Menu
2018-10-03T09:11:44-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Euforia na Bolsa

Mercados já saboreiam vitória de Bolsonaro no 1° turno, mas deve ser só uma provinha

Investidores embarcaram na terça-feira na tese de possível vitória em primeiro turno, levando a alta no Ibovespa e queda do dólar; tese é considerada muito difícil, porém não é inviável.

3 de outubro de 2018
6:01 - atualizado às 9:11
Jair-Bolsonaro
Jair Bolsonaro - Imagem: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

O pregão de terça-feira nos mercados de bolsa, câmbio e juros foi uma degustação do que seria a eleição em primeiro turno do candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Evento tido como possível, mas pouco provável.

O pano de fundo veio com a pesquisa Ibope que mostrou uma alta de 4 pontos percentuais na intenção de voto de Bolsonaro, para 31%. Mas mais relevante que isso, um salto de 11 pontos na rejeição do petista de Fernando Haddad, para 38% contra 44% do capitão.

Junto com a pesquisa Ibope, que segundo um ex-tesoureiro, estava “fora de prumo” em comparação com as demais, outros eventos levaram o mercado a embarcar na tese da possível vitória em primeiro turno. E se não for no primeiro turno, esses eventos podem facilitar a campanha até o dia 28 de outubro. “Mercado funciona assim. Fazer o quê”, diz ele.

Como diz um amigo esse é o mercado Tim Maia. “Me dê motivo”, como diz a música. E o mercado Tim Maia vale para os dias de alta e baixa. O mercado queria um motivo e o encontrou.

Paga a conta de uma vez

A declaração de apoio da bancada ruralista a Bolsonaro também é citada como fator importante para o bom-humor. “Acho um apoio muito importante, dá sinal de governabilidade”, diz o gestor da SF2 Investimentos Sergio Machado.

Para Machado, o pregão desta terça-feira foi sim uma “provinha” de vitória em primeiro turno. Para o gestor, se essa tese se confirmar, o Ibovespa buscaria rapidamente os 100 mil pontos e o dólar ia testar a zona baixa dos R$ 3,0. “Depois tem que ver como os caras dançam.”

Segundo Machado, parece haver um “efeito onda” na candidatura de Bolsonaro, com mais gente buscando “liquidar a fatura” no primeiro turno. “Liquida essa fatura e vamos trabalhar. Não se aguenta mais política.”

Revanche e ódio

Alimentando essa percepção está a avaliação dos eventos do fim de semana. Sábado foi o dia do #Elenão, marcado por manifestações contrárias a Bolsonaro. A resposta veio no domingo, com diversas demonstrações de apoio ao candidato em todo país.

“Sem o poder de mobilização que o PT historicamente tem, Bolsonaro conseguiu juntar milhões de pessoas a favor dele. Isso mostra que o eleitor dele é convicto”, diz o ex-tesoureiro.

Para ele, essa é a eleição do “ódio” contra a “revanche”. A manifestação do lado da “revanche petista”, no sábado, despertou ainda mais o “ódio ao PT”.

Outro vetor foi o apoio formal do bispo Edir Macedo à candidatura de Bolsonaro. Boa parte do chamado “voto evangélico” – geralmente disperso – já estava com Bolsonaro e ganhou reforço.

No meio do oba-oba do dia, meu amigo estrangeiro pergunta: “Não entendo esse rali. O Haddad foi preso ou algo parecido?”

Possível, mas muito difícil

O economista e sócio da GO Associados, Eduardo Velho, avalia que a chance de vitória de Bolsonaro de fato aumentou.

Sua avaliação tem com base um modelo matemático feito por especialistas da GO que busca estimar as probabilidades de vitória levando em consideração outros fatores além da intenção de voto.

Por esse modelo, alimentado com os últimos dados da pesquisa Ibope, a probabilidade de vitória de Bolsonaro saiu de perto de zero para 49%. Enquanto que a chance de vitória de Haddad que beirava os 100% após a pesquisa Datafolha do dia 28 de setembro, caiu para 51%. A variável que mais pesou na modelagem estatística foi o salto na rejeição de Haddad.

Como a avaliação é de que a rejeição a Haddad tem espaço para aumentar mais, a chance de vitória de Bolsonaro seria maior, mas após os dois turnos.

Para Velho, uma definição em primeiro turno seria muito difícil. Bolsonaro tem cerca de 37% dos votos válidos no quadro atual, considerando a pesquisa Ibope. Ele teria que conseguir outros 13 pontos até domingo. “Acho pouco provável”, diz.

Para o economista, com a chance de uma agenda mais liberal o mercado deve reagir de forma positiva à vitória de Bolsonaro. Depois os investidores tentariam verificar qual seria o grau de autonomia de Paulo Guedes para levar essa agenda adiante.

Com o mercado fechado, saiu nova sondagem Datafolha, que renovou o bom humor. Índices de ações brasileiras negociadas no exterior acentuaram alta. Os números mostraram crescimento de 28% para 32% da intenção de voto em Bolsonaro. Haddad caiu na margem, de 22% para 21%. Entre as mulheres, o capitão passou de 21% para 27%, acima de Haddad, que tem 20%.

A taxa de rejeição de Bolsonaro cedeu, marginalmente, de 46% para 45%, já para a Haddad, a taxa subiu de 32% para 41%. Em eventual segundo turno o candidato do PSL aparece com 44%, ante 39% da sondagem anterior, enquanto o petista caiu de 45% para 42%. Empate técnico.

Toda essa movimentação sempre me faz lembrar que algo que aprendi com um amigo operador: “O mercado financeiro não elege ninguém. Só ajuda a derrubar.”

E você, concorda com o mercado e acha que o Bolsonaro vai ganhar no primeiro turno? Diga abaixo nos comentários!

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Banco Central monta centro para acelerar a criação de fintechs

Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT) apoia startups financeiras a desenvolverem projetos ao lado de técnicos que elaboram as normas regulatórias do mercado brasileiro.

Funcionários da Petrobras

FNP diz que todas as plataformas do litoral paulista aderiram à greve dos petroleiros

Petrobras diz que não está havendo redução da produção por conta do movimento, mas coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros diz que estatal “mente”.

Sucessão

Herdeiros do agronegócio aliam tradição a avanço tecnológico

Nova geração de empresários do campo estão assumindo os negócios da família e ganhando influência no meio do agronegócio; conheça algumas histórias

Entrevista

Para Deutsche Bank, política ambiental de Bolsonaro prejudica investimento estrangeiro no país

Para Deepak Puri, diretor da área de Wealth Management nas Américas do Deutsche Bank, mesmo assim Brasil deve registrar uma recuperação mais forte neste ano.

Ganhando terreno

Carrefour anuncia aquisição de 30 lojas do Makro por R$ 1,95 bilhão

O plano da varejista é converter as bandeiras das unidades para Atacadão dentro de até um ano após fechar a transação

AS LIÇÕES 'FIRE' DO BILIONÁRIO

O que você perguntaria a Warren Buffett?

Aos 89, o mago de Omaha tem muito a ensinar a quem procura dar um gás nos seus investimentos em busca da sua aposentadoria precoce

Risco de lascas de vidro

Heineken anuncia recall voluntário de lotes de long neck com problemas na garrafa

A empresa identificou alteração na embalagem que pode levar lasca de vidro a ser aberta

Após imbróglio com os russos

Fertilizantes Heringer homologa plano de recuperação judicial

Segundo Fato Relevante divulgado ontem pela companhia, o plano foi homologado pelo juízo da 2ª Vara Cível da Comarca de Paulínia

Impostos

Decreto para zerar tributo em querosene de aviação sai neste ano, diz Secretário

O governo vai editar um decreto para zerar, a partir de 2021, a incidência de PIS/Cofins sobre o combustível utilizado em aeronaves.

Entrevista

‘A grande vacina é a continuidade das reformas’, diz Ana Paula Vescovi, economista do Santander

Banco revisou para baixo previsão de crescimento para 2020, após indicadores fracos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements