Menu
2019-01-10T08:26:00-02:00
Estadão Conteúdo
Travada

‘Não há recursos para fazer a reforma agrária no país’, diz secretário

No mandato anterior, o governo Temer deu prioridade na área a programas de regularização fundiária, entregando títulos de posse de terra para famílias

10 de janeiro de 2019
8:25 - atualizado às 8:26
Luiz Antônio Nabhan Garcia
Luiz Antônio Nabhan Garcia - Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O secretário especial de regulação fundiária do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia, afirmou ontem ao Estado de S. Paulo que “não há recursos para fazer a reforma agrária no País”.

A oficialização de Nabhan no cargo foi publicada em edição extraordinária do Diário Oficial da União. “A realidade hoje é que não tem mais dinheiro no Incra, não tem dinheiro para fazer a reforma agrária”, afirmou o secretário.

Segundo ele, as atividades de reforma agrária tocadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) não foram paralisadas.

O secretário também negou que tenha havido neste começo de governo o congelamento dos processos que estavam em andamento na gestão do ex-presidente Michel Temer.

No mandato anterior, o governo Temer deu prioridade na área a programas de regularização fundiária, entregando títulos de posse de terra para famílias. Em 2017, por exemplo, o Incra liberou um volume recorde de empréstimos - R$ 97 milhões - para assentados se instalarem nas terras.

Alterações

Na gestão do presidente Jair Bolsonaro, segundo Nabhan, haverá mudanças na avaliação da reforma agrária no País. O secretário explicou que essas alterações só poderão começar a ser implementadas a partir do dia 25 deste mês, data que foi estabelecida em decreto para que os atos de sua secretaria tenham efeito legal.

Ruralista e amigo pessoal de Bolsonaro, Nabhan aproveitou para criticar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Conselho Indigenista Missionário (Cimi). “Não é mais o MST que vai determinar o que fazer em reforma agrária no Brasil. Não é mais o Cimi que vai dizer o que tem de ser feito sobre as demarcações de terra indígenas, nenhuma ONG”, disse Nabhan.

Ontem, o Estado não conseguiu contato com representantes do MST para tratar do assunto. Em texto divulgado no site do MST na terça-feira, Alexandre Conceição, da direção nacional do movimento, destaca a concentração de terra no Brasil, dizendo que o País “é o segundo nesse quesito, ficando atrás apenas do Paraguai”.

O secretário executivo do Cimi, Cleber Buzatto, explicou que o órgão nunca fez demarcação de terra indígena no Brasil. “Isso é uma responsabilidade do Estado brasileiro. Esse tipo de declaração só demonstra ignorância ou má-fé por parte do secretário”, disse.

Na semana passada, Nabhan disse ao Estado que o governo vai “passar a limpo todas as questões fundiárias no Brasil”. “Vai ser feito um levantamento amplo para ver a situação real da regularização fundiária. Você acha que tem irregularidades só no Incra? Tem irregularidade em muitos outros setores também.”

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fechamento

Vacina empolga, mas incertezas ainda são muitas e limitam os ganhos do Ibovespa; dólar fica estável

Embora o início da vacinação tenha criado um princípio de euforia, as incertezas ainda são muitas e nublam o cenário

atenção, acionista

Itaúsa anuncia o pagamento de juros sobre capital próprio adicionais

Base do pagamento é a posição acionária final do dia 22 de janeiro; provento tem retenção de 15% de imposto de renda na fonte, resultando em juros líquidos de R$ 0,01768 por ação

insatisfações com a estatal

Petrobras sai em defesa de sua política de preços

Estatal listou uma série de respostas para justificar eventuais aumentos concedidos ou que possam vir a ser feitos este ano, diante de preços de petróleo em franca recuperação

Rankings

Os fundos imobiliários mais rentáveis dos últimos cinco anos

Saiba quais foram os FII com maiores retornos de dividendos e com as maiores valorizações na bolsa no longo prazo

fique de olho

Petrobras reajusta gasolina em 7,6%; aumento vale a partir da terça-feira, dia 19

Esse é o primeiro aumento do ano; empresa tem sido criticada por um grupo de concorrentes, acusada de praticar valores abaixo da paridade internacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies