🔴 +30 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – ACESSE GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Estadão Conteúdo
JBS SE VALORIZOU

Um ano e meio após gravação de Temer, irmãos Batista estão R$ 2,5 bi mais ricos

Mesmo em meio à crise no grupo, JBS se valorizou. Hoje, o valor de mercado da empresa – quase R$ 32 bilhões – é 23% maior que no dia 17 de maio de 2017.

Estadão Conteúdo
2 de dezembro de 2018
12:20 - atualizado às 13:35
joesley batista
Joesley Batista - Imagem: Wikimedia Commons

Um ano e meio após as delações dos irmãos Joesley e Wesley Batista virem à tona, a JBS, dona da Friboi, voltou a se recuperar - e os dois estão R$ 2,5 bilhões mais ricos. Hoje, o valor de mercado da empresa - quase R$ 32 bilhões - é 23% maior que no dia 17 de maio de 2017, quando as gravações de Joesley com o presidente Michel Temer tornaram-se públicas. As ações nas mãos dos Batistas, que detêm 40,6% da companhia, somam hoje R$ 13 bilhões.

Um dos maiores produtores de carne bovina do mundo, o grupo também teve seu nome envolvido, em março do ano passado, na Operação Carne Fraca, que investiga irregularidades e pagamentos de propinas a agentes do Ministério da Agricultura. Mesmo com a reputação arranhada, o grupo conseguiu blindar sua operação e aumentar as vendas da companhia.

Para conter a crise e evitar o desmanche do império da família, Joesley e Wesley deixaram, em maio de 2017, o conselho de administração da JBS e de outras empresas sob o comando da holding J&F. Desde então, passaram a negociar diretamente com bancos e investidores a venda de parte de seus negócios para fazer caixa e evitar a cobrança antecipada de dívidas de cerca de R$ 20 bilhões que venciam até 2020.

Entre maio e agosto do ano passado, foram vendidos frigoríficos do Mercosul (para o Minerva) e a Alpargatas (para o Itaúsa). No mês seguinte, os irmãos venderam a Eldorado Celulose (para Paper Excellence) e a Vigor (para a mexicana Lala).

Quando os dois irmãos foram presos em setembro passado, José Batista Sobrinho, o Zé Mineiro, pai e fundador da JBS, voltou ao comando da empresa, com o apoio do BNDES, principal sócio do grupo, com 21,3% do negócio. Os netos de Zé Mineiro - Wesley Batista Filho e Aguinaldo Gomes Ramos - também passaram a integrar o conselho de administração da companhia. Joesley ficou seis meses preso e, seu irmão, cinco meses.

Bancos ouvidos pelo Estado afirmaram que vários investidores tentaram comprar a participação dos Batistas na JBS, mas os irmãos se negaram a vender a totalidade ou parte de suas ações, mesmo com forte prêmio oferecido pelos papéis. O foco desses investidores é comprar a fatia do BNDES.

No dia 18 deste mês, Joesley, Wesley e dois executivos que fizeram delação - Francisco de Assis e Ricardo Saud - serão ouvidos pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido da defesa dos delatores. O ministro vai decidir se acata ou não a decisão da Procuradoria-Geral da República (PGR) de anular os efeitos das delações porque os donos da JBS teriam ocultado a suposta orientação prestada pelo ex-procurador Marcello Miller à J&F nas negociações, enquanto Miller ainda integrava o Ministério Público. Todos negam.

Prioridades redefinidas

Enquanto os controladores da JBS tentam manter de pé as delações fechadas com a Procuradoria-Geral da República, o comando da companhia voltou a fazer planos para retomar aquisições e abrir o capital da JBS nos Estados Unidos.

Depois de vender vários ativos para reduzir dívidas nos últimos 18 meses, a companhia voltou a analisar ativos para comprar, mas as aquisições, desta vez, serão complementares a suas linhas de negócios. A americana Pilgrim's, controlada pela JBS, está entre as interessadas nos ativos da BRF na Europa e Tailândia. O executivo Guilherme Cavalcanti, diretor financeiro e relações com os investidores da Fibria, está sendo sondado pelo grupo para comandar o IPO da JBS nos EUA, segundo fontes.

Com faturamento de R$ 163,2 bilhões no ano passado, analistas de mercado projetam que a receita da JBS deve encerrar este ano em cerca de R$ 200 bilhões. No terceiro trimestre, o grupo registrou prejuízo líquido de R$ 133,5 milhões, ante lucro de R$ 323 entre julho e setembro do ano passado. As vendas no mesmo período subiram 20,1%, puxadas pela recuperação das operações no Brasil. Esse recuo refletiu efeitos cambiais e a adesão da JBS a um programa de incentivo fiscal. O mercado projetava resultado negativo de cerca de R$ 900 milhões.

Para Leandro Fontanesi, analista do Bradesco BBI, o bom desempenho operacional da JBS no Brasil e nos EUA, que respondem por mais de 50% das vendas do grupo, impulsionaram as ações da JBS. Não é caso da gigante BRF, dona da Sadia e Perdigão, que mudou a gestão em maio, com a chegada de Pedro Parente, mas ainda tem resultados operacionais ruins. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Compartilhe

FRIGORÍFICOS

JBS (JBSS3) é a ação de alimentos favorita do BofA, mas banco vê menor potencial de alta para o papel; ainda vale a pena comprar?

18 de agosto de 2022 - 14:54

Analistas revisaram para baixo o preço-alvo do papel, para R$ 55, devido à expectativa de queda nas margens da carne bovina dos EUA, correspondente a 40% das vendas da empresa

AGORA VAI?

Sobrinho de Joesley Batista assume comando do Banco Original em busca de espaço na briga das contas digitais

26 de julho de 2022 - 9:24

Pioneiro das contas digitais e com 7 milhões de clientes, Banco Original foi superado por rivais como Nubank e Inter e tem histórico de prejuízos

SOB NOVA DIREÇÃO

Tudo em família: filho de Wesley, sobrinho de Joesley é o novo presidente global de operações da JBS (JBSS3)

22 de julho de 2022 - 11:59

As operações globais da JBS (JBSS3) estão sob nova direção. A gigante do mercado de proteína animal anunciou hoje que Wesley Batista Filho será o novo presidente global de operações.

BALANÇO

JBS (JBSS3) lucra 151,4% a mais no 1T22 e vai pagar dividendos bilionários — veja quem tem direito

11 de maio de 2022 - 19:04

O resultado foi impulsionado pelos desempenhos operacionais e financeiros das unidades e marcas da JBS (JBSS3) no exterior

NOITE AGITADA

JBS (JBSS3) vai pagar R$ 2,2 bilhões em dividendos ainda este mês e anuncia novo programa de recompra de ações — confira os detalhes

11 de maio de 2022 - 18:42

O valor, que equivale a cerca de R$ 1 por ação ordinária, será destinado a quem estiver na base acionária da empresa na próxima segunda-feira (16)

FAMÍLIA POLÊMICA

CVM rejeita oferta milionária dos irmãos Batista para encerrar processo envolvendo as contas da JBS (JBSS3); entenda

3 de maio de 2022 - 20:14

Acusados de abusarem do direito de seus cargos para aprovarem as próprias contas, os empresários ofereceram um total de R$ 6 milhões

A NATA DA B3

PetroRio (PRIO3) entra nas ações mais recomendadas para maio com “ajuda” da Petrobras (PETR4). Confira as principais indicações para o mês

3 de maio de 2022 - 7:01

As ações PRIO3 já haviam aparecido entre as menções honrosas no mês passado; agora, com um impulso da própria estatal, elas ganham ainda mais destaque

CORTOU NA CARNE

Itaú BBA rebaixa recomendação da Marfrig (MRFG3); saiba qual é a ação preferida do banco entre os frigoríficos

1 de abril de 2022 - 12:53

Queda de margens na América do Norte e oferta de gado no Brasil influenciam as eleitas como queridas do banco de investimento para o setor

BALANÇO

Lucro líquido da JBS (JBSS3) salta 345,5% em 2021 e companhia anuncia novo programa de recompra de ações; veja o que muda para os acionistas

21 de março de 2022 - 18:43

A receita líquida teve um crescimento mais tímido, de 27,8%, e foi a R$ 97,2 bilhões nos últimos três meses do ano

DESSA ÁGUA BEBEREI

Exercendo o poder: Marfrig (MRFG3) confirma que pretende influenciar na administração da BRF (BRFS3); entenda o caso

21 de fevereiro de 2022 - 13:37

Conselho de Administração decidiu que a empresa deverá exercer seus direitos de acionista na BRF, fazendo valer seus interesses no dia a dia da rival

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies