Menu
2019-04-03T17:49:16+00:00
Tragédia

Troca de e-mails indica que Vale sabia de falha em sensores de Brumadinho

Polícia Federal de Minas teve acesso a troca de e-mails entre funcionários da mineradora e fiscalização, em que eles discutem “discrepâncias” nas informações dos equipamentos

7 de fevereiro de 2019
6:44 - atualizado às 17:49
Fernando Moreno/Estadão Conteúdo/Futura Press
Bombeiro realiza resgate em Brumadinho, MG -

Uma troca de e-mails entre funcionários da Vale e de empresas que atuavam na fiscalização da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), indica que a mineradora já havia identificado problema em dados dos sensores da estrutura dois dias antes do rompimento, que deixou até ontem 150 mortos e 182 desaparecidos.

A Polícia Federal de Minas teve acesso a essa troca de e-mails, em que eles discutem “discrepâncias” nas informações dos equipamentos.

No depoimento aos policiais, ao ser questionado sobre o que faria se tivesse um filho no local e soubesse das informações contidas na troca de e-mails, o engenheiro Makoto Namba, da Tüv Süd, disse que o mandaria sair imediatamente. E afirmou que acionaria a Vale para disparar o plano de emergência. A informação foi revelada ontem pela repórter Andreia Sadi, da GloboNews, e confirmada pelo "Estado de S. Paulo".

A barragem de Brumadinho se rompeu em 25 de janeiro. Os e-mails foram trocados entre os dias 23 e 24, antevéspera e véspera da tragédia e citam dados “discrepantes” colhidos no dia 10 de janeiro, ou seja, 15 dias antes da tragédia. O Estado mostrou ontem que o relatório da Tüv Süd, que atestou a estabilidade da barragem, trabalhava com uma margem de segurança muito baixa para a hipótese da liquefação dos rejeitos - fenômeno apontado como a provável causa do colapso.

Os funcionários da Tüv Süd André Jum Yassuda e Makoto Namba prestaram depoimento ao delegado Luiz Augusto Nogueira da Polícia Federal de Minas e responderam perguntas sobre os e-mails em posse da PF. Os dois foram presos na semana passada e tiveram ordem de soltura expedida anteontem, 05, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A PF disse que não comentaria o caso, porque o inquérito está sob sigilo.

Questionado a respeito de “dados discrepantes obtidos através da leitura dos instrumentos automatizados (piezômetros) no dia 10/01/2019, instalados na barragem B1 do CCF (Complexo Córrego do Feijão), bem como acerca do não funcionamento de 5 (cinco) piezômetros automatizados”, Namba afirmou que os dados dos sensores só foram levados a seu conhecimento pela Vale após o rompimento.

Pressão

Namba também afirmou ao delegado federal que se sentiu pressionado por um funcionário da Vale durante reunião para falar sobre a assinatura do laudo de estabilidade da barragem feito por ele. De acordo com o engenheiro, o funcionário o questionou se a Tüv Süd iria assinar a declaração de estabilidade. Embora a princípio tenha respondido que só assinaria após o cumprimento de suas recomendações, recuou e avalizou a segurança da barragem por se sentir pressionado.

Ele também disse à PF ter conhecimento sobre nascente de água próxima do reservatório da barragem, o que poderia comprometer sua estabilidade. Segundo ele, “a água excedente corria para dentro da barragem”. “O declarante não sabe dizer ao certo, mas pode afirmar que desde o fim de julho/2018 foi construída uma barreira e colocada uma tubulação na nascente para desviar a água do reservatório”, diz trecho do relatório da PF sobre o relato.

Segundo ele, ainda em setembro de 2018 solicitou à Vale a construção de um equipamento específico para que o excedente de água fosse retirado da barragem. Sobre a localização do refeitório e da sede administrativa da empresa, destruídos pelo rompimento e onde estavam algumas das vítimas, o engenheiro disse que, se o Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM) mostrou que estavam no caminho da lama, a Vale deveria ter transferido todas essas construções para outros locais.

Defesa

A Tüv Süd, por meio de nota, afirmou que após o desastre a empresa deu início a uma investigação sobre o caso. “Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para contribuir para uma investigação abrangente desse caso”, diz a nota. Segundo a empresa, além de contatar um escritório para conduzir uma investigação independente, será contratado “um especialista” para fazer uma avaliação de questões técnicas.

Também por meio de nota, a Vale afirmou que vem colaborando “proativamente e da forma mais célere possível com todas as autoridades que investigam as causas do rompimento da barragem”. “Como maior interessada no esclarecimento das causas desse rompimento, além de materiais apreendidos, a Vale entregou voluntariamente documentos e e-mails, no segundo dia útil após o evento, para procuradores da República e delegado da Polícia Federal.”

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Bateu o martelo

Cade aprova venda de fatia da Petrobras em Tartaruga Verde e Espadarte à Petronas

Decisão do conselho antitruste consta em despacho publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira

xi...

Mesmo com reforma, governo não retomará investimento por 4 anos, diz secretário do Tesouro

Mansueto Almeida ainda disse que o governo continuará com uma taxa de investimentos de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

mundo encantado

Herdeira da Disney defende a taxação de fortunas para salvar o ‘sonho americano’

Abigail Disney assinou uma carta com outros bilionários — entre eles George Soros — pedindo que os candidatos a Presidência dos EUA assumam compromisso de propor a taxação de grandes fortunas

Canetada

Bolsonaro vetará lista tríplice para nomes de agências reguladoras, diz porta-voz

Proposta aprovada no Congresso estabelece que a lista tríplice será elaborada por uma comissão de seleção, que terá sua composição e forma de atuar regulamentadas pelo próprio presidente da República

E-commerce na mira

Comércio eletrônico brasileiro tem nota abaixo do nível aceitável, mostra índice

Nota do Brasil no EQI 2019 sugere que faltam informações nas páginas de produtos nos sites de comércio eletrônico, que há dificuldades em integrar a experiência de compras online e offline e que o processo de cadastro de produtos é ineficiente

Câmbio

Liquidez seca e Banco Central oferta dólares no mercado à vista

Leilão de linha de US$ 1 bilhão foi anunciado e realizado no fim da manhã e buscou prover liquidez ao mercado em período de maior demanda por moeda à vista

Novo ranking

Brasil é 2º colocado em índice que avalia combate à corrupção em 8 países da América Latina

Dividindo-se por subcategorias, o Brasil lidera a referente à capacidade jurídica. País aparece em quinto lugar na que mede democracia e instituições políticas e em segundo na referente à sociedade civil, mídia e setor privado

Início da retomada industrial?

Índice de produção cresce em maio e atinge 50,9 pontos, diz CNI

Nível de utilização da capacidade instalada cresceu 1 ponto porcentual na comparação com abril e ficou em 67%. Apesar da alta, a CNI destaca que o porcentual ainda é baixo na comparação com anos de maior atividade industrial

Novas regras

União promete pagar até R$ 6 bi por ano a Estados que abrirem mercado de gás

Expectativa de Guedes é que o conjunto de medidas anunciadas possa diminuir o preço do gás em 40% e 50%, turbinando o PIB da indústria nacional em até 10,5% por ano

Está quase

Debates na comissão da reforma da Previdência devem acabar ainda hoje

Finda essa etapa, relator apresenta complementação de voto, mas votação dependerá do número de destaques que buscam alterar o texto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements