Menu
2018-12-04T19:21:54-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Devagar, quase parando

Mais uma liderança do governo admite que a cessão onerosa deve ficar para 2019

Projeto permite destravar o megaleilão de áreas do pré-sal e está empacado no Senado há meses

4 de dezembro de 2018
19:21
romero-juca
Jucá, sobre a cessão onerosa: "nós vamos votar quando estiver construída a solução" - Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), se uniu ao grupo de lideranças políticas que já admitem votar a cessão onerosa em 2019. Depois do futuro ministro Onyx Lorenzoni, o senador disse nesta terça-feira, 4, que "é possível" que a conclusão do projeto fique para o próximo ano, apesar de defender que o "ideal" seria apreciar a proposta até 22 de dezembro deste ano.

A cessão onerosa da Petrobras é um projeto de lei permite destravar o megaleilão de áreas do pré-sal. Jucá também afirmou que não adiantaria para o governo passar uma proposta "prematura".

"O ideal seria votar este ano. Nós vamos votar quando estiver construída a solução. Não adianta votar algo que está prematuro e não tem condição de operacionalizar. Não adianta criar esperanças 'infundáveis', temos até o dia 22 de dezembro (para esperar). Seria uma solução legislativa. A decisão política de partilhar o recurso já foi tomada. A questão é como se dará para ser efetivada", complementou.

Acerto com Guardia

Jucá disse que o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, já concordou com a necessidade de repassar parte dos recursos para Estados e municípios, mas que persiste o problema da "operacionalidade" da proposta, já que transferir os recursos atingiria o teto de gastos. "O maior entrave (em relação à cessão onerosa) é a operacionalidade por pagamento em relação ao teto. O problema do Guardia não é o valor (do repasse), é o limite do teto", afirmou Jucá.

Durante a tarde, o líder do governo usou o Twitter para reafirmar que a votação da proposta não deve acontecer nesta terça. "Não vamos votar hoje o projeto sobre a cessão onerosa. A partir de amanhã, a votação dependerá do presidente Eunício Oliveira. Mas continuaremos a construir uma solução técnica com os governadores", explicou o senador de Roraima.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

match com o mercado?

Concorrente do Tinder, Bumble pode levantar US$ 100 milhões em IPO

Ações da empresa estreiam em fevereiro na Nasdaq; companhia, que é dona do Badoo, não deu lucro no ano passado

pandemia

Itamaraty confirma que Índia atrasará entrega de vacinas

Chanceler indiano atribuiu o atraso na liberação a “problemas logísticos” decorrentes das dificuldades de conciliar o início da campanha de vacinação no país de mais de 1,3 bilhão de habitantes

DESTAQUES DA BOLSA

Localiza e Unidas caem com temores sobre Cade; JHSF é destaque após prévia do 4º trimestre

Coronavírus, Cade e dólar alto… Confira as razões por trás dos melhores (e piores) desempenhos do dia

fique de olho

BC promove alterações na coleta e na divulgação de dados do Focus

Mudanças começam a partir da próxima terça-feira, dia 19, e estarão disponíveis para cerca de 140 instituições que abastecem a pesquisa

pessimismo com os papéis

Ação da ExxonMobil cai mais de 4% após notícia sobre investigação nos EUA

Gigante do setor energético supervalorizou um ativo-chave da bacia permiana, segundo denúncia; dia é de queda nos mercados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies