Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T12:03:41-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

Estrangeiro fecha 2018 com aposta na valorização do real

Não residente virou a mão e tem posição vendida de US$ 2,3 bilhões em dólar futuro

31 de dezembro de 2018
11:39 - atualizado às 12:03
Cédulas de real e dólar
Cédulas de real e dólar - Imagem: Barbara Cosme/Shutterstock

O último pregão de 2018 mostrou uma importante mudança de posição do investidor estrangeiro no mercado de dólar futuro. Depois de passar praticamente o ano todo com aposta na alta do dólar, o gringo está vendido em US$ 2,3 bilhões.

Essa “virada de mão” começou no meio do mês e se consolidou no pregão do dia 28 de dezembro. Em 13 de dezembro, por exemplo, a posição comprada em dólar futuro era de US$ 7,8 bilhões.

São essas movimentações na B3 que determinam a formação de preço do dólar. É lá que comprados, que ganham com a alta do dólar, e vendidos, que ganham com a queda da moeda, protegem suas exposições em outros mercados e fazem apostas direcionais na moeda americana.

Se o não residente seguir ampliando a posição vendida há chance de queda mais consistente na cotação do dólar, que fechou 2018 em R$ 3,8755, acumulando alta de 17% no ano.

Na ponta de compra estão os bancos, que fecharam o ano com US$ 12,4 bilhões em contratos de dólar futuro. Parte da compra de dólares pelos bancos pode ser creditada às operações que o Banco Central (BC) conduziu no mercado à vista. Os leilões de linha feitos pelo BC para dar saída aos investidores no mercado físico são intermediados pelos bancos, que repassam os dólares aos seus clientes e precisam proteger essa exposição à vista no mercado futuro.

No mercado à vista, por exemplo, a posição vendida dos bancos está na casa dos US$ 20 bilhões, maior desde março.

Exposição líquida

No mercado futuro, além dos contratos de dólar outra forma de exposição envolve o cupom cambial (DDI, juro em dólar no mercado local). Considerando esses contratos e os contratos de dólar, os estrangeiros seguem com uma posição líquida comprada de US$ 31,9 bilhões, sendo US$ 34,2 bilhões em cupom cambial descontados dos US$ 2,285 bilhões vendidos em dólar futuro. Essa posição é a menor desde o começo de setembro e está US$ 9,8 bilhões menor que o recorde de US$ 41,7 bilhões do dia 10 de dezembro.

Já os bancos apresentam uma posição líquida vendida de US$ 7,23 bilhões, que reflete um estoque vendido de US$ 19,6 bilhões em cupom cambial descontado do estoque comprado de US$ 12,4 bilhões em dólar futuro.

Outro grande player desse mercado é o investidor institucional (fundos de investimento), que mantem firme posição vendida de US$ 26,5 bilhões, sendo US$ 15,8 bilhões em cupom cambial e US$ 10,7 bilhões em dólar futuro. Os fundos não mostraram grande variação de posição ao longo de dezembro.

A avaliação de ganhadores e perdedores nesse mercado é sempre feita em tese, pois não sabemos a que preço as posições foram montadas e se esses agentes possuem exposição ao dólar no mercado à vista e de balcão.

Swaps Cambiais

No pregão de quarta-feira, dia 2 de janeiro, o Banco Central dará início à rolagem dos swaps cambiais que vencem em fevereiro e somam US$ 13,4 bilhões.

As operações de rolagem terão início com a oferta de até 13,4 mil contratos distribuídos entre maio, julho e novembro de 2019. Mantido o ritmo a rolagem será integral.

Quando o BC promove a rolagem integral dos contratos de swaps ele se mantém “neutro” no mercado, sem alterar o atual estoque de US$ 68,9 bilhões. Se a opção fosse por não realizar a rolagem ou mesmo pela rolagem parcial, o efeito líquido no mercado seria de compra de dólares no mercado futuro.

O swap é um derivativo que relaciona a variação cambial com a taxa de juros em determinado período de tempo. Ele é engenhoso pois é capaz de prover proteção cambial aos agentes de mercado com toda sua liquidação acontecendo em reais. Não se gasta um centavo das reservas internacionais.

Ibovespa futuro

No mercado de índice futuro do Ibovespa, principal índice de ações da B3, a troca de posições foi pouco expressiva. Desde meados de outubro temos o não residente vendido e os fundos de investimento comprados.

No pregão de sexta-feira, a posição vendida do gringo era de 143.789 contratos, contra 119.528 no fim de novembro. Os fundos estavam comprados em 131.223 contratos em comparação com 115.614 contratos em 30 de novembro.

Uma forma de ler as posições no Ibovespa futuro é como uma proteção (hedge) às oscilações no mercado à vista. Por exemplo. O investidor está comprado em bolsa no mercado à vista e vai proteger essa exposição no mercado futuro vendendo contratos de Ibovespa.

No entanto, o mercado também opera o Ibovespa futuro com um ativo em si. Podendo montar apostas de alta (comprado) ou de queda (vendido) no Ibovespa.

Posição BMF
Infogram

 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Petrobras privatizada vira possibilidade, Itaú revisa projeções para o Brasil e outros destaques

A proximidade do ano eleitoral não aprofunda apenas as discussões sobre o aumento de gastos do governo com medidas assistencialistas, como o Auxílio Brasil e o auxílio aos caminhoneiros, confirmados na semana passada após uma manobra no teto de gastos. Com outubro engatando a reta final, restam poucas folhas no calendário de 2021 e oportunidades […]

privatização no radar

Petrobras (PETR4) pede que governo explique estudo para venda de ações; papéis dispararam mais de 6% com rumores sobre privatização

Mais cedo, Bolsonaro reafirmou que a privatização “entrou no radar” do governo, mas destacou que o processo é uma “complicação enorme” e não deve sair tão cedo

FECHAMENTO DO DIA

Petrobras na mira da privatização ajuda Ibovespa a recuperar parte das perdas recentes e bolsa sobe 2%; dólar cai a R$ 5,56

Os investidores começam a semana ainda digerindo a confirmação do rompimento do teto de gastos, mas como a situação deixou de ser especulativa, abriu espaço para uma recuperação puxada pela Petrobras

FINANCIAL PAPERS

Polêmica com vazamentos não afeta balanço do Facebook (FBOK34) e ações avançam em NY

Mais cedo, o noticiário sobre a empresa era dominado por notícias menos favoráveis com a divulgação dos “The Facebook Papers”

Vídeo

All time high do Bitcoin: como fica o mercado de criptos com a principal moeda em alta?

Analista de criptomercado comenta sobre a situação atual desse cenário

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies