Menu
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Reformas

Reforma da Previdência tem apoio de 82% da Câmara e 89% do Senado

Pesquisa do BTG Pactual também mostra que idade mínima igual para homens e mulheres tem pouca chance de prosperar e que falta consenso sobre período de transição

11 de fevereiro de 2019
9:51 - atualizado às 12:58
Congresso Nacional em Brasília - Imagem: Shutterstock

A reforma da Previdência praticamente monopoliza o debate econômico e pesquisa feita pelo BTG Pactual e FSB Pesquisas mostra um elevado apoio dos congressistas ao assunto. As divergências, como não poderia ser diferente, estão nos detalhes, como idade mínima para homens e mulheres, duração do período de transição, igualdade de regras entre trabalhadores urbanos e rurais, e sistema de capitalização.

Foram ouvidos 235 deputados federais e 27 senadores, entre os dias 4 e 8 de fevereiro, em uma amostra controlada e ponderada de acordo com a distribuição por partido no Congresso Nacional.

O apoio à reforma da Previdência é elevado, chegando a 82% na Câmara dos Deputados e subindo a 89% no Senado Federal. Apenas 13% dos deputados não apoia a medida, percentual que cai a 11% no Senado.

O assunto também é prioridade para 72% da Câmara e 85% do Senado. E a expectativa de aprovação é elevada, atingindo 69% da Câmara e 82% do Congresso.

O BGT fez diferentes cortes da amostra, mostrando que entre os congressistas novatos o apoio à medida é de 86%, acima dos 78% dos reeleitos. A média do Congresso é de 83%.

Entre os 10 maiores partidos, a taxa de apoio é e 100% do PP e do PSDB, 95% do MDB e PSD. A menor taxa, sem surpresa, é do PT, apenas 37%.

Outro corte interessante nos dados é por região do país. Dos congressistas do Sul, o apoio é de 95%, no Centro-Oeste é de 92%, no Norte temos 91%, recua a 73% no Nordeste e Sudeste.

A expectativa sobre quando ocorrerá a votação está dispersa, mas há uma breve concentração de respostas no “segundo trimestre”, com 35% da Câmara e 41% do Senado.

Entre os obstáculos citados estão “divergências dentro do Congresso”, com 17%, seguido de “articulação do governo com o Congresso”, com 16%, e “complexidade da proposta”, com 10%.

Idade Mínima

O tema idade mínima mostra consenso, já que 69% da Câmara e 93% do Senado se dizem favoráveis ao estabelecimento dessa regra para a aposentadoria. O dissenso surge quanto aos detalhes dessa proposta.

O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) já se disse abertamente favorável à idades mínimas iguais para homens e mulheres, assim como o ministro da Economia, Paulo Guedes. Mas dentro do parlamento prevalece a visão de idades diferentes, para 71% da Câmara e 85% do Senado. Algo defendido pelos antigos (77%) e novos congressistas (69%).

Questionados sobre a possibilidade de 65 anos como idade mínima para homes e mulheres, apenas 20% dos deputados e 19% dos senadores se disseram favoráveis. Contra a medida estão 61% dos deputados e 63% dos senadores.

Em outro exercício, a pergunta envolveu o estabelecimento de idades mínima de 62 para mulheres e 65% para homens. A favor 37% da Câmara e 48% do Senado e contra 44% da câmara e 30% do Senado.

Transição

Mais um ponto de impasse surge quanto ao tempo de transição. A pesquisa questionou sobre um período de transição mais curto (10 anos, por exemplo), com idade mínima menor, e transição maior (20 anos, por exemplo) e idade mínima maior.

Dentro da Câmara 38% dos deputados favorecem transição mais curta e no Senado o percentual sobe a 48%. Já a transição mais longa teve apoio de 34% dos deputados e 22% dos senadores.

Igualdade de regras

Questionados se as regras deveriam ser iguais para aposentados rurais e urbanos, 72% da Câmara e 67% do Senado disseram “não”. Postura mais consolidada entre os congressistas reeleitos (78%) em comparação com os novatos (66%).

Sobre mudanças no regime de benefícios continuados (BCP), pagos à população de baixa renda o quadro é disperso. Favoráveis 26% da Câmara e 41% do Senado. Contra 36% da Câmara e 37% do Senado.

Militares

Outro tema contemplado foi a inclusão ou não dos militares na reforma. Para 85% da Câmara e 78% de senado eles devem ser inclusos na reforma e a proposta deve ser encaminhada em conjunto com a proposta dos trabalhadores civis (81% da Câmara e 74% do Senado).

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Capitalização

O regime de capitalização, que está no escopo da proposta do governo, mas que atenderia, apenas, aos novos entrantes no mercado do trabalho, segundo se intui das falas recentes de Paulo Guedes, tem apoio de 48% da Câmara e do Senado. Entre os novatos o apoio é maior (52%) em comparação com os reeleitos (43%).

Comentários
Leia também
Berkshire Hathaway

Até ele perde! Empresa de Warren Buffett tem prejuízo no 4º tri, e tombo da Kraft Heinz deu uma bela mãozinha

Prejuízo da empresa de alimentos, controlada por Buffett junto com a turma de Jorge Paulo Lemann, pesou nos resultados da Berkshire Hathaway

Novidades

O que mudou na declaração de imposto de renda em 2019

Principal novidade é a obrigação de informar CPF de dependentes e alimentandos, independentemente de idade; confira todas as mudanças e a atualização dos valores

Reforma da Previdência

Proposta de reforma para militares deve chegar ao Congresso antes de 20 de março

Segundo Rogério Marinho, secretário especial de Previdência e Trabalho, mudanças devem ser apresentadas ao Congresso antes do término do prazo de 30 dias estabelecido inicialmente

Em busca de um novo líder

Oi ainda sonda Amos Genish, ex-presidente da Vivo, para comandá-la

Em busca de novo líder para a sua reestruturação, operadora quer ex-presidente da Vivo e da Telecom Itália no comando, mas executivo recusou convite, por ora

Siga o dinheiro

Receita Federal entra na dança e passa a investigar miliciano ligado a Flávio Bolsonaro

Fisco vai ampliar a cooperação com o MP do Rio e investigar alvos da Operação Os Intocáveis; entre eles, está o ex-PM Adriano Magalhães da Nóbrega, cujas mãe e esposa trabalharam para o filho do presidente

Bon Vivant

Noronhe-se como os famosos! Fernando de Noronha tem luau de chefs, ‘sea coach’ e, claro, praias paradisíacas

Roteiros exclusivos e experiências customizadas são os ingredientes para incrementar a visita um dos lugares mais lindos do planeta onde dá praia o ano todo. Você também merece pisar no paraíso e curtir uns dias de folga.

É cilada, Bino

Mais de 930 moedas digitais deixaram de existir em 2018. Saiba quais são as apostas alternativas mais seguras para este ano

As informações são do site Deadcoins. Diante de tantos projetos mal-sucedidos no ano passado, criptomoedas como o Ethereum, Ripple e Iota permaneceram e são algumas das opções interessantes para 2019

Reforma da Previdência

À BBC, Mourão diz que Congresso aprova “qualquer coisa” para militar

Mourão justificou que a tramitação é muito mais rápida no caso dos militares porque, para isso, é necessário apenas um projeto de lei, que requer maioria simples dos votos

Mais um empecilho?

Tipo novela mexicana… Justiça concede liminar para suspender assembleia da Embraer que decidirá sobre acordo com Boieng

O juiz destacou que “não se visualiza nesta decisão qualquer ameaça ou comprometimento da economia do País ou situação provocadora de crise na medida que busca conservar uma situação que se encontra consolidada no tempo e eventual oscilação em preços de ações da Boeing ou da Embraer são considerados efeitos metajurídicos normais de qualquer decisão judicial sem a tônica de representar repercussão nos interesses do País”

O melhor do Seu Dinheiro

O Ministério da Economia adverte

Tem uma piada antiga sobre o fulano que vai comprar um maço de cigarros na padaria e, ao ler na embalagem que fumar causa impotência sexual, pede para o balconista trocar por um que causa câncer. Eu me lembrei da anedota ao me deparar com uma espécie de advertência do Ministério da Economia: o atual […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu