Menu
2018-11-22T10:33:35-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Bancos

BC simplifica compulsórios e libera mais R$ 2,7 bilhões no sistema financeiro

Alíquota sobre os recursos que nós depositamos nos bancos e que precisam ficar recolhidos no BC foi reduzida para compensar o fim das deduções que os bancos podiam fazer sobre esse valor

22 de novembro de 2018
10:33
Fachada do Banco Central do Brasil (BC)
Imagem: Arnaldo Jr./Shutterstock

O Banco Central deu mais um passo para simplificar as regras dos compulsórios, aquela parcela do dinheiro que nós depositamos nos bancos que precisam ficar recolhidos no BC.

A simplificação envolveu o fim das deduções que os bancos podiam usar no cálculo do compulsório. Originalmente, as deduções acabariam no ano que vem, mas o BC decidiu antecipar o cronograma para dezembro deste ano.

Para compensar esse efeito, a alíquota do compulsório sobre os depósitos a prazo - por exemplo os CDBs - foi reduzida de 34% para 33%. O percentual recolhido sobre os depósitos à vista caiu de 25% para 21%.

Pelos cálculos do BC, as duas mudanças vão levar a uma liberação de 0,6% dos recursos retidos pelos compulsórios. O valor representa uma injeção de R$ 2,7 bilhões no sistema financeiro. Esses recursos, que hoje ficam retidos no BC, poderão ser destinados ao crédito, por exemplo.

As novas regras do compulsório também vão ajudar os bancos de menor porte. Os valores das deduções baseadas no nível 1 do patrimônio de referência das instituições aumentou de R$ 200 milhões para R$ 500 milhões. Com isso, oito instituições deixarão de recolher compulsórios, segundo o BC.

O regulador também flexibilizou a exigência mínima diária que os bancos precisam cumprir sobre os recursos à vista, de 80% para 65%.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Contas brasileiras em jogo

STF retoma julgamento sobre ICMS e PIS/Cofins; decisão pode ter impacto de R$ 258,3 bilhões para União

Os ministros já haviam declarado inconstitucional a cobrança de ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins, mas o governo pede que a decisão não tenha efeito retroativo

São Jorge e o dragão inflacionário

A grande e ameaçadora besta da inflação começa a sair do seu sono profundo. Aos poucos, movimenta as asas e mexe sua cauda incendiária. Um vagaroso e temerário despertar. Nem de longe está cuspindo fogo — e quem viveu no Brasil nos anos 80 e 90 lembra bem do seu poder destrutivo. Mas mesmo o […]

FECHAMENTO

Dragão americano da inflação assombra ativos globais e resultado é bolsa, dólar e juros sob pressão; Ibovespa recua 2% e volta aos 119 mil pontos

A pressão inflacionária superou até mesmo o cenário político interno caótico nos holofotes do mercado e levou o principal índice brasileiro a amargar uma queda brusca

Primeiro encontro

Presidentes de Petrobras e BR se reúnem para tratar da saída da estatal da distribuidora

Os executivos, que assumiram os cargos há cerca de uma vez, discutirão a venda da participação de 37,5% que a Petrobras ainda detém na empresa

Trabalho em equipe?

Biden e oposição tentam acordo para aprovar pacote de infraestrutura

Um dos maiores pontos de divergência entre o presidente e líderes republicanos é o aumento de impostos para financiar a proposta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies