🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2 MIL POR DIA – SAIBA COMO

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
TRANSAÇÃO INTELIGENTE

Braskem (BRKM5) paga R$ 121 milhões por 61,1% da Wise — saiba quem é a empresa de reciclagem

Com capacidade para reciclar 25 mil toneladas de resíduos plásticos por ano, a Wise tem em sua carteira de clientes empresas como Unilever, Natura, Boticário, P&G e L’Oreal

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
2 de agosto de 2022
20:11 - atualizado às 7:41
Vista da então nova unidade da Braskem Petroquímica, em Paulínia, São Paulo. Petrobras (PETR3 e PETR4) e Novonor são as principais acionistas da Braskem (BRKM5) | Dividendos
Imagem: Estadão Conteúdo/Alex Silva

A Braskem (BRKM5) desembolsou R$ 121 milhões para a compra de 61,1% da Wise Plásticos, sediada em Itatiba, no interior de São Paulo, e que opera no setor de reciclagem mecânica há 15 anos. 

Com capacidade para reciclar 25 mil toneladas de resíduos plásticos por ano, a Wise tem em sua carteira de clientes empresas como Unilever, Natura, Boticário, P&G e L’Oreal.

Apesar de trabalhar com resíduos plásticos, a Wise não concentra suas atividades nas garrafas PET, que são as embalagens mais recicladas no Brasil e muito usadas nos ramos de alimentos e bebidas. 

Os materiais que a Wise reaproveita são o polietileno de alta densidade (PEAD), usado em galões, e o polipropileno (PP), matéria-prima das tampas. 

Um pouco da história da Wise

A Wise foi criada em 2007 para fabricar dormentes para ferrovias e cruzetas de postes de iluminação feitos de plástico reciclado, em substituição à madeira.

Seu fundador, Rogerio Igel, pertence à família controladora do grupo Ultra, que é dono da rede de postos Ipiranga e também da Ultragaz.

Cinco anos após a sua criação, a Wise passou a se concentrar na produção de resinas recicladas para aplicações mais simples, como sacos de lixo, utilidades domésticas e brinquedos. 

Mas o salto tecnológico veio nos três anos seguintes, quando a Wise alcançou o padrão de qualidade comparável ao da resina virgem usada pela indústria de consumo. 

A Wise em números

A Wise produziu cerca de 20 mil toneladas de resina no ano passado, com um faturamento de R$ 250 milhões. 

Bruno Igel, filho do fundador, disse em entrevista ao Capital Reset que o objetivo é atingir 30 mil toneladas em 2022 e 50 mil toneladas até 2025. Segundo ele, a empresa cresce a uma taxa de 5% ao ano.

E não é à toa que a Wise tem essa meta. O Brasil consome por ano cerca de 8 milhões de toneladas de plástico virgem para todo o tipo de aplicação. 

Dados da Picplast, iniciativa da Abiplast e da Braskem, mostram que o país gerou 3,5 milhões de toneladas de resíduos plásticos pós-consumo em 2019 e reciclou apenas 24% deste volume.

Veja também: É hora de investir na bolsa?

O que a Braskem quer com a Wise

A Wise conta com um plano estratégico de expansão. Dos R$ 121 milhões desembolsados pela Braskem (BRKM5), parte relevante será aportada diretamente na duplicação da capacidade produtiva atual da empresa para cerca de 50 mil toneladas. 

Segundo a Braskem, a aquisição tem como objetivos acelerar o desenvolvimento da cadeia e alavancar a reciclagem no Brasil. 

Além disso, o negócio se insere no objetivo da Braskem de eliminar resíduos plásticos — que inclui projetos voltados para educação, infraestrutura de reciclagem, reciclagem mecânica e reciclagem avançada. 

*Com informações do Capital Reset

Compartilhe

DESTAQUES DA BOLSA

Falta de apetite chinês derruba as ações de Vale (VALE3), Gerdau (GGBR4) e CSN (CSNA3); mineradoras e siderúrgicas lideram quedas do Ibovespa hoje

23 de julho de 2024 - 14:18

A performance dos papéis reflete a queda da matéria-prima do aço no mercado internacional pelo segundo dia consecutivo

Novo indicador no mercado

Novo índice da B3 combina ações e BDRs mais negociados; confira os detalhes

22 de julho de 2024 - 18:17

Bolsa prepara para agosto o lançamento do novo indicador, que reunirá as ações do Ibovespa com recibos de ações de empresas internacionais

RECOMENDAÇÕES DE VENDA

HCTR11, DEVA11 e IRDM11: por que você deveria evitar esses três fundos imobiliários, na visão do Itaú BBA

22 de julho de 2024 - 14:50

O banco de investimentos analisou as perspectivas para diversos nomes do segmento de acordo com o contexto do mercado, a qualidade do portfólio, histórico e experiência da gestão

RECOMENDAÇÕES DA CLASSE

Dividendos altos e portfólios robustos: KNSC11, KNIP11 e outros seis fundos imobiliários de ‘papel’ para comprar agora, segundo o Itaú BBA

22 de julho de 2024 - 13:49

Os fundos que investem em títulos de crédito do setor imobiliário são tema de um relatório publicado pelo banco de investimentos hoje

EMISSÃO DE COTAS

HGRU11 quer captar até R$ 1,5 bilhão na bolsa e oferece um ‘desconto’ nas cotas, mas nem todo mundo poderá participar da oferta; entenda

22 de julho de 2024 - 12:35

A oferta é destinada exclusivamente a investidores profissionais, mas há uma exceção

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: semana das big techs divide espaço com inflação e PIB dos EUA e congelamento de despesas; fique por dentro

22 de julho de 2024 - 7:01

Ganha destaque a próxima divulgação do Boletim Focus, com expectativas em relação a mudanças após o anúncio de R$ 15 bi em contingenciamento de despesas do governo

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Bradesco Asset revela cinco apostas em ações para lucrar na bolsa brasileira — e um setor para manter distância

22 de julho de 2024 - 6:04

Ao Seu Dinheiro, Rodrigo Santoro Geraldes conta que a gestora também possui quatro apostas na carteira de ações fora do Ibovespa

FRIGORÍFICOS

Problemas para a BRF (BRFS3) e a JBS (JBSS3)? Brasil suspende exportações de carne de aves para 44 países — e a China é um deles

20 de julho de 2024 - 12:19

O Ministério da Agricultura decidiu voluntariamente paralisar as exportações de carnes de aves e seus produtos, com restrições que variam de acordo com os mercados

DÁ O PLAY!

Agora vai? Por que a bolsa brasileira despertou em julho e o que esperar das ações agora

20 de julho de 2024 - 11:00

Ibovespa já acumula alta de 3% em julho, depois de quase perder os 120 mil pontos no último mês; mas as ações finalmente vão decolar, ou será mais um voo de galinha?

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações do Pão de Açúcar (PCAR3) desabaram 13% e lideraram as perdas do Ibovespa na semana — enquanto Usiminas (USIM5) subiu 5%?

20 de julho de 2024 - 9:22

As ações do Pão de Açúcar atraíram os holofotes dos investidores na semana após uma sangria na bolsa brasileira. Veja o que está por trás da queda dos papéis

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar