Menu
2019-02-13T16:39:12-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Otimismo no mercado

Credit Suisse eleva ações da BR Distribuidora para “outperform” e sobe preço-alvo de Cosan e Ultrapar

Privatização da BR é um dos fatores que impulsionou o otimismo do banco para as ações da companhia

13 de fevereiro de 2019
16:39
Posto de combustíveis Petrobras / BR Distribuidora
Banco também subiu o preço-alvo para a companhia, de R$ 24/ação para R$ 34/açãoImagem: Shutterstock

Olho nas oportunidades! O Credit Suisse elevou nesta quarta-feira, 13, a sua recomendação para os papéis da BR Distribuidora para "outperform", ou seja, um desempenho acima da média do mercado.

O relatório divulgado pelo banco também uma alta no preço-alvo para a companhia, de R$ 24/ação para R$ 34/ação, o que representa um potencial de alta de 33% ante o fechamento de ontem, de R$ 25,32. De acordo com o Credit, a mudança teve como base dois cenários: um com a privatização da empresa e outro com ela permanecendo como está.

"Nós acreditamos que a Petrobras alienará partes adicionais da BR e, potencialmente, irá ceder sua posição de controle", Credit Suisse.

Para a instituição, caso a BR seja privatizada, o risco da empresa será mitigado e a ela tenderá a ter melhores custos e mais eficiência.

Mas vale lembrar que nem tudo na BR Distribuidora depende da privatização. O Credit reduziu, por exemplo, a estimativa de margem Ebitda do grupo para R$ 70/m3 em 2019, o que ainda representaria um valor da empresa em relação ao Ebitda (EV/Ebitda) de 9,5 vezes em 2019, contra 10 vezes para a Ultrapar, por exemplo.

"Entretanto, no cenário de privatização a companhia chegaria a um EV/Ebitda de 6,6 vezes em 2020 (após aprimoramentos serem concluídos). Nós agora também esperamos melhoras no fluxo de caixa para os próximos dois anos diante dos recebíveis da Eletrobras, levando para um rendimento de fluxo de caixa livre ao acionista (FCFE) de 8%, que provavelmente se tornará um rendimento de dividendos", conclui o relatório.

Cosan e Ultrapar também surfam

O Credit Suisse também revisou o preço-alvo dos papéis da Cosan ON, de R$ 45 para R$ 50 por ação, com potencial de valorização de 17,53% ante o fechamento de ontem (de R$ 42,54).

Já o preço-alvo para a Ultrapar ON subiu de R$ 39/ação para R$ 48/ação, com potencial de queda de 10,6% ante o fechamento de ontem, de R$ 53,69/ação.

Ambas as mudanças levaram em conta o menor custo de capital e atualizações nos modelos do banco.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

balanço 4º tri

Magazine Luiza vê lucro ir a R$ 219 milhões no 4º tri e supera expectativas do mercado

A varejista Magazine Luiza encerrou o quarto trimestre de 2020 superando as expectativas do mercado. A companhia divulgou na noite desta segunda-feira (08) o seu resultado trimestral, com umacom alta de 30,6% no lucro líquido, para R$ 219,5 milhões. No acumulado do ano passado, o resultado encolheu 57,5%, para R$ 391,7 milhões. No critério “ajustado”, […]

Desidratação à vista?

Bolsonaro: Lira e relator vão discutir PEC Emergencial, podem criar PEC paralela

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que a PEC deve ser votada pela Câmara na quarta-feira, 10. De acordo com ele, ao votar a medida, os deputados federais darão o sinal verde para retomada do auxílio emergencial em cinco dias

Fechamento do dia

São muitas emoções! ‘Efeito Lula’ aprofunda incertezas locais e faz Ibovespa cair 4%; dólar fecha a R$ 5,77

Mercado doméstico já operava em queda firme antes da decisão do ministro Fachin; aumento das incertezas pesou sobre bolsa, dólar e juros

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies