Menu
2019-03-11T15:58:10-03:00
Marina Gazzoni
Marina Gazzoni
Jornalista formada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e com MBA em Informação Econômico-Financeira e Mercado de Capitais no Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Foi editora de Economia do G1 e repórter de O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo e do portal IG.
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Companhias aéreas

Azul faz proposta de compra da Avianca #eujásabia

Azul quer empresa, 70 slots e 30 aviões por US$ 105 milhões. Proposta ainda precisa ser aprovada por credores e autoridades e repete fórmula da venda da Varig para viabilizar compra sem transmissão de passivo.

11 de março de 2019
8:34 - atualizado às 15:58
Avianca – Azul
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock / Estadão Conteúdo

A Azul fez uma proposta de compra da Avianca nesta segunda-feira (11). A intenção da Azul é ficar com o registro de companhia área da Avianca, 30 aviões Aibus A320 e 70 pares de slots (horários para pouso ou decolagem). Tudo isso pela bagatela de US$ 105 milhões.

A tentativa da Azul é comprar a companhia por meio de uma Unidade Produtiva Isolada (UPI), um recurso que foi usado pela Gol na aquisição da Varig. É uma forma de ficar com a "parte boa" de uma empresa quebrada, sem ter que assumir os passivos financeiros e trabalhistas.

Em nota, a empresa disse que a expectativa é que esse processo dure até três meses. Ele ainda precisa da aprovação dos credores da Avianca, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

A notícia da intenção de compra da Avianca caiu bem no mercado. As ações da Azul sobem mais de 7% por volta das 15h40. Os investidores estão cientes de que, se concretizada a compra, a Azul ganha um fôlego para enfrentar a concorrência e espaço nos aeroportos mais rentáveis do país, como Congonhas e Santos Dumont. O Seu Dinheiro apurou que a transferência dos espaços nesses aeroportos é crucial para a concretização do negócio.

Bola cantada!

Se aprovada, a aquisição só confirma um dos negócios mais esperados do setor aéreo brasileiro. A Azul e Avianca têm muitos motivos para unir seus negócios e nada como uma crise para convencer vendedores relutantes.

Logo que a Avianca entrou em recuperação judicial, eu logo pensei: agora vai! E escrevi um texto sobre por que a Azul deveria comprar a Avianca em 17 de dezembro do ano passado. #eujásabia.

Mesmo afetada pela crise e pela pressão de credores, a Avianca fechou o mês de janeiro com 11% de participação de mercado no setor aéreo brasileiro, de acordo com dados da Anac. Ainda não se sabe quanto desse tráfego seguirá para a Azul, já que a empresa não propôs a compra da totalidade da companhia. A Azul tem 20% de participação nos voos nacionais.

Hoje a líder isolada do mercado é a Gol, dona de 39% de market share, seguida da Latam, que detém 29,8%. Uma eventual compra da Avianca pela Azul fortalece a empresa na disputa com a Gol pela liderança no setor.

 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

é hoje

Último sorteio de maio da Mega Sena pagará R$ 38 milhões

Concurso deve acontecer hoje (30), às 20h, em São Paulo

em meio à pandemia

Bolsonaro provoca aglomeração ao tomar café da manhã em restaurante em Abadiânia

Bolsonaro carregava consigo uma máscara, mas não a utilizou enquanto trocava apertos de mão e posava para fotos com populares

de olho na popularidade

Datafolha: 67% reprovam negociação de cargos de Bolsonaro com congressistas

Nas últimas semanas, o presidente tem reforçado sua aproximação com parlamentares do Centrão

quem é quem

Como fica o conselho da Berkshire Hathaway, do bilionário Warren Buffett, após saída de Bill Gates

Conglomerado segue com forte posição de caixa em meio à crise; saiba quais são as mentes por trás das decisões da empresa

A noite dos cristais: a infeliz comparação de Abraham Weintraub com o episódio nazista

se o caro amigo leitor, ou a cara amiga leitora, quiser ganhar dinheiro nas bolsas de valores ou nos mercados futuros, guarde suas paixões políticas no armário.

país em crise

Governo tem 48h para se manifestar sobre problemas no auxílio emergencial

Decisão é do ministro do TCU; o pedido se refere as dificuldades de acesso às bases completas da Receita para a verificação de elegibilidade de quem pede o auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais

#VamosVirarOJogo

Magazine Luiza, Carrefour e ao menos 450 empresas buscam soluções para o pós-pandemia

Três empresários lançaram, no fim de abril, um movimento para trocar experiências e atraíram grandes empresas: é o #VamosVirarOJogo

entrevista

Só na 2ª metade da década teremos ritmo pré-covid, diz Mesquita, do Itaú

Segundo economista-chefe do banco, é preciso aguardar o resultado do segundo trimestre para confirmar a magnitude da recessão de 2020 – o Itaú projeta -4,5%

de olho no balanço

Cosan tem queda de 74,2% no lucro do primeiro trimestre

Lucro líquido foi de R$ 102,2 milhões; receita líquida da companhia cresceu 7,2% no primeiro trimestre, na comparação anual, para R$ 18,285 bilhões

ao infinito e além

A SpaceX, de Elon Musk, e a Nasa prometem levar o homem de volta ao espaço

A parceria já está em órbita faz tempo: os foguetes de Elon Musk levam carga espacial para a agência americana e deseja ir além

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements