fora do principal índice da B3, registraram alta de 0,85%. Confira nossa cobertura completa de mercados.

Uma velha conhecida

Vale lembrar que foi a própria Lazard que capitaneou as negociações com a LyondellBasell em nome da Odebrecht. O acordo entre as companhias, no entanto, acabou não saindo do papel. Na época, a empresa holandesa informou que a operação envolvendo 100% da participação da Odebrecht era interessante, mas que "após análise cuidadosa as empresas decidiram não seguir com a tratativa".

Caso fosse concretizado, o negócio poderia render cerca de R$ 20 bilhões aos cofres da Odebrecht, que desde os escândalos de corrupção na Operação Lava Jato passa por momentos delicados.

Conversas de corredor afirmam que a gota d'água para o negócio com a LyondellBasell desandar pode ter sido a entrada em recuperação judicial de outra empresa do Grupo Odebrecht, a Atvos, que tem ações da Braskem como garantia para a sua dívida de quase R$ 12 bilhões.

Não vai ser fácil

Apesar da euforia com a volta das negociações, é válido lembrar que o caminho para a venda da Braskem está longe de ser fácil. O Brazil Journal afirma que a petroquímica precisa cumprir uma espécie de ‘checklist’ de pendências antes que qualquer oferta seja feita.

O principal entrave é a solução do passivo gerado pela operação de salgema em Alagoas, que acabou fazendo com que bairros da capital Maceió afundassem. O Ministério Público de Alagoas inclusive chegou a pedir R$ 20 bilhões em indenizações.

Outra questão envolve a Petrobras, que também é acionista da Braskem. Tanto a petroleira quanto a Odebrecht ainda precisa firmar um acordo sobre os procedimentos envolvendo a venda da participação da construtora. A questão envolve métodos de venda e o destino das ações.

*Com informações do Brazil Journal.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

FECHAMENTO DO CÂMBIO

Dólar cai e fica abaixo dos R$ 5,00. Euro recua 1,19% e vale R$ 5,21; confira o que movimentou o câmbio nesta terça-feira

O pronunciamento de Jerome Powell, presidente do Fed, esteve no centro da agenda do dia

S&P 500 sobe com uma forcinha de Apple (AAPL34) e Tesla (TSLA34); saiba mais sobre a recuperação das bolsas nos EUA

Números positivos do varejo também ajudaram a reverter parte do pessimismo que vinha dominando as negociações em Nova York

O PIOR FICOU PRA TRÁS?

Magazine Luiza (MGLU3) tropeça de novo no 1T22 e ações levam tombo na B3; ainda vale a pena comprar MGLU3?

Inflação e juros altos foram barreiras ao desempenho da varejista no primeiro trimestre do ano, quando houve reversão de lucro para prejuízo de R$ 161,3 milhões

DESTAQUE NEGATIVO DO DIA

Hapvida (HAPV3) decepciona e tomba 17% hoje, mas analistas creem que o pior já passou – e que as ações podem subir mais de 100%

Os números do primeiro trimestre foram pressonados pela onda da variante ômicron, alta sinistralidade e baixo crescimento orgânico, mas analistas seguem confiantes na Hapvida

A BOLSA COMO ELA É

Quer conquistar sua liberdade financeira? Descubra como iniciar sua jornada em direção à riqueza — com direito a um presente logo no começo

Para enriquecer de verdade, é necessário usar algumas estratégias; em uma semana, vou iniciar uma Jornada com o objetivo de te ensinar todos esses macetes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies