Menu
2019-06-11T12:46:01-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Dívida bilionária

Bradesco diz que bancos preferem renegociar dívidas da Odebrecht fora da recuperação judicial

Embora busquem o caminho fora da recuperação judicial, os bancos trabalham com todos os cenários para a Odebrecht, segundo Octavio de Lazari, presidente do Bradesco

11 de junho de 2019
12:33 - atualizado às 12:46
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco
Imagem: Vinícius Pinheiro/Seu Dinheiro

Os bancos trabalham para que a renegociação das dívidas bilionárias do Grupo Odebrecht ocorra fora de um processo de recuperação judicial. A afirmação é de Octavio de Lazari, presidente do Bradesco, um dos vários credores do grupo que mergulhou em uma crise desde a Operação Lava-Jato.

"A gente procura que seja uma recuperação extrajudicial, para que todos os atores possam sentar na mesa e chegar a um ajuste", afirmou Lazari aos jornalistas, depois de participar da abertura do Ciab, evento de tecnologia bancária promovido pela Febraban.

Embora busquem o caminho fora da recuperação judicial, os bancos trabalham com todos os cenários para a Odebrecht, segundo Lazari.

Questionado, o presidente do Bradesco disse que tem provisões "dentro dos padrões estabelecidos" para lidar com um eventual calote do grupo. "Garanto que todos os bancos estão provisionados para absorver qualquer problema", afirmou.

Eu perguntei, então, se Lazari vê o caso da Odebrecht como isolado se ou outras empresas com problemas na crise e que tiveram a dívida renegociada pelos bancos também podem passar por dificuldades para honrar os compromissos.

"As empresas brasileiras são muito pouco alavancadas, devem muito pouco na essência. Então o caso da Odebrecht é um caso isolado e que está sendo bem administrado", disse.

Falando em Lava-Jato, o presidente do Bradesco afirmou que as recentes revelações de mensagens entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, e o coordenador da força-tarefa da Lava-Jato Curitiba, Deltan Dallagnol, não atrapalham a tramitação da reforma da Previdência. "A reforma é imprescindível e deve ser foco do Congresso", afirmou aos jornalistas.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

O melhor do seu dinheiro

MAIS LIDAS: Cogna, o trade da moda, virou pó

Um trade da moda chamou a atenção recentemente: as opções de compra (call) de Cogna, a antiga Kroton. O papel atraiu diversas pessoas físicas e movimentou as discussões nas redes sociais. Para quem não está familiarizado com investimento em opções, basicamente a ideia neste caso era pagar um valor para ter o direito de compra […]

Popularidade em alta

Para 47%, Bolsonaro não tem nenhuma culpa por mortes relacionadas à Covid-19

Quase metade dos brasileiros, 47%, considera que o presidente Jair Bolsonaro não tem culpa pelos óbitos relacionados à Covid-19 no Brasil, segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado, 15, pelo jornal Folha de S. Paulo. Os que acham que Bolsonaro tem responsabilidade somam 52%. A pesquisa foi feita por telefone com 2.065 brasileiros adultos que têm […]

Popularidade recorde

Eurasia aponta que chances de impeachment de Bolsonaro caem para 10%

Melhora na popularidade do presidente Jair Bolsonaro reduz as chances, que já eram remotas, de um impeachment, segundo avaliação da consultoria de risco político.

Contaminação

Setor vê jogada comercial da China em notícia sobre frango com Covid-19

Embora a China não deva anunciar embargo à carne do Brasil, a divulgação já prejudicou o produto nacional. Segundo fontes, podem haver motivos políticos e comerciais envolvidos.

MEDO DE PERDER DINHEIRO FAZ BEM

As vantagens de ser um investidor covarde

Você tem que ter medo. O excesso de confiança é muito perigoso. O Bobby Axelrod fala isso em um episódio do Billions: ‘eu sinto o gosto do medo na garganta, eu não quero ficar pobre

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements