A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-04-20T15:39:48-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Bancos

Previdência é urgente, mas se país ficar só nela terá crescimento medíocre, diz Itaú

Candido Bracher, presidente do maior banco privado do país, destaca a necessidade de avanços na educação como forma de o país melhorar seus índices de produtividade, além de reforma política

30 de outubro de 2018
11:03 - atualizado às 15:39
Lupa mostra logotipo do Itaú em destaque na tela de computador
Presidente do banco conversou com jornalistas para tratar do balanço do terceiro trimestreImagem: Shutterstock

A medida principal e mais urgente do novo governo eleito no último domingo é a reforma da Previdência. Mas se ficar só nela o país estará condenado a ter um crescimento “medíocre” nos próximos anos. A afirmação é do presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher.

Ele conversou com jornalistas hoje pela manhã para tratar do balanço do banco no terceiro trimestre. Sobre as eleições, Bracher disse que o resultado, com a vitória do candidato Jair Bolsonaro (PSL), expressa a vontade soberana do povo brasileiro.

“Se de um lado a eleição criou um clima de divisão, por outro envolveu as pessoas em discussões relevantes para o nosso futuro”, disse.

Na ordem de prioridades do novo presidente, Bracher coloca a previdência como a mais urgente e como pré-condição para que o país tenha um desenvolvimento mais tranquilo.

Logo na sequência, ele destaca a necessidade de avanços na educação como forma de o país melhorar seus índices de produtividade. “Esse é um sonho e deve ser objetivo de qualquer governo”, afirmou.

O presidente do Itaú também defendeu a aprovação de uma reforma política que permita uma melhor representatividade da população no Congresso.

Ainda no tema macroeconômico, Bracher disse que ser favorável à redução de parte das reservas internacionais do país, atualmente em US$ 380 bilhões, seria saudável. Desde que os recursos sejam usados para reduzir o endividamento do país, e não para investimentos, como chegou a ser cogitado por candidatos durante a campanha presidencial.

“Ter reservas elevadas é importante e nos diferenciou de outros países, mas talvez não precisemos de tanto assim para fazer frente à oscilação do câmbio.”

Dividendos

Com um lucro de R$ 19,3 bilhões de janeiro a setembro e a perspectiva de passar dos R$ 25 bilhões em 2018, o Itaú deve ter mais um ano de distribuição bem generosa de dividendos.

O banco já pagou R$ 8,2 bilhões aos mais de 130 mil acionistas nos sete primeiros meses do ano. Bracher não quis fazer previsões sobre os dividendos para o ano como um todo.

Desde o ano passado, o Itaú adotou a política de distribuir aos sócios todo o capital considerado acima do índice mínimo de 13,5% considerado apropriado para operar.

No ano passado, mais de 70% do lucro foi parar no bolso dos acionistas, incluindo os mais de 120 mil minoritários na bolsa.

Como o Itaú encerrou o trimestre com 14,8% de capital, e o índice deve subir ainda mais com os resultados dos últimos três meses do ano. “Acho que haverá boa distribuição, não sei se maior ou menor neste ano”, disse Bracher.

Taxa zero e crédito

Questionado sobre a estratégia de zerar as taxas de aplicação no Tesouro Direto e de carregamento da previdência privada, Bracher disse se trata de uma forma de atrair e clientes no banco.

"A redução de tarifa impacta nossa receita, mas o crescimento de clientes e negócios compensa", afirmou.

O Itaú também espera acelerar o crescimento na concessão de crédito, segundo o presidente do banco. "Vejo com grande entusiasmo a atividade em todos os segmentos."

Com o fim da incerteza eleitoral, os financiamentos às grandes companhias, que vêm em um ritmo mais lento do que as linhas para pessoas físicas e pequenas empresas, também devem ser retomados, de acordo com Bracher.

Leia também:

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Inflação americana perde força, Curry dispara e XP decepciona; confira os destaques do dia

10 de agosto de 2022 - 19:14

O indicador de inflação ao consumidor dos EUA ficou estável, contrariando a expectativa de alta, e realimentou a esperança de que o Federal Reserve não deve agir de forma tão dura

MISSÃO CUMPRIDA

Banco do Brasil tem lucro de R$ 7,8 bilhões no 2T22 e cumpre promessa de se equiparar a bancos privados em rentabilidade

10 de agosto de 2022 - 19:12

Lucro do Banco do Brasil aumentou 54,8% em relação ao mesmo período de 2011 e rentabilidade sobre o patrimônio líquido superou a do Bradesco

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa emplaca sétima alta consecutiva com inflação americana estável e vai aos 110 mil pontos; dólar cai a R$ 5,08

10 de agosto de 2022 - 18:53

Os indicadores de inflação dos Estados Unidos apontam para uma maior tranquilodade – e o Ibovespa acompanhou Wall Street na festa

MICKEY RINDO À TOA

Não entrem em pânico! Resultado da Disney (DISB34) mostra que gigantes do streaming estão mais vivas do que nunca — ações avançam em Nova York

10 de agosto de 2022 - 17:24

Disney supera previsões e mostra que o mercado global de streaming não está se aproximando da saturação, mas anuncia reajuste de preços na América do Norte

MATCH POINT

Serena Williams, das quadras para o mundo dos investimentos, traz boas lições para quem quer planejar a transição de carreira

10 de agosto de 2022 - 17:10

A atleta se dividia entre as quadras de tênis e o mundo dos investimentos nos últimos seis anos; ela ainda deve disputar o torneio US Open antes de se dedicar integralmente à atividade de empresária e investidora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies