Menu
2018-11-05T09:44:42-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

Estrangeiros abriram novembro vendendo mais de US$ 4 bilhões na B3

Primeiro pregão do mês foi de firme ajuste de posições entre fundos de investimento e não residentes

5 de novembro de 2018
9:44
Dólar
Imagem: Creative Commons/Pixabay

Depois de encerrar outubro com uma das maiores posições compradas já registradas, na casa dos US$ 40,5 bilhões, os investidores estrangeiros ajustaram posições no primeiro pregão do mês, vendendo o equivalente a US$ 4,142 bilhões em contratos futuros de dólar e cupom cambial (DDI, juro em dólar) na B3.

A principal contraparte do estrangeiro foi o investidor institucional local, que reduziu sua posição vendida de US$ 25,140 bilhões para US$ 20,123 bilhões. O movimento pode ser encarado como uma realização de lucros, tendo que o dólar caiu 8% ao longo de outubro.

Os bancos tiveram movimentação mais modesta, ampliando a posição vendida em cerca de US$ 526 milhões, para US$ 18,06 bilhões.

O comprado ganha com a alta do dólar e o vendido com a desvalorização da moeda americana. Sempre vale a ressalva de que a avaliação sobre possíveis perdas e ganhos com as posições é feita em tese, pois não sabemos a que preço a compra ou venda foi feita. Além disso, esses agentes podem ter posições em moeda estrangeira no mercado à vista e em derivativos de balcão. Bancos, por regra, não podem ter exposição cambial direcional.

O ajuste de posições no primeiro pregão do mês é algo comum. O último pregão do mês marca a formação da Ptax do mês, cotação “oficial” levantada pelo BC, que serve para a liquidação de contratos futuros e outros compromissos em moeda estrangeira.

Na passagem de setembro para outubro também assistimos a essa movimentação, com o não residente vendendo quase US$ 10 bilhões na virada do mês. No entanto, ao longo de outubro a posição comprada voltou a aumentar, saindo da linha de US$ 29,5 bilhões para os US$ 40,5 bilhões do fim do mês.

Ibovespa futuro

No mercado de índice futuro de Ibovespa o primeiro pregão de novembro foi de pouca movimentação, mesmo com o índice atingindo novas máximas históricas acima dos 89 mil pontos.

O estrangeiro mantém posição vendida em 129.140 contratos enquanto os fundos de investimentos estão comprados em 122.763 contratos.

Outubro marcou uma troca de posição entre fundos e estrangeiros. O não residente tinha fechado setembro comprado em 174.785 contratos, foi ajustando posições ou realizando lucros ao longo do mês até fechar outubro vendido em 128.821 contratos.

Na ponta oposta, os fundos de investimentos estavam vendidos em 180.809 contratos e terminaram o mês de outubro comprados em 122.327 contratos de índice.

Uma forma de ler as posições no Ibovespa futuro é como uma proteção (hedge) às oscilações no mercado à vista. Por exemplo. O investidor está comprado em bolsa no mercado à vista e vai proteger essa exposição no mercado futuro vendendo contratos de Ibovespa.

No entanto, o mercado também opera o Ibovespa futuro com um ativo em si, podendo montar apostas direcionais de alta (comprado) ou de queda (vendido) no Ibovespa.

No mercado à vista, o fluxo do estrangeiro também foi negativo em outubro, com saída de R$ 6,947 bilhões. Os fundos locais compraram R$ 7,738 bilhões. E as pessoas físicas terminaram o mês com saldo negativo de R$ 700 milhões.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

CRISE PESADA

Desemprego é recorde e pode piorar

Total de postos extintos supera os 11,5 milhões e taxa de desemprego no trimestre até julho é a pior da série histórica da Pnad

esquenta dos mercados

Otimismo com novo pacote de estímulo nos Estados Unidos anima bolsas globais

No Brasil, os investidores seguem atentos ao noticiário em Brasília e nas novidades envolvendo a forma de financiamento do Renda Cidadã

DINHEIRO NO BOLSO

SulAmérica vai pagar R$ 75 milhões em JCP aos acionistas

Valores estão previstos para serem pagos a partir de 16 de abril de 2021, em uma parcela única

OFERTA NA BOLSA

Natura anuncia oferta global de ações de R$ 6,2 bilhões

Empresa quer levantar recursos para acelerar o crescimento nos próximos três anos e reduzir o endividamento em dólar

Gestão na crise

Com alta das taxas, Armor Capital vê oportunidade para entrar “aos poucos” em prefixados

Anúncio do Renda Cidadã é negativo e aumentou o risco fiscal, mas os juros não devem subir para os patamares que o mercado negocia hoje, diz Alfredo Menezes, CEO da Armor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements