Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T14:14:37-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Processadora de carnes

Surfando em uma onda positiva, JBS vê seu rating pela Moody’s subir e anuncia captação de recursos no exterior

Rating da companhia passou de B1 para Ba3, com perspectiva estável

17 de outubro de 2018
14:05 - atualizado às 14:14
Logo da JBS
Moody's também disse em comunicado que a JBS está buscando reduzir seu volume de dívidas até 2021Imagem: Shutterstock

Quem analisava a estrutura financeira da JBS há pouco mais de um ano provavelmente não apostaria em um futuro muito promissor da empresa. A processadora de carnes viveu tempos bem difíceis depois do famoso "Joesley Day", dia em que vieram à tona as delações premiadas e os escândalos de corrupção envolvendo seus executivos.

Mas parece que essa tempestade ficou de vez para trás. Nesta quarta-feira, 17, a companhia deu dois passos importantes rumo ao que parecem ser novos tempos. O primeiro deles veio lá de fora: com mudanças na gestão de suas dívidas, a JBS viu sua nota de crédito ser elevada pela agência de classificação de risco Moody's de B1 para Ba3, com perspectiva estável.

Em comunicado, a Moody's deixou claro que o destaque positivo para que o rating da JBS subisse foi a melhora no perfil de crédito da empresa de processamento de carnes. A agência acrescentou que a empresa está buscando reduzir seu volume de dívidas até 2021 e alongar vencimentos.

Por outro lado...

A Moody's também apontou desafios que a JBS enfrenta, como sua liquidez após escândalos de corrupção envolvendo tanto a empresa como sua controladora J&F quanto executivos como os irmãos Joesley e Wesley Batista.

Para amenizar os efeitos da liquidez, a JBS buscou negociar R$ 12,2 bilhões em instrumentos de dívida de curto prazo com bancos, visando um acordo de normalização. No fim de junho deste ano, a dívida de curto prazo representava 7% da dívida total.

Volta por cima?

O segundo passo importante da empresa de carnes foi o anúncio de que vai captar US$ 500 milhões em recursos no exterior. Segundo o Broadcast/Estadão Conteúdo, a captação teria opção de compra em três anos com taxa entre 7% e 7,5% como ideia de retorno inicial. O processo será feito por meio de seu braço de investimento JBS Investments.

A emissão recebeu rating Ba3 pela Moody's e BB- pela Standard & Poor's e pela Fitch. De acordo com o prospecto que anunciou a oferta, os recursos serão utilizados para recomprar os bônus da JBS que vencem em 2020. A operação está sendo coordenada pelo Barclays, BB Securities, Bradesco BBI, BTG Pactual e Santander.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

O FISCAL ENLOUQUECEU

Com furo no teto, XP e BTG já esperam que a Selic suba 1,5 ponto percentual na próxima semana

A corretora também reviu suas projeções para o câmbio, inflação e PIB deste e do próximo ano

E-commerce de pneus

Cantu Store não se assusta com a farra fiscal e registra pedido de IPO na CVM

A companhia paranaense conta com 26 filiais em 17 unidades federativas e quatro centros de distribuição, além de duas marcas próprias

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Guedes diz que fica, o puxadinho do teto de gastos e outros destaques do dia

Pelo menos um dos temores do mercado teve um desfecho nesta sexta-feira (22) — Paulo Guedes segue sendo o ministro da Economia, e o país não vai passar o fim de semana na incerteza. Após as baixas recentes na equipe econômica, mas o capitão do navio continua firme. Diante de tantas incertezas e a confirmação […]

SUPEROU AS EXPECTATIVAS

Hypera (HYPE3) inicia temporada de balanços com alta de 50% na receita líquida — veja os destaques da farmacêutica no terceiro trimestre

Apoiadas pelo portfólio cada vez maior de medicamentos e pelas vendas aquecidas, outras linhas do balanço também deixaram para trás as projeções

FECHAMENTO DA SEMANA

‘Fico’ de Guedes não apaga mau humor do mercado com furo no teto de gastos e Ibovespa despenca na semana; dólar volta a R$ 5,70

O principal índice da bolsa brasileira fechou o dia em queda de 1,34%, aos 106.296 pontos — longe das mínimas, mas no menor nível desde novembro de 2020. Na semana, a queda foi feia, e o Ibovespa recuou mais de 7%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies