Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T14:43:42-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Patrimônio de R$ 500 milhões

JGP Asset será a gestora do novo FIDC de debêntures de infraestrutura do BNDES

Fundo será formado com títulos que já integram a carteira do banco de fomento

16 de novembro de 2018
15:01 - atualizado às 14:43
infraestrutura
JGP foi selecionada para ser gestora do fundo numa chamada pública - Imagem: Shutterstock

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta sexta-feira, 16, que a JGP Asset Management será a gestora do seu novo Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC). O projeto será dedicado a investir em debêntures incentivadas de infraestrutura.

O novo FIDC já estava no radar do BNDES nos últimos anos e será formado com títulos que já integram a carteira do banco de fomento. O patrimônio do fundo deverá ser de, aproximadamente, R$ 500 milhões.

A JGP foi selecionada numa chamada pública. No total, oito instituições participaram do processo seletivo, incluindo a vencedora, informou o BNDES em nota. As gestoras Votorantim Asset Management e Itaú Asset Management ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente, e ficarão no cadastro de reservas.

Segundo o BNDES, o fato de o novo FIDC ser formado com debêntures de infraestrutura que já estão na carteira do banco contribui para diminuir o "risco de originação de ativos" e garante o benefício tributário para os cotistas do fundo - conforme a Lei 12.431/2011, as debêntures de infraestrutura são isentas de Imposto de Renda (IR).

"Além de criar mais uma fonte de financiamento a projetos de infraestrutura, o BNDES espera aumentar a base de investidores e incrementar a liquidez de títulos de infraestrutura, bem como securitizar parte de sua carteira, alienando ativos nos quais entende que já cumpriu sua missão institucional", informa a nota do BNDES, que ressalta que o banco de fomento não será cotista do fundo.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies